ENÓLOGO ANSELMO MENDES DISTINGUIDO COMO PERSONALIDADE DO ANO NA POLÓNIA

  • O “Senhor Alvarinho”, “referência mundial na produção de vinho verde”, foi surpreendido com prémio atribuído pela revista Magazyn Wino.
  • A marca Anselmo Mendes exporta 60% da sua produção para 23 países.
  • Como consultor, Anselmo Mendes colabora em nove projectos distintos, incluindo no Brasil; em Portugal o seu nome está ligado à produção de 3 milhões de garrafas/ano.

 

Monção, 5 de Novembro de 2014

Anselmo Mendes, enólogo, produtor e um dos nomes de referência na internacionalização dos vinhos portugueses, foi distinguido na Polónia com o prémio Personalidade do Ano 2014, pela revista Magazyn Wino, uma das mais prestigiadas publicações polacas para o sector do vinho.

Para além de um novo reconhecimento internacional, o prémio traduz o impacto que os vinhos verdes de Anselmo Mendes conquistam num mercado cada vez mais atento aos vinhos internacionais. A Magazin Wino também promoveu um concurso em que avaliou 400 vinhos de 30 produtores distintos e Anselmo Mendes acabou por ser novamente distinguido com uma Medalha de Prata para o seu Muros Antigos Alvarinho 2013, na categoria para Melhor Vinho Branco até 24 euros.

“Fui completamente surpreendido por esta distinção na Polónia e não podia ficar mais feliz porque, acima de tudo, é mais um reconhecimento do potencial dos vinhos verdes pelo mercado internacional e, em particular, da extraordinária casta que é o nosso Alvarinho, capaz de impor-se em qualquer mercado; acredito que vamos continuar a crescer, chamando também a atenção para as castas Loureiro e Avesso”, afirma Anselmo Mendes.

Portugal exporta mais de 50 por cento da produção de Vinhos Verdes, num volume de negócios que tem vindo a crescer nos últimos anos e que em 2013 representou 44 milhões de euros. Anselmo Mendes exporta 60 % da sua produção total –  400.000 garrafas – e a Polónia é apenas um dos 23 países onde estão presentes os vinhos da sua marca, nomeadamente os que nascem da sua casta de eleição, o Alvarinho, a mais nobre das castas brancas portuguesas e que na sub-região de Monção e Melgaço se exprime de forma excepcional.

Natural de Monção (1962), Anselmo Mendes conviveu desde cedo com a vinha e com o potencial da casta Alvarinho, assumindo-a como alvo de experimentação e alcançando resultados que o levaram a ser conhecido como o “Senhor Alvarinho”. Para a crítica internacional, os vinhos de Anselmo Mendes atingiram níveis de excelência e de consistência que o colocam “entre os melhores enólogos portugueses” (Parker’s Wine Buyer’s Guide), ou que o tornam “uma das referências mundiais na produção de vinho verde” (Wine Enthusiast). Robert Parker, reconhecido como o melhor crítico de vinhos do Mundo, definiu Anselmo Mendes como “produtor de excelência” e atribuiu ao seu Parcela Única Alvarinho a nota mais alta já registada por um Alvarinho.

Em Portugal, Anselmo Mendes foi eleito pelo Expresso, em 2012, uma das 100 personalidades mais influentes do País. Em 1998, a Revista de Vinhos destacou-o como enólogo do ano e, em 2011, como Produtor do Ano.

A sua influência estende-se para lá dos Vinhos Verdes. Anselmo Mendes desenvolve produção própria, mas é ainda consultor de enologia em nove projectos distintos, nas regiões do Douro, Bairrada, Beira-Interior, Lisboa e Alentejo, e ainda no Brasil. Em Portugal, acaba por estar ligado a cerca de 3 milhões de garradas produzidas anualmente por todo o País.

 

Sobre Anselmo Mendes

Nasceu em Monção, em 1962, numa família ligada à agricultura e à vinha. Licenciado em Engenharia Agro-Industrial, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, começou a carreira de enólogo em 1988, na Região dos Vinhos Verdes, dedicando particular atenção ao potencial da mais nobre casta branca portuguesa: o Alvarinho. Com uma pós-graduação em enologia na Escola Superior de Biotecnologia do Porto, da Universidade Católica Portuguesa, Anselmo Mendes seria reconhecido em Portugal como Enólogo do Ano, em 1998, apenas dez anos depois de começar a sua carreira. A Revista de Vinhos também o considerou Produtor do Ano (2011) e o semanário Expresso incluiu-o em 2012 na lista de 100 personalidades mais influentes do País. Apaixonado pelo estudo das particularidades que cada casta exprime em diferentes solos e climas, Anselmo Mendes reconhece a sub-região de Monção e Melgaço como palco de excelência para a produção de Alvarinho e desenhou vinhos como o Muros Antigos Alvarinho 2008, considerado o melhor vinho branco português e o melhor Alvarinho do Mundo. O reconhecimento nacional e internacional dos vinhos verdes, construído ao longo das duas últimas décadas, confunde-se com a sua carreira.