Miguel Arraiolos e Melanie Santos tentam somar pontos para os Jogos Olímpicos do Rio

Dupla nacional enfrenta concorrência de peso na Nova Zelândia

Miguel Arraiolos e Melanie Santos competem, na madrugada portuguesa de sábado para domingo, em New Plymouth (Nova Zelândia), na segunda Taça do Mundo do calendário da ITU — International Triathlon Union — frente a uma concorrência de peso, onde se destacam alguns dos melhores nomes do triatlo mundial, nomeadamente na start list feminina, em que ressalta o nome da bicampeã mundial Gwen Jorgensen.

Os dois portugueses fazem parte de um trio orientado pelo técnico da Federação de Triatlo de Portugal (FTP) Lino Barruncho e que, desta vez, surge desfalcado de João Pereira, pois o atleta do Benfica, sétimo do “ranking” de apuramento olímpico, portanto, garantido no Rio de Janeiro, prefere apostar na prova do Campeonato do Mundo, na Gold Coast (Austrália), daí a uma semana.

Miguel Arraiolos e Melanie Santos estão no lote de atletas da FTP integrados no projecto olímpico e é precisamente com o objectivo de estarem nos Jogos do Rio que se econtram há cerca de um mês a treinar e competir na Oceania.

Depois de terem competido na Taça do Mundo de Mooloolaba há três semanas — e em que João Pereira se destacou com um terceiro lugar —, Miguel e Melanie atacam agora a Taça do Mundo de New Plymouth com o objectivo primordial de ganhar pontos à concorrência directa para o apuramento olímpico.

Relativamente a sonhos mais altos, a tarefa apresenta-se muitíssimo complicada, com start lists “muito carregadas”, conforme explica o técnico Lino Barruncho:

“Vamos ter start lists muito carregadas, o que não surpreende, pois estamos em ano olímpico e vai ser assim até final da fase de apuramento, dia 15 de Maio.”

Uma constatação ilustrada pela supracitada Gwen Jorgensen que não competia em provas de Taça do Mundo desde 2014. Mas a norte-americana surge acompanhada de nomes como a da neozelandesa Andrea Hewitt, vice-campeã mundial em 2015, entre muitas outras, que prometem uma corrida muitíssimo competitiva.

Melanie Santos não terá, assim, vida fácil em New Plymouth mas desvaloriza, preferindo focar-se no seu próprio trabalho:

“A seguir a Mooloolaba fizemos mais duas semanas a treinar forte e começamos a descansar esta semana. Sinto-me muito mais adaptada e forte. Sinto que progredi desde as últimas provas. As expectativas para New Plymouth serão as mesmas das outras duas provas. Apenas me sinto melhor e quero tirar proveito disso para conseguir um bom resultado.”

Na prova masculina, face à ausência do espanhol Mario Mola, o sul-africano Richard Murray aparece como o atleta mais cotado de um lote também muito forte.

Miguel Arraiolos não tem quaisquer expectativas, até porque esta será, à semelhança de Melanie, a sua estreia em New Plymouth:

“Nunca nenhum de nós foi a New Plymouth por isso as informações que temos da prova são poucas, só sabemos que o percurso de bike é um pouco mais duro que o normal. Quanto ao que espero alcançar nesta prova, assumo que parto sem expectativas. Vou dar o meu melhor e logo veremos o que sai…”

 Miguel Arraiolos teve um percalço no treino prévio a esta prova ao cair de bicicleta. Um incidente que condicionou o seu treino durante 3 dias mas que está completamente ultrapassado, assegura o técnico Lino Barruncho.