As Aldeias Históricas de Portugal vão ser mais acessíveis e inclusivas

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, presidiu, hoje, à assinatura do projeto “Aldeias Históricas de Portugal All For All”. Um programa que pressupõe um investimento de 1,06 milhões de euros para melhorar a acessibilidade geral das aldeias e torná-las mais inclusivas, para pessoas com mobilidade condicionada e invisuais. É mais um importante passo para o desenvolvimento estratégico das Aldeias Históricas de Portugal. A cerimónia decorreu no âmbito da cimeira “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”, que está a ter como palco a Sé Catedral de Idanha-a-Velha.

Numa cerimónia presidida pela Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, a Associação Aldeias Históricas de Portugal e o Turismo de Portugal formalizaram, hoje, o projeto “Aldeias Históricas de Portugal All For All”. Um contrato, que envolve um investimento de 1,06 milhões de euros ao abrigo da Linha de Apoio ao Turismo Acessível.


Um projeto que visa tornar as Aldeias Históricas mais acessíveis e inclusivas. Respeitando as idiossincrasias de cada aldeia, o objetivo é, por um lado, a melhoria das condições físicas de circulação nas aldeias históricas, e por outro, a criação de formas alternativas para dar a conhecer monumentos e pontos de interesse destes lugares, a pessoas com mobilidade condicionada ou invisuais – por exemplo, através da implementação de painéis multimédia, com visitas virtuais e informação em braille.


Sobre o projeto, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, comentou que “mostra que as Aldeias Históricas de Portugal estão muito à frente, em relação ao resto do país. De facto, têm tido cada vez mais a capacidade de inovar para quem as quer visitar, e oferecer experiências únicas e autênticas”.


A assinatura do contrato foi um dos momentos altos do dia de abertura da “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”. Uma inédita cimeira promovida pela Associação Aldeias Históricas de Portugal, que tem como objetivo sensibilizar para a necessidade de uma política comum, à escala global, direcionada para áreas geográficas alternativas aos destinos de massas. Uma iniciativa onde também se debate a classificação deste tipo de destinos e o conceito que os abrange – “Destinos Turísticos Alternativos”.


Para além das intervenções de prestigiados especialistas nacionais internacionais, amanhã (sexta-feira), a “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders” será marcada pela entrega do certificado BIOSPHERE DESTINATION à rede das Aldeias Históricas de Portugal. Uma certificação que confirma o trabalho desenvolvido pela Associação em assegurar um conjunto de boas práticas de sustentabilidade na gestão do Destino Turístico, alinhadas com as orientações da UNESCO e da Carta Mundial de Turismo Sustentável de 2015.


A cimeira “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders” é financiada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através dos programas Centro 2020 (Programa Operacional Regional do Centro), via Portugal 2020, bem como do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).


As Aldeias Históricas de Portugal
Perdidas entre montes e vales da verdejante paisagem do interior de Portugal, repletas de lendas e castelos, sabores e tradições, há 12 singelas aldeias onde apetece perdermo-nos, para nunca mais nos encontrarmos. Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso: as Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12, são paraísos escondidos que nos levam numa viagem ao tempo de reis e rainhas, épicas e infinitas batalhas que escreveram a História como a conhecemos hoje. Viajar até às Aldeias Históricas de Portugal é, assim, descobrir a História de um país de temerários conquistadores, através das pedras das suas calçadas e das suas frondosas muralhas e castelos, orgulhosa e imponentemente erguidos.

Para mais informações sobre a cimeira ou para efeitos de inscrição, por favor consulte este link: https://www.responsibletourisminstitute.com/en/event/aldeias/

Deixe uma resposta