Instituto Português de Fotografia recorda o que era a zona oriental de Lisboa antes da Expo’98

  • Entre 1993 e 1995, alunos do IPF fotografaram as pessoas e os sítios que iriam ser transformados na Expo’98.
  • Sessão no Arquivo Municipal de Lisboa, a 26 de maio, vai revisitar o projeto com alguns dos seus autores.

 

Durante os anos de 1993 a 1995, alunos do Instituto Português de Fotografia (IPF) abraçaram o projeto de fotografar os terrenos do que seria a futura Expo’98, em Lisboa. Foi feito um registo fotográfico dos habitantes, do espaço e das empresas que ali existiam, antes de terem início as construções daquilo que hoje conhecemos como Parque das Nações. O projeto resultou numa exposição no Ministério das Finanças, em 1998, e culminou, em 2001, com a edição de uma publicação de seis tomos, intitulada “Oceanos, Caminhos na Terra”.

Duas décadas depois da Expo’98, e numa altura em que o IPF celebra o seu 50.º aniversário, a sessão “Oceanos, Caminhos na Terra” vai revisitar este projeto dos alunos do IPF. No dia 26 de maio, pelas 16h30, no Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico (Rua da Palma, 246), irão estar presentes alguns dos antigos formandos do IPF que participaram com fotografias suas na publicação, assim como o responsável pelo acompanhamento do projeto na altura e pelo menos dois dos autores dos textos inseridos na publicação.

Será uma oportunidade única para rever, agora com alguma distância temporal, o processo, as imagens e o território que tão profundas mudanças sofreu.

Esta iniciativa do IPF foi apresentada ao Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico, uma vez que esta entidade ficou responsável, no ano passado, pelo espólio fotográfico da Parque Expo.

A entrada é livre.

 

Sobre o Instituto Português de Fotografia

Com 50 anos de experiência na formação em fotografia, o Instituto Português de Fotografia (IPF) é a mais antiga e prestigiada instituição dedicada à área em Portugal. Neste meio século de ensino de excelência, dedicou-se ainda à promoção dos seus formandos. O IPF é a solução para quem aspira ser profissional da fotografia ou o recurso para os muitos entusiastas da fotografia que desejam evoluir ou simplesmente potenciar cialis prix o equipamento de que dispõem, seja uma câmara fotográfica ou um smartphone. Dispõe de uma ampla oferta formativa, inclusivamente para os mais novos – há formações orientadas para crianças a partir dos seis anos de idade.

Com sede em Lisboa e instalações na cidade do Porto, o IPF é reconhecido pelo Instituto Português da Qualidade (IPQ) como Organismo de Normalização Sectorial para a Fotografia em Portugal e como instituição de formação tem o reconhecimento da DGERT (Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho), sendo ainda membro permanente na ISO, representando Portugal no seu comité de fotografia. Ao longo do seu percurso, tem organizado inúmeras ações de formação por todo o país, não excluindo a ilhas. As formações IPF estão abertas a pessoas de todas as nacionalidades, tendo recebido já formandos da China, Japão, Rússia, Finlândia, Noruega, Itália, Inglaterra, Holanda, França, Suíça, Espanha, Angola, Moçambique, Colômbia, México, Brasil, Canadá e EUA.

 

 

Deixe uma resposta