Luso Lynx somam primeiras vitórias na Liga Andaluza 2019/2020

  • EQUIPA PORTUGUESA DE HÓQUEI NO GELO COMEÇA COMPETIÇÃO EM SEGUNDO LUGAR

Os Luso Lynx entraram com o patim direito na Liga Andaluza de Hóquei no Gelo, tendo somado duas vitórias nos três jogos da primeira jornada da competição, concluída hoje em Granada. A equipa portuguesa ocupa agora a segunda posição da prova.

O primeiro jogo, na sexta-feira, foi uma prova de fogo para aquela que é a primeira equipa portuguesa reconhecida pela Federação de Desportos de Inverno de Portugal, culminando numa derrota frente aos Granada Grizzlies, equipa constituída por vários jogadores que já militaram em equipas profissionais, conforme explica Cristina Lopes, diretora desportiva dos Luso Lynx: “Foi um jogo duro, com uma equipa muito forte, constituída por ex-profissionais, ao passo que na nossa equipa tivemos de trazer vários jogadores com menos experiência. O adversário tem ainda a grande vantagem de dispor de um pavilhão de gelo todo o ano para treinar, enquanto no nosso caso alguns jogadores nunca tinham pisado gelo e outros não o faziam há cerca de um ano.”

O resultado acabou, ainda assim, por ser positivo, com grande exibição dos dois guarda-redes portugueses, que detiveram a maior parte dos 77 remates com que os Granada Grizzlies miraram a baliza lusa. Especial destaque para Ivan Silva, de 22 anos, que assinou uma exibição de grande nível.

No sábado, contudo, a vitória haveria de sorrir à equipa portuguesa, frente aos Grizzlies, equipa sub-21 de Granada, que os Luso Lynx bateram por 7-3, num ainda jogo marcado pela lesão de Kevin Hortinha. O jogador dos Lynx foi rasteirado e magoou-se na cabeça depois de o seu capacete ter saltado, tendo sido suturado com 12 pontos mas sem mais consequências que inspirem cuidado.

Hoje, domingo, a vitória acabaria por surgir por impedimento da equipa dos Costa Bulls que faltaram ao desafio por inultrapassáveis razões logísticas.

O treinador da equipa e selecionador nacional, Jim Aldred, faz um balanço bastante positivo: “Estou muito contente com resultado final e a evolução demonstrada. Esta é a primeira equipa portuguesa oficial de hóquei no gelo e tem muito potencial para crescer à medida que mais pessoas se envolverem.”

Perspetiva partilhada por Cristina Lopes: “Notou-se uma diferença incrível nos jogadores de jogo para jogo e no treino final que levámos a cabo hoje. Não trouxemos os jogadores habituais mas o entrosamento e a maneira como se adaptaram ao gelo, e ao estilo de jogo dos companheiros, deixa antecipar coisas boas para o futuro. É também por constatarmos essa evolução que insistimos muito num rinque de gelo permanente em Portugal.”

A construção de um rinque de gelo permanente é, aliás uma reivindicação dos responsáveis e jogadores de hóquei no gelo que treinam regularmente com patins em linha em pavilhões como o do Hockey Clube de Sintra.

Refira-se finalmente que a Liga Andaluza decorre até Maio e realiza playoffs finais em Junho.

Sobre a Federação de Desportos de Inverno de Portugal

Há registos que apontam para a introdução do esqui em Portugal por volta de 1918. A partir de 1933 começaram a ser organizadas, com caráter regular, as primeiras competições, o que também resultou nas primeiras participações pontuais de atletas portugueses em olimpíadas de inverno.

No entanto, apenas na última década do século XX, mais concretamente a 15 de maio de 1992, é que foi criada uma federação responsável pela regulamentação dos desportos de inverno em Portugal: a Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDI-Portugal). A autoridade nacional em matéria de desportos relacionados com a neve e gelo tutela as seguintes modalidades: Esqui Alpino, Esqui Nórdico, Esqui Freestyle, Snowboard, Curling, Hóquei no Gelo, Bobsleigh, Skeleton e Luge.

Uma organização sem fins lucrativos, dotada de estatuto de utilidade pública desportiva, com sede na Covilhã, que tem como principais objetivos promover, regulamentar e dirigir, a nível nacional, a prática de desportos relacionados com a neve e gelo, nas vertentes formativa, desportiva e cultural. Cabe também à FDI- Portugal representar o seu conjunto de modalidades desportivas, junto das organizações desportivas nacionais e internacionais.