DACIA: UMA HISTÓRIA DE SUCESSO

A Dacia é muito provavelmente o fenómeno mais recente da indústria automóvel. Quando a Renault, em finais de 1999, adquiriu mais de 50 por cento do capital desta marca de origem Romena, o objectivo era o de integrar no Grupo Renault uma marca automóvel com produtos destinados aos mercados emergentes da Europa de Leste e do Magrebe.

O primeiro modelo integralmente concebido e desenvolvido pelo grupo Renault, o Dacia Logan, foi um sucesso imediato. E no passado mês de Outubro foi atingido o marco histórico de 3 000 000 de vendas em apenas dez anos!

Em Portugal, e, em 2014, pela segunda vez consecutiva, a Dacia foi a marca, do TOP 20, com maior crescimento das vendas (+96% face a 2013), ocupando o 14º lugar entre todas as marcas presentes no mercado Português.

As razões para o sucesso são várias: fiabilidade (as associações de consumidores de França, Bélgica, Itália, Espanha e Portugal integram, desde 2012, a Dacia no Top 2 das marcas mais fiáveis do mercado), robustez, economia, uma relação qualidade-preço imbatível e a mais jovem gama do mercado: sete novos modelos lançados nos últimos 25 meses! Uma gama bastante versátil que – também! – traduz o investimento da marca no reforço dos equipamentos e na qualidade dos interiores. O futuro é, portanto, promissor. Afinal, a marca ‘escandalosamente acessível’, não é ‘apenas’ racional: é também uma moda um pouco por todo o mundo!

A notoriedade é recente, mas a verdade é que, no próximo ano, a Dacia vai comemorar meio século de existência. Na realidade foi, em 1966, no auge da Guerra Fria, que a marca nasceu na Roménia sob a alçada do estado Romeno. Nos primeiros 40 anos da sua existência, a Dacia foi uma marca regional implantada apenas na Roménia e países limítrofes.

Atenta ao previsível crescimento dos mercados emergentes da Europa de Leste, a Renault adquiriu, em Setembro de 1999, 51% das acções da marca. E cinco anos depois (em 2004), investiu na aquisição de 99,3% das acções!

Se, na origem, a aposta da Renault se destinava aos mercados emergentes da Europa de Leste e do Magrebe, o sucesso imediato do Logan, o primeiro modelo Dacia concebido e desenvolvido pela Renault, levou o Grupo a apostar na introdução da Dacia na Europa Ocidental.

A Renault ia tornar a Dacia uma marca global!

A Renault, mais uma vez, voltava a inovar e a surpreender o mundo da indústria automóvel. Enquanto os restantes fabricantes ainda discutiam nos gabinetes a necessidade de lançar marcas com o conceito ‘low cost’, a Renault introduzia no mercado as primeiras propostas, o Logan (em 2004), o Logan MCV (em 2007), o Logan Pick-Up (em 2008) e a primeira geração do Sandero (também em 2008). Modelos que capitalizavam valores essenciais para qualquer cliente: robustez, fiabilidade, economia e reduzido custo de aquisição. Uma relação qualidade-preço imbatível!

UM SUCESSO (TAMBÉM) NA EUROPA OCIDENTAL

Apenas dez anos passados sobre a comercialização do primeiro Dacia sob a égide Renault, a marca atingiu os 3.000.000 de unidades vendidas.

Na Alemanha – imagine-se! – é a segunda marca não-alemã mais vendida no mercado. Em França, a Dacia é a quinta marca mais vendida no país. Em Espanha, o Sandero liderou as tabelas de vendas em Fevereiro, Agosto e Setembro de 2014 e terminou o ano como o oitavo modelo mais vendido do país!

Em Janeiro de 2015, a Dacia inicializou a comercialização no seu 44º mercado: Israel.

Não é, também, por acaso que, em vários mercados, sobretudo na América Latina, que a Dacia é comercializada com o símbolo da Renault. E a razão é simples: A Dacia não faz ‘apenas’ parte do Grupo Renault. Todos os Dacia são concebidos e desenvolvidos segundo as mesmas normas e padrões da marca Renault, nomeadamente com a incorporação de componentes como chassis, motores, caixas de velocidades, etc.

Nesse sentido, destaque para o facto de toda a gama beneficiar de 3 anos/100.000 km de garantia contratual. Este é mais um elemento que atesta a robustez e fiabilidade da marca, o que aliás tem vindo a ser demonstrado por estudos independentes realizados, até por associações de consumidores, em toda a Europa.

A IMPORTÂNCIA DO DUSTER NA IMAGEM E CRESCIMENTO DA DACIA

Mas foi, em 2010, que os pressupostos que fizeram o sucesso da Dacia saíram (ainda mais) reforçados… A ‘culpa’ foi do Duster! A primeira geração atraiu um perfil de clientes ainda mais heterogéneo. Em países como Portugal, o Duster tornou-se uma moda, até um objecto de desejo. Como felizes proprietários, não apenas classe média, mas também clientes habitualmente mais associados a marcas ‘premium’, mas que reconheciam no produto uma relação qualidade-preço extraordinária e excelentes qualidades não apenas para as deslocações do quotidiano, mas também para a prática de todo-o-terreno.

De tal forma que o Duster é hoje o símbolo da democratização e da notoriedade da marca pelo Ocidente. O modelo ajudou a quebrar preconceitos e criou um consenso generalizado em relação à marca, seja na imprensa, fóruns ou redes sociais. Os proprietários assumem-se como verdadeiros ‘embaixadores’, eles que são testemunhas dos atributos que fazem a história de sucesso da marca.

O Duster é, aliás, o modelo mais vendido pelo Grupo Renault em todo o mundo, com praticamente meio milhão de unidades vendidas anualmente.

A MAIS JOVEM GAMA DO MERCADO

Hoje, a Dacia orgulha-se de possuir a mais jovem gama do mercado. O mais antigo dos sete modelos comercializados em Portugal – Sandero, Sandero Stepway, Logan, Logan MCV, Lodgy, Duster e o comercial ligeiro Dokker Van – foi lançado há apenas 25 meses.

Uma gama que se caracteriza em 4 simples palavras:

Fiável: como o reconhecem os estudos realizados pelas associações de consumidores de 5 países (França, Bélgica, Espanha, Itália e Portugal) que colocaram a Dacia no 1º lugar (em 2012) e no 2º lugar (em 2013) no que respeita à fiabilidade dos seus automóveis de entre todas as marcas existentes no mercado.

Útil: com uma relação qualidade/preço imbatível, a Dacia oferece tudo o que é indispensável: conforto, habitabilidade, segurança.

Generosa: por aquilo que reconhecem os possuidores de automóveis da marca. Os produtos Dacia valem mais do que o valor que é pedido por eles. E são generosos no espaço, no equipamento, nas prestações dos motores.

No fundo uma oferta inteligente.

A PROGRESSIVA DE AFIRMAÇÃO DA DACIA NO MERCADO NACIONAL

Apesar da estreia da marca no mercado nacional ser datada de 2008, já circulam em Portugal mais de 12.000 unidades de Dacia. Foi no dia 1 de Maio de 2008, por ocasião do Salão Automóvel de Lisboa, que os Portugueses puderam fazer as primeiras encomendas. A comercialização coincidiu com a estreia do bloco 1.5 dCi no modelo Logan MCV.

Entre 2008 (o ano de estreia no mercado nacional) e 2014, a Dacia passou das cerca de 500, para as quase 4.000 unidades. De uma quota de mercado residual de 0,2%, passou para 2,4% no último ano, isto no que diz respeito ao mercado de ligeiros de passageiros. Em sete anos, só uma quebra de vendas: em 2012, o auge da crise económica que tanto afectou a classe média.

Interessante o número de Dacia táxis que, hoje, circulam pelas estradas nacionais. Hoje, são mais de 300 os profissionais rendidos à fiabilidade, bem como aos baixos custos de aquisição e de utilização de modelos como o Sandero, Logan e Lodgy.

O HISTÓRICO DE VENDAS DACIA EM PORTUGAL

 

DACIA VP % VCL %
2008 442 0,2
2009 584 0,4 51 0,1
2010 1.658 0,7 132 0,3
2011 2.231 1,5 110 0,3
2012 1.109 1,2 31 0,2
2013 1.794 1,7 190 1,0
2014 3.433 2,4 460 1,8

 

VP = Veículos de passageiros

VCL = Veículos comerciais ligeiros

% = Percentagem de quota de mercado

 

Beneficiando de uma cada vez maior notoriedade junto dos Portugueses, a Dacia teve, em 2014, o seu ano de afirmação no mercado Português. Com um crescimento das vendas de 91,4% no mercado de veículos de passageiros e tendo multiplicado por 2,5 as vendas nos Comerciais Ligeiros (mesmo só disponibilizando o modelo Dokker Van) a Dacia foi, de forma evidente, a marca do Top 20 que mais cresceu em Portugal. O sucesso continuado do Duster (2º SUV do segmento C mais vendido em Portugal), um verdadeiro ícone da marca, o sucesso da gama Sandero (com especial ênfase do Sandero Stepway) e do Logan MCV (2ª break mais vendida do segmento B) estiveram na base deste resultado.

Em 2014 a Dacia vendeu, em Portugal, 3.893 unidades (3.433 automóveis de passageiros e 460 comerciais ligeiros) a que correspondeu uma quota de mercado de 2,3% e a entrada no Top 15 (com o 14º posto) das marcas mais vendidas em Portugal.

Nos comerciais ligeiros, e apesar de apenas contar com o modelo Dokker Van, a Dacia alcançou o 12º posto entre as marcas mais vendidas, com uma quota de mercado de 1,8%.

O resultado obtido pela Dacia, em 2014, esteve perfeitamente alinhado com os objectivos publicamente anunciados no início do ano (crescimento da marca superior ao do mercado) e a dinâmica criada em 2014 é um excelente indício para o ano que agora se inicia. Sustentada por uma gama jovem, fiável, uma oferta clara com um posicionamento de preço sem concorrência, a “generosidade” da marca em que claramente oferece muito por um valor reduzido, continuará a ser o pilar de desenvolvimento da marca em Portugal.

Um outro eixo de desenvolvimento da marca é a oferta de combustíveis alternativos. A Dacia é a única marca em todo o mercado a oferecer uma gama completa de modelos bi-fuel (gasolina e GPL).

Para além da vantagem ambiental (o GPL reduz, em média, as emissões de CO2 em cerca de 13%) e económica, a solução bi-fuel permite autonomias superiores a 1.200 km sem necessidade de reabastecimento.

Em qualquer circunstância o condutor pode passar da gasolina para o GPL, ou vice-versa, através da simples utilização de um botão no painel de bordo.

A Dacia dispõe, em Portugal, de uma rede de vendas e de assistência com 37 concessões com uma qualidade de serviço (venda e após-venda) assegurada pelo know-how da marca Renault.

_______________________________________________________________________________________________________________________________

SANDERO: UMA SURPRESA ATÉ (CLARO) NO PREÇO!

Se ser o automóvel mais acessível, à venda em Portugal, no segmento B não era propriamente uma novidade para o Sandero, não deixa de ser surpreendente é que essa posição seja também alcançada com a segunda geração do Dacia Sandero. Mas a verdade é que a Dacia produziu mais um “milagre”: apesar da notável evolução nas linhas, na qualidade dos materiais e dos acabamentos, no habitáculo muito mais moderno e confortável, no nível de equipamento e, também, na gama de motores, o novo Dacia Sandero é comercializado a partir de 8,990€. Uma proposta verdadeiramente imbatível no mercado!

Uma consulta à tabela de preços de todos os automóveis comercializados em Portugal confirma: dos modelos mais baratos à venda em Portugal – com um preço até 12.000€ – são raros os que pertencem ao segmento B e, destes, quatro pertencem à gama do Dacia Sandero, com as versões Pack TCe 90, Confort TCe 90, Black Touch TCe 90 e 1.2 Bi-Fuel Confort, com a primeira a ser mesmo a versão mais barata do segmento! Mas sublinhe-se que até com o motor 1.5 dCi 90 o novo Dacia Sandero se destaca como o mais barato utilitário diesel à venda em Portugal!

Mas se o preço não podia deixar de ser um dos grandes argumentos da segunda geração do Dacia Sandero, a evolução em relação ao anterior Sandero é… “abissal”!

Na realidade, o modelo deixou de ser “apenas” fiável, robusto e de oferecer uma relação prestações-preço imbatível. O mais recente Dacia Sandero é também moderno nas linhas e se, no interior, a habitabilidade continua a ser uma referência no segmento, são os acabamentos, a qualidade dos materiais e os equipamentos disponíveis que impressionam.

Progressos evidentes no habitáculo

De facto, uma vez no habitáculo são evidentes os progressos feitos pela Dacia. A qualidade perceptível é evidente em vários pormenores, enquanto o novo e moderno painel de instrumentos em carbono escuro ou com dois tons (dependendo do modelo e versões), os novos comandos, as várias superfícies cromadas, a nova gama de rádios Plug&Radio, a estreia do limitador/regulador de velocidade, o sistema de ajuda ao estacionamento traseiro e o sistema Media Nav (como equipamento de opção) conferem funcionalidade e um toque de modernidade ao Sandero. No fundo, um pacote de equipamentos ao nível das propostas líderes de vendas do segmento. Mas uma referência, igualmente, para os progressos feitos ao nível da posição de condução.

Mas o novo Dacia Sandero surpreende também debaixo do capot… Estreados no novo Renault Clio, os modernos, tecnológicos e económicos motores TCe 90 e 1.5 dCi 90 estão disponíveis desde o lançamento.

Nova gama de motores modernos e económicos

O novo motor a gasolina de três cilindros TCe 90 é um bloco de 898 cm3 que está no topo da tecnologia de downsizing e que garante 66 kW (90 cv) às 5250 rpm. Com um binário de 135 Nm o motor TCe 90 consegue aliar o prazer de condução ao reduzido consumo de combustível (5l/100 km) e reduzidas emissões de CO2 (116g/km). Equipado com este motor, a autonomia é superior a 900 km. Um outro pormenor importante no TCe 90 é o seu baixo custo de manutenção, que graças ao seu sistema de corrente de distribuição não necessita de qualquer manutenção.

Mas o Sandero é também equipado com a mais recente geração do comprovado 1.5 dCi. Um motor agora ainda mais económico e ecológico, devido ao novo sistema de injecção e ao novo turbo, que acrescentam 20 Nm ao binário, proporcionando melhores recuperações e acelerações O 1.5 dCi está disponível com uma potência de 66 kW (90 cv) e um binário de 220 Nm às 1750 rpm. Tudo isto com consumos entre os mais baixos do segmento (3,8l/100 km em ciclo misto) e um impacto reduzido no ambiente (99g/km de CO2). A autonomia ultrapassa os 1300 km.

GPL: uma aposta TAMBÉM muito competitiva

O Dacia Sandero também está disponível em versão bi-fuel gasolina/GPL.

Com o fim das restrições que, durante anos, limitaram o mercado dos automóveis a GPL e com a evidente diferença de preço na “bomba”, a proposta do Novo Sandero bi-fuel com o motor 1.2 16v 75 é mais uma alternativa económica e sempre dentro do espírito Dacia: uma oferta imbatível.

Preços sem concorrência

Fiel à filosofia Dacia, o Dacia Sandero, apesar dos novos equipamentos e dos novos motores, pode, pela primeira vez, ser adquirido por um valor inferior a 9.000€: mais concretamente 8.990€ para a versão de entrada de gama Pack, equipada com o motor TCe 90. Quanto à versão diesel (1.5 dCI 90) está disponível por 14.050€, enquanto o Sandero Bi-Fuel (Gasolina/GPL) é comercializado com o nível de equipamento Confort por 11.450€.

Um sucesso em perspectiva

No fundo, a exemplo de países como Alemanha, Espanha e França, o Dacia Sandero é um sucesso (também) em Portugal. Tem um preço sem paralelo na concorrência, uma habitabilidade de referência no segmento, linhas modernas, bem como equipamentos e motores tecnológicos. Beneficia da maior Rede de concessionários do país e de uma Garantia de 3 anos ou 100.000 quilómetros. E recorde-se que associações de consumidores de 5 países Europeus (França, Itália, Espanha, Bélgica e Portugal – com DECO Pro Teste) consideraram, em 2012, a primeira geração do Dacia Sandero como o Campeão da fiabilidade no segmento dos “Citadinos e Utilitários”!

_______________________________________________________________________________________________________________________________

 

DACIA SANDERO BI-FUEL : UMA COMPRA INTELIGENTE!

O estigma associado ao dístico azul colado e o discriminatório acesso aos parques de estacionamento fechados já fazem parte do passado. Já não há razões objectivas para que as viaturas a GPL sejam olhadas com desconfiança e a aposta no Dacia Sandero Bi-Fuel ganha, assim, ainda mais acuidade. Um automóvel económico, com linhas modernas, uma excelente habitabilidade, um interessante nível de equipamento, a tradicional robustez da marca e, claro, um preço sem concorrência. Por 11.450€, o Dacia Sandero Bi-Fuel é o mais acessível automóvel bi-fuel do mercado!

Uma compra inteligente! Uma afirmação que até os mais cépticos terão dificuldade em contestar. Vencidos os estigmas e as discriminações, o Dacia Sandero Bi-Fuel é uma compra inteligente. Afinal, é uma das propostas mais económicas e acessíveis do mercado, mas apesar desses predicados reúne um conjunto de características surpreendentes para este segmento de preço. Nesse sentido, destaque para as agradáveis linhas exteriores, o espaçoso interior e um interessante nível de equipamento.

Um Dacia Sandero com uma característica que o distingue que os demais: é movido por dois combustíveis – gasolina e GPL. Nesse sentido, esta versão é equipada com dois depósitos distintos, que assegura uma autonomia superior a 1.200 km, enquanto o comprovado e fiável motor 1.2 16V com 75 cavalos de potência (o único disponível em GPL) é equipado com dois sistemas de injecção.

Com esta tecnologia, compete ao condutor escolher a opção por circular em GPL ou gasolina, sendo que pode fazer a mudança de combustível em andamento. Sublinhe-se que apesar da presença de um segundo depósito para o GPL, o Dacia Sandero Bi-Fuel dispõe exactamente do mesmo espaço para bagagens que as “tradicionais” versões a gasolina ou diesel, já que o depósito GPL é instalado na zona do pneu sobressalente.

O Dacia Sandero Bi-Fuel é uma compra inteligente pelo preço de aquisição – é a proposta mais acessível do mercado -, mas também pelos reduzidos custos de utilização e é a frieza dos números que o comprova: custa tanto como um “tradicional” modelo a gasolina, mas pode permitir uma poupança de quase 50% em utilização. E, saliente-se, sem o discriminatório dístico azul (agora substituído por uma bem mais discreta vinheta no pára-brisas) ou as limitações de estacionamento em parques fechados ou subterrâneos.

Mas para os cépticos em relação ao uso de viaturas GPL ficam também as seguintes ressalvas: em termos de segurança, destaque para o facto do depósito de GPL ser produzido em aço super-resistente com seis vezes mais espessura que um depósito tradicional; o GPL contribuir para uma maior fiabilidade do motor, na medida em que a sua combustão conserva mais o óleo lubrificante; o GPL reduzir as vibrações do motor, o que contribui para um melhor conforto de utilização e, por último; como o GPL não contém benzeno nem enxofre, é muito mais amigo do ambiente, representando uma poupança na ordem dos 13 por cento em emissões de CO2.

Com quase três centenas de posto de abastecimento GPL espalhados por todo o território Continental, o Dacia Sandero Bi-Fuel assume-se, assim, como uma compra inteligente.

Habitabilidade e volume da bagageira recorde!

No interior, o botão que permite optar pelo combustível gasolina ou GPL constitui a única diferença em relação ao “vulgar” Sandero. Um habitáculo incrivelmente espaçoso e em que são evidentes os enormes progressos da Dacia nos acabamentos e na qualidade dos materiais.

O Sandero Bi-Fuel é comercializado com o nível de equipamento Confort, de que faz parte o ar condicionado manual, o Dacia Plug&Radio que integra o rádio, um leitor de CD compatível com formato MP3, a tecnologia Bluetooth® e as ligações USB e Jack posicionadas no painel de bordo, o ASR+ESP (controlo de estabilidade), faróis de nevoeiro, retrovisores exteriores com regulação eléctrica na cor da carroçaria e os elevadores eléctricos dos vidros dianteiros.

Como opcionais, estão também disponíveis (entre outros) o regulador e limitador de velocidade, bem como o MEDIA NAV. Um sistema multimédia completo – disponível pelo competitivo preço de 300 €. Com uma utilização fácil e intuitiva, o grande ecrã a cores táctil de 7 polegadas (18cm) e a página de acolhimento “Menu”, permite navegar facilmente entre diferentes funções, que incluem a tecnologia Bluetooth® e o sistema de navegação, com visualização 2D e 3D (Birdview). Os dispositivos nómadas pessoais ligam-se facilmente a uma tomada USB ou Jack, acessíveis no painel de bordo para melhor ergonomia.

Certeza da fiabilidade: 3 anos/100.000 km de garantia 

O Dacia Sandero Bi-Fuel beneficia, tal como toda a restante gama Dacia de 3 anos/100.000 km de garantia contratual. Este é mais um elemento que atesta a robustez e fiabilidade da marca, o que aliás tem vindo a ser demonstrado por estudos independentes realizados, até por associações de consumidores, em toda a Europa.

______________________________________________________________________________________________________________________________

NOVO DACIA SANDERO STEPWAY: FUGA AO…TÉDIO!

“O tédio é o pior de todos os estados”. Mas três séculos depois de Voltaire ter proferido a frase, há no mercado um excelente anti-depressivo… Um fármaco de marca, mas com o preço de um genérico. Sem contra-indicações e apenas com dois prováveis efeitos laterais: a tendência para tornar os proprietários viciados na sua utilização e o de despertar desejos de evasão. O seu nome é Dacia Sandero Stepway. Uma proposta única com um preço (imagine-se…) a partir de 12.600€. 

O número de 12.600€ não é ficcional. Mas se imagina que esse pode ser o preço para uma versão com equipamento mínimo engana-se. O Dacia Sandero Stepway é comercializado com duas tecnológicas motorizações (gasolina e diesel), mas com um único nível de equipamento que inclui – de série! – as personalizações específicas do exterior e do interior, um sistema de navegação, entre muitos outros requisitos…

Ou seja, o novo Dacia Sandero Stepway é uma proposta verdadeiramente ímpar no mercado. Afinal, há outro modelo que proponha uma relação qualidade-prestações-equipamento-preço tão favorável?

ASFALTO NÃO É O ÚNICO TERRENO DE ELEIÇÃO

O Dacia Sandero Stepway é o exemplo paradigmático da evolução realizada pela Dacia na estética dos seus modelos. Sim, as linhas são modernas e atraentes. Os pára-choques dianteiro e traseiro com protecções ao melhor estilo dos todo-o-terreno e as barras cromadas do tejadilho deixam bem evidente que o asfalto não é o único terreno de eleição do Sandero Stepway. Mas o que ainda mais reforça essa ideia são os 207 centímetros de altura ao solo, que permitem a incursão por caminhos de terra que os “vulgares” automóveis não ousam percorrer…

No exterior ainda é importante referir que as jantes específicas flexwheel de 16 polegadas e a pintura metalizada também fazem parte do equipamento de série, enquanto no interior são também evidentes os progressos realizados pela Dacia na qualidade dos materiais, nos acabamentos e no reforço do nível de equipamento. Nesse sentido, todos os Sandero Stepway comercializados em Portugal são equipados com o sistema de navegação MediaNav (GPS+Rádio+ Bluetooth®) e o limitador/regulador.

MAIS EQUIPAMENTO E MAIS SEGURANÇA

Num habitáculo que é só uma das referências do segmento em termos de habitabilidade (assim como na capacidade da bagageira), uma referência, igualmente, para o novo e moderno painel de instrumentos, para os novos comandos e, comparativamente à geração anterior, para as melhorias registadas na posição de condução.

Importante ainda salientar o reforço do nível de segurança, uma vez que o Sandero Stepway passa a ser equipado com airbags laterais e o sistema de controlo de trajectória ESC.

MOTORES MODERNOS E ECONÓMICOS

Se o nível de equipamento do Sandero Stepway é surpreendente para o preço a que é comercializado, talvez ainda mais surpreendente é o facto de “só” estar disponível com os dois mais recentes e tecnológicos motores Renault: o bloco a gasolina TCe 90 e o novo 1.5 dCi 90. Dois motores que também beneficiam da função ECO Mode, que permite uma redução nos consumos na ordem dos 10 por cento.

Em relação ao motor a gasolina de três cilindros TCe 90, trata-se de uma unidade com 898 cm3 que está no topo da tecnologia de downsizing. O colector de turbo de baixa inércia, associado a uma distribuição variável na admissão (VVT), garante 66 kW (90 cv) às 5250 rpm. O binário de 135 Nm está disponível a baixos regimes (90% a partir das 1650 rpm). O TCe 90 consegue aliar o prazer de condução ao reduzido consumo de combustível (5,4l/100 km) e baixas emissões de CO2 (124g/km). Com este motor, a autonomia é superior aos 900 km. Um outro pormenor importante no TCe 90 é o seu baixo custo de manutenção, que graças ao seu sistema de corrente de distribuição não necessita de qualquer manutenção.

Quanto ao 1.5 dCi, trata-se da mais recente geração do comprovado bloco diesel da Renault. Um motor agora ainda mais económico e ecológico, devido ao novo sistema de injecção e ao novo turbo, que acrescentam 20 Nm ao binário, proporcionando melhores recuperações e acelerações O 1.5 dCi está disponível com uma potência de 66 kW (90 cv) e um binário de 220 Nm às 1750 rpm. Tudo isto com consumos entre os mais baixos do segmento e um impacto reduzido no ambiente. O 1.5 dCi Euro 5 apresenta 105g/km de CO2 e 4,0l/100 km no Sandero Stepway em ciclo misto. A autonomia ultrapassa assim os 1300 km.

PREÇOS SEM CONCORRÊNCIA

Com um único nível de equipamento, o Dacia Sandero Stepway é comercializado por 12.600€ com o motor TCE 90 e por 16.050€ com o motor 1.5 dCI. Ou seja, preços sem paralelo na concorrência.

A Garantia de 3 anos / 100 mil km aplica-se ao novo Dacia Sandero Stepway. Esta garantia prolonga a relação entre a Dacia e os seus clientes e demonstra aos potenciais compradores a fiabilidade dos modelos da marca.

______________________________________________________________________________________________________________________________

 

DACIA LOGAN MCV : UMA BREAK SURPREENDENTE!

Não faltam atributos à break Dacia Logan MCV… Na capacidade da bagageira e na habitabilidade não tem rival no segmento e chega a “envergonhar” segmentos superiores. Mas a proposta da marca do Grupo Renault não é apenas sinónimo de espaço e, nesse sentido, destaque para as linhas modernas, o nível tecnológico dos equipamentos e dos motores e, claro, o preço, ou não se tratasse de um Dacia… A break Logan MCV é comercializada a partir de 9.990€! Uma proposta única não “apenas” no segmento, mas sobretudo no mercado.

Num mercado em que, por tradição, os modelos break gozam de bastante popularidade, a proposta da Dacia reúne um conjunto de pressupostos que vai de encontro aos interesses de um alargado número de portugueses: umas linhas modernas, um interessante nível de equipamento, uma gama de motores moderna, económica, mas também racional, a tradicional fiabilidade e robustez da marca e… um preço verdadeiramente sem concorrência! Afinal, é a mais acessível break do segmento B, mas está ao nível do segmento C nas cotas de habitabilidade e no volume da bagageira!

Linhas modernas e elegantes!

No design, são evidentes as semelhanças com a nova geração do modelo Sandero que tem sido um enorme sucesso comercial por toda a Europa. Mas apesar de herdar a base de um compacto, a verdade é que, com quase 4 metros e meio de comprimento, a nova break Logan MCV não deixa de ter uma identidade visual muito própria e uma elegância surpreendente, com destaque para as estéticas barras no tejadilho. E, a verdade, é que a break da Dacia até tem o condão de nos remeter para os segmentos superiores e isto mesmo antes da entrada no habitáculo…

Habitabilidade e volume da bagageira recorde!

Mas depois da surpresa do contacto exterior, a surpresa do habitáculo… A primeira sensação é a de que o espaço abunda, com a frieza dos números a confirmar que não se trata de uma “simples” sensação, mas de um dado factual. As cotas de habitabilidade para os cinco passageiros são surpreendentes e o volume da bagageira não se “limita” a ser o melhor do segmento, sendo mesmo referência entre os segmentos superiores, com os seus 573 litros. Uma capacidade que pode ser aumentada com o rebatimento 1/3 e 2/3 dos bancos traseiros, condições em que pode transportar objectos até 2,7 metros de comprimento!

Por outro lado, os 16 litros de espaços para arrumação, distribuídos pelas portas dianteiras e traseiras, bem como nas bolsas e na parte superior do painel de bordo, confirmam a sua vertente prática. Algumas versões são mesmo equipadas com uma zona de arrumação suplementar na bagageira…

Habitáculo e equipamentos fazem jus à evolução da Dacia

No entanto, no habitáculo da nova break Logan MCV, não é só o espaço que impressiona… A proposta da Dacia partilha o interior do modelo Sandero, fazendo jus à evolução da marca neste domínio, sobretudo ao nível da ergonomia, da qualidade dos materiais e dos equipamentos disponíveis.

Com efeito, para a nova break Dacia Logan MCV existe uma gama de equipamentos não “apenas” funcionais, mas também modernos, com destaque para:

MEDIA NAV, um sistema multimédia completo (disponível como opção por 300 €). Com uma utilização fácil e intuitiva, o grande ecrã a cores táctil de 7 polegadas (18cm) e a página de acolhimento “Menu”, permite navegar facilmente entre diferentes funções, que incluem a tecnologia Bluetooth® e o sistema de navegação, com visualização 2D e 3D (Birdview). Os dispositivos nómadas pessoais ligam-se facilmente a uma tomada USB ou Jack, acessíveis no painel de bordo para melhor ergonomia.

Dacia Plug&Radio, simples e altamente eficaz, beneficia de um ecrã perfeitamente integrado na consola central, suficientemente grande para permitir a visualização das informações em três linhas. O Dacia Plug&Radio integra o rádio, um leitor de CD compatível com formato MP3, a tecnologia Bluetooth® e as ligações USB e Jack posicionadas no painel de bordo.

– Limitador e Regulador de velocidade: Com controlo no volante para ambas as funções e ajuste de velocidade.

Ajuda ao estacionamento traseiro: Graças aos sensores situados no pára-choques traseiro, um sinal sonoro indica ao condutor a proximidade de um obstáculo.

Equipamentos de segurança. O controlo dinâmico de trajectória (ESC) e a assistência à travagem de emergência EBA, que complementa o sistema de anti bloqueio das rodas (ABS), em termos de segurança activa; e os airbags frontais para o condutor e o passageiro, os airbags laterais frontais, o alerta visual e sonoro para o uso do cinto de segurança e os pontos de fixação ISOFIX, nos dois lugares laterais traseiros para fixação de cadeiras de bébé e de criança em termos de segurança passiva.

Uma gama de motores renovada, para um melhor rácio economia/performance

A break Dacia Logan MCV está disponível com os novos motores TCe 90 e 1.5 dCi 90, blocos altamente tecnológicos, que aliam os reduzidos consumos ao prazer de condução, mas também o comprovado 1.2 16V, embora este na versão Bi-Fuel (GPL).

O novo motor 1.5 dCi 90 incorpora a maioria das novas tecnologias da família Energy (EGR de baixa pressão, gestão térmica, etc…) que contribuem para os consumos de 3,8 l / 100 km (em ciclo misto) e emissões de CO2 de 99g/km. Valores referência no segmento, num bloco com 90 cavalos e com um binário de 220 Nm disponível a partir das 1.750 rpm.

Quanto ao TCe 90, trata-se de um revolucionário motor a gasolina de três cilindros turbo, de 899 cm3 de cilindrada, que possui as mesmas performances de um bloco atmosférico de 1.4 litros. Com um turbo de baixa inércia, debita 90 cavalos e 135Nm de binário às 2.000 rpm. Números que impressionam, até pelo facto de 90% do binário estar disponível entre as 1.650 e as 5.000 rpm. Ou seja, a par de um elevado prazer de condução, a nova break Logan MCV, reivindica (também) consumos referência de 5l / 100km (ciclo misto) e emissões de CO2 de apenas 116g/km

Além disso, a Dacia continua a promover o GPL como uma alternativa económica aos combustíveis tradicionais. O 1.2 16v 75 cv está, efectivamente, disponível na versão BI-FUEL GPL, com um custo de utilização menor e emissões de CO2 mais baixas (120 g / km em modo GPL).

Como todos os veículos a GPL na gama Dacia, o condutor escolhe conduzir em modo gasolina ou GPL graças a um mecanismo muito simples.

Com um custo no abastecimento francamente inferior, a utilização do GPL é claramente mais competitiva que os combustíveis tradicionais, cifrando-se numa economia de 320€ por cada 15 mil quilómetros percorridos, em relação a um motor exclusivamente a gasolina. 

Reduzir o consumo com a função Eco Mode

A funcionalidade Eco Mode (conforme motorização) permite que, em qualquer momento, o condutor possa optimizar o consumo de combustível.

Uma vez activada, esta função adapta certos parâmetros de condução, modificando o funcionamento do motor e o conforto térmico, nas proporções aceitáveis pelo condutor e passageiros.

Uma funcionalidade que pode gerar ganhos até 10% em matéria de consumo e emissões de CO2, conforme o estilo de condução e as condições da estrada.

Certeza da fiabilidade: 3 anos/100.000 km de garantia 

A Dacia Logan MCV, beneficia, tal como toda a restante gama Dacia de 3 anos/100.000 km de garantia contratual. Este é mais um elemento que atesta a robustez e fiabilidade da marca, o que aliás tem vindo a ser demonstrado por estudos independentes realizados, até por associações de consumidores, em toda a Europa

No fundo, a compra Dacia é, mais do que nunca, a escolha inteligente. Com a break Dacia Logan MCV, o rácio economia/performance está ainda melhor, o rácio preço/habitabilidade é inquestionável e o preço nunca foi tão atractivo.

______________________________________________________________________________________________________________________________

 

DACIA LODGY: PROPOSTA INÉDITA PARA AS FAMÍLIAS

A melhor relação M2/Preço do mercado… Acabamentos de qualidade… A solução perfeita para viver em família! Não, não se trata de nenhuma proposta imobiliária, mas apenas de alguns dos predicados associados ao Dacia Lodgy. Os outros são a excepcional habitabilidade conferida pelos 7 lugares individuais, um nível de equipamento surpreendente para o preço, motores económicos e fiáveis, a tradicional robustez Dacia e um preço a partir dos 13.190€. Sim, o de um automóvel do segmento B!

Se o Duster é uma das maiores surpresas no segmento dos SUV, o Dacia Lodgy segue-lhe as pisadas entre os monovolumes. Para além de oferecer uma relação qualidade/preço imbatível e a conhecida robustez da marca, o Dacia Lodgy alia outros predicados tão do agrado das famílias, até mesmo as mais numerosas: uma excepcional habitabilidade conferida pelos 7 lugares individuais, um habitáculo em que é facilmente percepcionada a evolução da marca em matéria de acabamentos e um nível de equipamento inédito na Dacia, com destaque para o sistema Media Nav integrado na consola. Um sistema multimédia dotado de um ecrã táctil de 7 polegadas, incluindo navegação, rádio, conectividade e telefone sem fios Bluetooth®. Isto para além do limitador de velocidade e o auxílio ao estacionamento traseiro.

Quanto a motores o Dacia Lodgy está disponível com o conhecido e reputado bloco diesel 1.5 dCi com dois níveis de potência: 90 e 110 cavalos, com o moderno motor a gasolina 1.2 TCe de 115 cavalos, bem como com o bloco 1.6 16V de 85 cavalos bi-fuel.

UM DESIGN ROBUSTO QUE PREFIGURA UMA EXCELENTE HABITABILIDADE…

Se a dianteira traduz a nova identidade visual da Dacia, é na imagem de robustez, na amplitude das superfícies vidradas e nas dimensões que o Dacia Lodgy mais sobressai. O comprimento de 4,5 metros posiciona-o no segmento dos monovolumes do segmento C, mas é em relação ao interior que muito há para dizer…

Uma vez no habitáculo do Dacia Lodgy, impressiona a sensação de espaço e a qualidade dos acabamentos. Sim, o modelo traduz a evolução registada pela marca neste domínio e isso é visível em diversos aspectos: na qualidade dos materiais, na ergonomia (por exemplo, os comandos dos vidros eléctricos dianteiros e traseiros estão agora colocados nas portas), no design moderno e funcional do painel de instrumentos, mas também na lista de equipamentos.

O Dacia Lodgy inaugurou um novo ciclo, ao disponibilizar uma gama de equipamentos que eram inéditos na marca. O Media Nav é exemplo disso mesmo. Um sistema multimédia integrado na consola central, que é composto por um ecrã táctil. Com uma utilização fácil e intuitiva, integra o rádio, o kit mãos-livres Bluetooth®, audio streaming, entradas USB e jack. Com um ecrã táctil de 7 polegadas (18cm), a página “Menu” permite navegar facilmente por entre as diferentes funções do Media Nav. Os aparelhos portáteis conectados através das entradas USB e jack podem também ser operados através dos comandos tácteis do ecrã ou com o comando sob o volante com a indicação de informações no ecrã do Media Nav. A navegação táctil e intuitiva beneficia de um grafismo 2D e Birdview (3D). Através da entrada USB e da interface web específico, os clientes podem actualizar os conteúdos da cartografia.

Mas para os clientes que não pretendem um sistema de navegação, o Dacia Lodgy oferece uma segunda solução multimédia: o Dacia-Plug&Radio, composto por um novo rádio com leitor de CD compatível MP3. A tecnologia Bluetooth®, as entradas USB e jack na consola central e os comandos no volante completam este equipamento.

Ainda em relação ao equipamento, destaque para o limitador de velocidade accionado através de um comando colocado na consola central e com comando no volante; e o sistema de auxílio ao estacionamento traseiro activado sempre que é engrenada a marcha-atrás.

Mas o Dacia Lodgy é, também, sinónimo de habitabilidade e de modularidade. A terceira fila de bancos (com dois lugares) é amovível e, neste particular, é “só” o melhor da categoria em matéria de habitabilidade, nomeadamente na distância para os joelhos (144mm) e cabeça (866mm).

A bagageira apresenta um volume de 207 dm3. Com a última fila rebatida, o volume passa para 634 dm3. Para ganhar ainda mais espaço na bagageira, a última fila pode mesmo ser retirada. Os bancos dobram-se contra as costas da segunda fila e fixam-se nos apoios de cabeça dianteiros. Nesta configuração, a bagageira beneficia então de um volume total de 1861 dm3.

Uma referência, ainda, para a existência de inúmeros arrumos (até 12 locais), com um volume total que varia entre 20,5 litros e 30 litros, consoante o nível de equipamento.

MOTORES REFERÊNCIA NO SEGMENTO

O Lodgy dispõe de uma oferta de motorizações a gasolina e diesel que corresponde às expectativas dos diferentes clientes.

TCe 115

Este moderno bloco gasolina 1.2 de 85 kW (115 cv) dispõe de injecção directa sobrealimentada. Um motor que alia o prazer de condução à economia e a reduzidas emissões de CO2, oferecendo performances comparáveis às de um motor 1.6. O binário de 190 Nm, disponível a partir das 2000 rpm, assegura excelentes recuperações. Equipado com uma caixa de velocidades manual de cinco relações, apresenta um consumo de apenas 6,2l/100 km (ciclo misto), e emissões de CO2 de 135g/km.

1.5 dCi 90 e 110

Amplamente reconhecido pela fiabilidade, performances e respeito pelo ambiente, o 1.5 dCi está disponível nas versões de 66 kW (90 cv) e 79 kW (110 cv). Com 200 Nm na versão de 90 cv e 240 Nm na versão de 110 cv, o motor 1.5 dCi apresenta dos melhores níveis de consumo do seu segmento: respectivamente 4,2l/100km (109g/km de CO2) e 4,4l/100km (116g/km de CO2) em ciclo misto. A primeira versão dispõe de uma caixa de velocidades manual de cinco relações, enquanto a segunda versão é proposta com uma caixa de velocidades manual de seis relações.

Ambos os motores beneficiam da assinatura “Dacia eco²”.

1.6 16V Bi-Fuel

Com 1.6 cc de cilindrada e 85 cavalos de potência, este bloco reivindica consumos de 6,7 l/100km em ciclo misto, com a vantagem de ser bi-fuel.

Económico na compra, económico na utilização

Tal como todos os produtos da família Dacia, o Lodgy garante custos de manutenção e de utilização particularmente competitivos, graças ao prolongamento dos intervalos de mudança de óleo, da mudança das pastilhas de travão e dos pneus. A substituição do filtro de ar efectua-se aos 80.000 km (ou de 4/4 anos) e a do filtro de gasóleo aos 60.000 km.

Em matéria de segurança activa, destaque para o sistema ABS Continental (Mark100), com um repartidor electrónico de travagem (EBV) e assistência à travagem de emergência (EBA); os travões de disco ventilados à frente de 280mm; o sistema de controlo de trajectória (ESC). No domínio da segurança passiva, o Lodgy está equipado, nos lugares dianteiros, com dois airbags condutor/passageiro, dois airbags laterais cabeça/tórax e cintos de segurança com limitadores de esforço e pré-tensores pirotécnicos no banco do condutor. O Lodgy está também equipado com três pontos de fixação Isofix nos três lugares da segunda fila, que permite colocar, de forma fácil e em segurança, cadeiras de bébé.

O Lodgy beneficia de uma garantia de 3 anos ou 100.000 km.

_________________________________________________________________________________________________________________________

 

DACIA DUSTER: A NOVA VIDA DE UM ÍCONE!

É um dos fenómenos mais recentes e um dos lançamentos mais consensuais da indústria automóvel. A fiabilidade e a robustez, a economia, o sentido prático e um preço verdadeiramente incrível para o que oferece, conferiram ao Dacia Duster uma imagem e um estatuto que poucos conseguiram antever aquando do lançamento da primeira geração. E quando chegou o novo Duster, não restaram dúvidas que a popularidade e o sucesso iam sair reforçados. Para além da imagem exterior mais apelativa, o habitáculo foi alvo de uma enorme evolução na qualidade dos materiais e nos equipamentos úteis, enquanto os motores são ainda mais económicos e ecológicos. Ou seja, o SUV da Dacia é ainda mais generoso, mas sem que isso tenha correspondência no preço… A segunda geração do Dacia Duster está disponível a partir dos 14.990€.

Na última década, os agravamentos fiscais, a vertiginosa subida dos preços dos combustíveis, a pegada ecológica e a classificação de classe 2 nas portagens, ditaram a “morte” das viaturas todo-terreno. Mas apesar do sucesso que têm conhecido, os crossover nunca preencheram ou sequer compensaram essa lacuna e a razão é fácil de justificar: não passam de “simples” automóveis urbanos ou estradistas. Mas quando, em 2010, o Dacia Duster chegou ao mercado a surpresa foi geral: passava a haver uma proposta robusta, económica na cidade, na estrada e em percursos todo-o-terreno, e… acessível. No fundo, um modelo que recuperava o espírito dos todo-o-terreno e por um preço “escandalosamente acessível” como prometia a campanha publicitária de lançamento.

Duster: o expoente dos valores da marca Dacia

Em pouco mais de três anos, o Dacia Duster construiu uma imagem que talvez nem os mais optimistas se atreveriam a prognosticar. O sucesso comercial pelos quatro cantos do globo foi enorme, ao ponto de ser um dos modelos mais vendidos do Grupo Renault. Hoje, o Duster é o símbolo da democratização do espírito de aventura. Uma proposta prática e económica, independentemente do ambiente ser urbano ou de natureza.

E, ao longo desta carreira de enorme sucesso, o Duster tornou-se no expoente máximo dos valores da marca Dacia:

– Fiável: estudos independentes, mesmo alguns recentemente publicados, colocam a marca Dacia como uma das mais fiáveis no mercado Europeu. Os 3 anos de garantia são a prova dessa fiabilidade.

– Útil: Com uma excelente habitabilidade e com todos os equipamentos indispensáveis para múltiplas utilizações

– Generoso: que oferece bastante pelo preço mais acessível do mercado

– Inteligente: porque se adapta a uma nova forma de “consumir” o automóvel. Uma oferta imbatível em termos de preço, mas que até oferece bem mais do que o indispensável.

Um verdadeiro todo-terreno

Uma das características mais marcantes do Duster é que revela aptidões de um verdadeiro todo-o-terreno, no sentido estrito da expressão. A distância ao solo de 21 cm (29,3° para o ângulo de aproximação, 23° para o ângulo ventral e 34,9° para o ângulo de saída) permite a transposição de obstáculos que não seriam, de todo, expectáveis para um automóvel desta natureza. É que para além do modo “4×2”, ideal para os percursos em asfalto até pelas vantagens ao nível dos consumos, o Duster pode ser activado com o modo “Auto”, que reparte automaticamente o binário entre o eixo dianteiro e traseiro, de acordo com as condições de aderência, podendo atingir um valor máximo de 50% sobre o eixo traseiro, mas também com o modo “Lock” para situações mais radicais, em que o sistema bloqueia electronicamente a transmissão para quatro rodas motrizes, transferindo 50% do binário, de forma permanente, para o eixo traseiro.

Um verdadeiramente novo Dacia Duster

Mas volvidos pouco mais de três anos desde o lançamento da primeira geração, chegou ao mercado um novo Dacia Duster.

A nova dianteira é o traço mais marcante da segunda geração do Duster… A nova grelha, que inclui uma nova entrada de ar, mas também os novos faróis de dupla óptica que integram as luzes diurnas, conferem uma imagem ainda mais robusta, moderna e dinâmica ao SUV da Dacia. Na traseira, o destaque vai para o novo desenho dos faróis e para a ponteira de escape cromada. Já as novas barras de tejadilho com assinatura “Duster”, as jantes especiais de 16 polegadas na cor “Dark Metal” (equipadas com pneus “Mud and Snow”) e o novo lettering “4WD” nas versões 4×4 reforçam a imagem de robustez e de aventura.

Já no interior, os progressos em relação à primeira geração são muito significativos. A qualidade dos materiais e dos acabamentos é indiscutivelmente superior e as melhorias no campo da insonorização confirmam-no. Mas as evoluções estendem-se a outros grandes detalhes: o painel de instrumentos foi completamente redesenhado, a consola central também é completamente nova e com um material muito mais agradável ao toque, os bancos são mais confortáveis e os comandos dos vidros passam a estar localizados nas portas. Por outro lado, o regulador/limitador de velocidade, os sensores de estacionamento traseiro, o termómetro de temperatura exterior, a função Eco mode (que permite uma redução nos consumos até 10%) e o indicador de mudança de velocidade (GSI – Gear Shift Indicator) também passam a fazer parte da lista de equipamentos.

Um novo Dacia Duster também mais tecnológico

Mas a evolução no habitáculo estende-se à tecnologia e, nesse sentido, o novo Dacia Duster passa a estar disponível com:

– O Dacia MEDIA NAV, um sistema multimédia e de navegação muito fácil e intuitivo. O ecrã táctil de 7 polegadas (18cm) apresenta uma página inicial que permite uma selecção intuitiva e fácil das 6 funcionalidades do sistema. O Dacia MEDIA NAV inclui a tecnologia Bluetooth e o sistema de navegação com visualização 2D e 3D (birdview). A porta USB e a ligação áudio por jack estão instaladas no painel central, para facilitar a ligação de dispositivos móveis pessoais.

– O Dacia Plug&Radio, um sistema multimédia simples e eficaz que inclui o rádio com leitor de CD compatível com a leitura de formatos MP3, ligação Bluetooth, porta USB e a ligação áudio por jack.

Uma referência, igualmente, para o facto do novo Dacia Duster ter um habitáculo ainda mais espaçoso e com espaços de arrumação adicionais com 3,3 litros de capacidade, enquanto a capacidade da mala cresceu para 475 litros, sendo capaz de transportar objectos até 2,70mts de comprimento (com o banco traseiro rebatido).

Motores modernos, económicos e tecnológicos

Um dos destaques do novo Dacia Duster é a estreia do motor TCe 125. O TCe 125 é um motor turbo de 4 cilindros de injecção directa, com uma potência de 125 cv. Um bloco que alia a potência aos baixos consumos, reivindicando valores de apenas 6,3l/100km em ciclo misto. O binário máximo de 205Nm está integralmente disponível entre as 2000 e as 3000 rpm, permitindo assim acelerações rápidas e excelentes recuperações. O TCe 125 permite uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 9,6 segundos. Este motor está acoplado a uma caixa manual de seis relações e está disponível na versão de duas rodas motrizes. As emissões de CO2 são de 145g/km; enquanto a corrente de distribuição não carece de manutenção ou substituição ao longo de toda a vida do motor.

Quanto a propostas diesel, o novo Dacia Duster está disponível com duas versões do motor 1.5 dCi: 90 cv e de 110 cv. Um bloco unanimemente reconhecido pela fiabilidade e performances e que é associado a uma caixa manual de seis velocidades. O 1.5 dCi de 90 cv está disponível nas versões 4X2 com um consumo, em ciclo combinado, de 4,7l/100km e emissões de CO2 de apenas 123g/km. Já o motor de 110 cv tem um consumo de 4,8L e emissões de CO2 de 127g/km, nas versões 4X2. Nas versões de tracção integral os consumos são de 5,1l/100km e as emissões de 135g/km.

Uma referência final para o motor 1.6 16v com 105 cv, agora apenas disponível na versão bi-fuel (gasolina e GPL) que proporciona uma redução dos custos de utilização e menores emissões de CO2. Em ciclo misto, o consumo deste motor é de 7,2l/100km a gasolina e de 9,0l/100km para o GPL e as emissões de CO2 são respectivamente de 165 e 145g/km. A versão bi-fuel está disponível, no Novo Duster, na versão de duas rodas motrizes e com uma caixa manual de cinco velocidades.

Certeza da fiabilidade: 3 anos/100.000 km de garantia 

O novo Dacia Duster beneficia, tal como toda a restante gama Dacia de 3 anos/100.000 km de garantia contratual. Este é mais um elemento que atesta a robustez e fiabilidade da marca, o que aliás tem vindo a ser demonstrado por estudos independentes realizados, até por associações de consumidores, em toda a Europa.

____________________________________________________________________________________________________________________________

 

DACIA DOKKER VAN – O PEQUENO FURGÃO COM PRESTAÇÕES DE TOPO A UM PREÇO IMBATÍVEL

A racionalidade no mundo empresarial talvez nunca tenha sido tão importante como nos dias de hoje. E se, não raras vezes, a racionalidade implica concessões, a verdade é que há uma proposta que contraria a “lógica” e que parece feita à medida do mundo empresarial, independentemente da dimensão e da especificidade do negócio. Dá pelo nome de Dacia Dokker Van e é “só” o mais acessível pequeno furgão do mercado, mas também o mais económico, a que se juntam atributos referência do segmento: capacidade de carga, modularidade, versatilidade e até modernidade. Equipado com o comprovado motor 1.5 dCi 90, o Dacia Dokker Van é comercializado a partir do incrível preço de 8.853,66€(*).

Inimaginável! O recurso ao superlativo está relacionado com o preço a que é proposto o Dacia Dokker Van. O Dacia Dokker Van é, claramente, a proposta mais acessível do mercado, mas também a mais apelativa, até pelo facto de estar no topo do segmento em capacidade de carga, tecnologia do motor, versatilidade e até na modernidade dos equipamentos.

Ou seja, o Dokker Van é fiel ao posicionamento e aos valores da marca Dacia. Um pequeno furgão prático, fiável, robusto, de elevadas prestações e com um preço sem concorrência, que beneficia, ainda, do know-how da Renault na concepção e desenvolvimento de Veículos Comerciais Ligeiros, onde a marca é líder de mercado na Europa (e em Portugal) ininterruptamente desde 1998.

O Dokker Van, tal como toda a gama Dacia, beneficia de uma garantia contratual de 3 anos / 100.000 km.

CONCEBIDO PARA SER FUNCIONAL

O nome «Dokker» resulta da contracção da palavra Inglesa «dockworker», que designa a função de estivador. Uma designação que está de acordo com a grande capacidade de carga, mas também robustez e modularidade do Dokker Van.

As linhas e as dimensões do Dacia Dokker Van, – com um comprimento de 4,36m, 1,75m de largura e 1,81m de alturarevelam, desde logo, a excelente capacidade de carga. Um sentimento que sai reforçado pela largura das portas laterais deslizantes e pelas portas traseiras assimétricas, que deixam antever um fácil acesso à caixa de carga.

O Dokker Van tem, também, o mesmo ar de família dos mais recentes modelos da marca Dacia e que transparece através do novo design da grelha e dos faróis dianteiros. Este design mais moderno, estreado no Dacia Lodgy, exprime a qualidade e a robustez, valores fundamentais da marca.

Também no interior o Dokker Van recupera as mais recentes evoluções da gama Dacia.

O painel de bordo moderno e funcional integra os mostradores estreados no Dacia Lodgy e o sistema multimédia Media Nav.

A ergonomia também não foi esquecida, com novos comandos para os faróis e para o limpa pára-brisas. E, tal como no Lodgy, os comandos dos vidros eléctricos encontram-se colocados nas portas.

100 % ÚTIL

Graças às suas dimensões exteriores (comprimento: 4,36 m, largura: 1,75 m e altura: 1,81 m), o Dacia Dokker oferece um volume de carga de 3,3 m3 e um comprimento total de carga de 1,9 m, que o colocam no topo da categoria. E, estes números, desde logo impressionantes, podem ainda ser incrementados com a opção Dacia Easy Seat, em que o banco do passageiro pode ser rebatido e colocado junto ao porta-luvas, libertando assim um comprimento total de carga de 2,42 m. Este banco pode inclusivamente ser removido, libertando assim um volume de carga de 3,9 m3 e o carregamento de objectos com um comprimento superior a 3 metros (comprimento total de 3,11 m). Estes dados colocam o Dokker Van no topo da capacidade de carga e de funcionalidade do segmento.

Mas há outro dado que torna imbatível a funcionalidade do Dacia Dokker Van: a carga útil de 750 kg.

O Dacia Dokker Van possui uma porta lateral deslizante e a segunda porta está disponível como opção. As portas traseiras assimétricas abrem-se num ângulo de 180°, através de um sistema que impede que se fechem de forma repentina, devido, por exemplo, a um golpe de vento. As portas laterais e traseiras podem ainda ser vidradas, como opção.

O Dokker Van capitaliza também sobre o know-how da Renault para o desenvolvimento de adaptações complementares destinadas a utilizações profissionais específicas. Através de protocolos formalizados com uma rede de transformadores, estão desde já disponíveis várias transformações para o Dokker Van, de que são exemplo: ambulância, caixa isotérmica ou frigorífica e transporte de pessoas de mobilidade reduzida.

EQUIPAMENTOS MODERNOS A BORDO

Media Nav, a tecnologia funcional e simples

Integrado na consola central, o sistema multimédia Media Nav (disponível como opção) é composto por um ecrã táctil de 18 cm (7’’) e combina a navegação, o rádio e a ligação “mãos livres” Bluetooth®.

O ecrã de acolhimento permite navegar de forma simples nos 6 «universos» do Media Nav. Na fachada, as entradas USB e jack permitem a ligação de aparelhos nómadas que podem ser controlados no ecrã táctil ou nos comandos sob o volante.

A navegação táctil possui um grafismo 2D ou Birdview (3D). Através da ligação USB e ao interface específico (www.dacia.naviextras.com), os clientes podem actualizar ou enriquecer a cartografia do sistema.

O Dacia Dokker Van dispõe também de novos equipamentos de ajuda à condução, como o limitador de velocidade e o radar de estacionamento traseiro.

TAMBÉM NA DINÂMICA, NO TOPO DO SEGMENTO

Amplamente reconhecido pela fiabilidade, desempenhos e reduzido custo de utilização, o motor 1.5 dCi está disponível no Dokker Van na configuração de 90 cv. Com um binário de 200 Nm, disponível desde as 1.750 rpm, o motor dCi 90 cv confere um excelente dinamismo ao Dokker Van. Mas, tão ou mais importante, com um consumo em ciclo misto de apenas 4,5 l / 100 km e emissões de CO2 de 118 g/km, o Dokker Van coloca-se, também neste capítulo, no topo do segmento.

O Dokker Van assenta na nova plataforma M0 (estreada com o Lodgy). O trem dianteiro do tipo Pseudo MacPherson é comum aos restantes membros da família Dacia. O trem traseiro, de eixo flexível e deformação programada é o mesmo do Renault Kangoo.

Esta arquitectura permite reforçar a estabilidade do Dokker Van, garantindo que não existem diferenças entre o rolamento da carroçaria com o automóvel vazio ou carregado.

O Dokker Van possui, ainda, uma altura ao solo de 186 mm, que lhe permite desafiar qualquer tipo de estrada.

O Dacia Dokker Van dispõe do mesmo sistema de travagem do Dacia Lodgy, que integra o ABS com repartidor electrónico de travagem e Assistência à Travagem de Urgência. O sistema de controlo de trajectória (ESC) da última geração está disponível como opção.

FIABILIDADE E QUALIDADE DA DACIA REFORÇADA PELA EXPERIÊNCIA DA RENAULT

O Dokker Van possui nos seus genes a fiabilidade e a robustez da Dacia, reconhecido pelos seus clientes e pela imprensa, aos quais adiciona a experiência da Renault como líder Europeu, nos Veículos Comerciais Ligeiros, desde 1998.

O Dokker Van foi desenvolvido tendo por base um caderno de encargos com as mesmas exigências dos comerciais ligeiros da Renault. O trem dianteiro do tipo pseudo MacPherson é reforçado para corresponder às exigências da Renault para os seus Veículos Comerciais. O trem traseiro é o mesmo do Renault Kangoo, reconhecido pelas suas qualidades de conforto, robustez e, sobretudo, pela sua adaptação às condições de carga.

O Dacia Dokker Van foi submetido aos mesmos testes específicos que são utilizados nos Comerciais Ligeiros da Renault, que simulam as utilizações mais agressivas, de forma a assegurar uma robustez e uma fiabilidade sem falhas.

Também, por isso, o Dacia Dokker Van beneficia da garantia contratual de 3 anos / 100 000 km, tal como todos os restantes modelos da Dacia.

 

(*) IVA não incluído