Miguel Arraiolos e Melanie Santos no “top 10” na Taça do Mundo de Huatulco

  • Portugueses somam pontos decisivos para a qualificação olímpica e levam a discussão do apuramento para o Mundial do Japão

Miguel Arraiolos e Melanie Santos deram mais um passo na luta por um lugar nos Jogos Olímpicos, somando dois resultados importantes na Taça do Mundo de Huatulco (México). Os triatletas portugueses alcançaram a 10ª e 8ª posições, respectivamente, levando agora para o Mundial do Japão, dentro de uma semana, a discussão final do acesso ao Rio de Janeiro

Em Huatulco, o outro português em prova, Filipe Azevedo, que não está nas contas do apuramento, não terminou a prova, vítima de um furo enquanto disputava o segmento de ciclismo.

Os dois resultados de Miguel e Melanie mantém em aberto a possibilidade de Portugal contar com quatro atletas nacionais na prova olímpica do Rio, já que João Pereira e João Silva já se encontram apurados. Um feito que, a confirmar-se, seria inédito na História da modalidade.

Miguel Arraiolos fez uma prova bastante homogéna (01h 59m 35s), assumindo que se sentiu bem “em todos os segmentos”.

“Nadei bem, encaixado no grupo principal. No ciclismo, apesar do percurso ser muito exigente, com uma subida muito difícil, consegui chegar à transição para a corrida em boas condições”, conta Miguel Arraiolos, confessando o impacto do calor abrasador (34 graus centígrados com 75 por cento de humidade) no último segmento:

“Na corrida é que se sentiu mais o calor. Saí muito bem e ganhei distância nos primeiros cinco quilómetros mas acabei por pagar um pouco a factura na segunda metade da corrida. Mas, no final, posso dizer que foi um bom resultado e que me senti muito bem.”

A etapa foi ganha pelo francês Etienne Diemunsch, que terminou em 01h 58m 23s.

Na prova feminina, ganha pela suíça Jolanda Annen (02h 14m 06s), Melanie Santos teve igualmente uma prestação de nível (02h 15m 11s), chegando a espreitar o “top 5”, igualmente em condições climatéricas muito difíceis.

A própria Melanie Santos descreve assim a sua prova, escassos minutos depois de cruzar a meta mexicana numa chegada em analisada ao “photo finish”, para apurar se a portuguesa era sétima ou oitava classificada:

“Nadei forte e encaixei no primeiro grupo. Tentámos manter a fuga na bicicleta mas na terceira volta de ciclismo fomos apanhados e tudo se decidiu a correr.”

Falando acerca do objectivo Rio de Janeiro, Melanie, uma das atletas revelação deste processo olímpico que termina dia 15, com a WTS de Yokohama, considerou:

“O oitavo é bastante bom mas ainda não é suficiente para garantir nada. Tudo está em aberto até Yokohama e aí espero arrumar esta questão da melhor forma.”

A etapa da WTS de Yokohama terá lugar no dia 14, véspera da data de encerramento oficial do processo de qualificação para os Jogos Olímpicos.