Aldeias Históricas de Portugal integram campanha nacional por um turismo responsável

O verão é, por excelência, a época do ano em que se regista maior afluência nas áreas naturais e protegidas. Para sensibilizar os visitantes, a Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico juntou-se a 11 redes de turismo portuguesas para reforçar a importância de uma viagem responsável.

Rodeadas de natureza em estado puro, as Aldeias Históricas de Portugal são autênticos refúgios para escapar ao dia-a-dia nas cidades. Com praias fluviais, zonas ribeirinhas, parques naturais, reservas protegidas, paisagens de serra, infinitas planícies, a Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22) e inúmeros percursos pedestres, no verão, este imenso território torna-se ainda mais apetecível para aventuras a pé ou de bicicleta, ou simplesmente para relaxar.

A preservação da natureza é um dos compromissos das Aldeias Históricas de Portugal – tendo sido, aliás, o primeiro destino em rede, no mundo, a receber o certificado BIOSPHERE DESTINATION. De facto, no ano passado, a Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico foi o primeiro destino a nível nacional a criar o “Manifesto do Turista Responsável”, lembrando aos seus visitantes a importância do respeito pela natureza.

Este ano, a associação Aldeias Históricas de Portugal junta-se a uma campanha nacional para reforçar o convite a uma viagem responsável. Com o mote “Obrigado por cuidar do nosso país”, a iniciativa é do Turismo de Portugal e junta 12 redes de turismo: ADERE Peneda-Gerês, Aldeias de Montanha, Aldeias do Xisto, Aldeias Históricas de Portugal, Geopark Naturtejo, Heranças do Alentejo, Lugares da Serra Alentejana, Montanhas Mágicas, Rota da Terra Fria Transmontana, Rota do Românico, Termas Centro e Rota Vicentina. 12 redes colaborativas que têm em comum serem procuradas, especialmente no verão, pela sua vasta oferta em Turismo de Natureza e Turismo Ativo.

O objetivo desta campanha é, assim, trabalhar uma literacia para a sustentabilidade, assente na ideia de colaboração, quer internamente através das redes de turismo de Portugal, quer através do apoio aos turistas.

Abastecer-se com produtos locais, deixar menos lixo do que encontrou, respeitar os ritmos de vida locais, investir o valor justo pela qualidade, procurar informações sobre a região e as suas particularidades e não sobrecarregar locais sensíveis, são algumas das mensagens da iniciativa.

Durante o mês de agosto, estas redes de pessoas e territórios irão mostrar – através das redes sociais – que o futuro do turismo está na preservação da natureza e cultura local. Uma mensagem que está em linha com a estratégia de sustentabilidade das Aldeias Históricas de Portugal, uma das prioridades da sua atuação no território.