Instituto Português de Fotografia inaugura ciclo de palestras “Anos Depois” com Gonçalo Villaverde

  • Amanhã (dia 21 de fevereiro), o IPF – Instituto Português de Fotografia inicia o ciclo mensal de palestras “Anos Depois”
  • O fotojornalista Gonçalo Villaverde vai apresentar o seu percurso pessoal através de imagens, numa iniciativa que marca o 50.º aniversário do IPF

 

O fotojornalista Gonçalo Villaverde é o primeiro convidado do ciclo mensal de palestras “Anos Depois”, uma das iniciativas que vão assinalar o 50.º aniversário do IPF – Instituto Português de Fotografia, que se comemora ao longo do ano de 2018.

A palestra terá lugar amanhã (dia 21 de fevereiro), às 18h00, no IPF, que se situa na Rua da Ilha Terceira, 31A, em Lisboa. A entrada é livre.

O ciclo “Anos Depois” é um espaço onde antigos formandos do IPF são convidados a apresentar o seu percurso pessoal através de imagens. O resultado é uma reflexão sobre a procura de caminhos fotográficos, profissionais ou autorais, que revelam as escolhas, os interesses e a experiência de quem decidiu fazer vida da arte da fotografia.

Nascido em Lisboa, em 1979, Gonçalo Villaverde foi aluno do Instituto Português de Fotografia entre 2006 e 2008. A conclusão do curso profissional com distinção abriu-lhe as portas para um estágio no jornal “Diário de Notícias”. Desde então, trabalha como fotojornalista freelancer, numa primeira fase exclusivamente para o “Diário de Notícias” e atualmente para a Global Imagens, agência responsável pela fotografia dos jornais “Diário de Notícias”, “Jornal de Notícias”, “O Jogo” e das revistas “Notícias Magazine” e “Evasões”, entre outras. É também colaborador do grupo Impresa, que publica o jornal “Expresso”.

O seu trabalho autoral pretende explorar a imagem fotográfica numa vertente artística, trabalhando no limiar entre a realidade e o abstrato, entre o plural e o singular. Numa procura constante pelo olhar pictórico, mistura o direto e o indireto no multifacetado mundo quotidiano. O seu olhar aponta em simultâneo para direções opostas, para realidades paralelas, complementares ou antagónicas, sempre em busca de romper com o lógico e dar voz ao mundo do abstrato.

Criado em 1968, o IPF – Instituto Português de Fotografia é a mais antiga instituição dedicada à área em Portugal, orgulhando-se de ter formado alguns dos mais prestigiados e galardoados fotógrafos nacionais. O ciclo mensal de palestras “Anos Depois” é uma de várias iniciativas que vão ser desenvolvidas para comemorar o cinquentenário da instituição.

 

Mais informações em:

www.ipf.pt/site/anos-depois-goncalo-villaverde e www.facebook.com/events/192022431549988

 

Sobre o Instituto Português de Fotografia

Com 50 anos de experiência na formação em fotografia, o Instituto Português de Fotografia (IPF) é a mais antiga e prestigiada instituição dedicada à área em Portugal. Neste meio século de ensino de excelência, dedicou-se ainda à promoção dos seus formandos. O IPF é a solução para quem aspira ser profissional da fotografia ou o recurso para os muitos amantes da fotografia que desejam evoluir ou simplesmente potenciar o equipamento de que dispõem, seja uma câmara fotográfica ou um smartphone. Dispõe de uma ampla oferta formativa, inclusivamente para os mais novos – há formações orientadas para crianças a partir dos seis anos de idade.

Com sede em Lisboa e instalações na cidade do Porto, o IPF é reconhecido pelo Instituto Português da Qualidade (IPQ) como Organismo de Normalização Sectorial para a Fotografia em Portugal e como instituição de formação tem o reconhecimento da DGERT (Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho), sendo ainda membro permanente na ISO, representando Portugal no seu comité de fotografia. Ao longo do seu percurso, organizou inúmeras ações de formação por todo o país, não excluindo a ilhas. As formações IPF estão abertas a pessoas de todas as nacionalidades, tendo recebido já formandos da China, Japão, Rússia, Finlândia, Noruega, Itália, Inglaterra, Holanda, França, Suíça, Espanha, Angola, Moçambique, Colômbia, México, Brasil, Canadá e EUA.

 

Deixe uma resposta