Novas colheitas Dory: os vinhos bandeira da AdegaMãe, ou uma grande marca para o dia-a-dia

EMPRESA DO ANO NO SECTOR DO VINHO LANÇA DORY BRANCO 2015 E DORY TINTO 2014

 

  • Foi num evento muito especial a bordo do Creoula (o antigo bacalhoeiro inspirou a imagem da marca Dory) que a AdegaMãe antecipou as novidades que agora chegam ao mercado. Frescura e potencial gastronómico são as notas dominantes das novas colheitas Dory, grandes vinhos desenhados para o consumo no dia-a-dia, em especial para acompanhar a gastronomia do Verão.

 

Torres Vedras, 28 de Julho de 2015

A imagem do rótulo diz tudo: um pescador português entregue ao seu dóri, na pesca do bacalhau, e ao fundo o bacalhoeiro Creoula. Foi a bordo deste mesmo Creoula, hoje navio da Marinha Portuguesa, que a AdegaMãe antecipou no último fim-de-semana as novas colheitas da sua marca de referência, Dory. Vinhos frescos e de inspiração atlântica que evocam, também, toda a epopeia da pesca do bacalhau, ou não fosse a AdegaMãe uma empresa do Grupo Riberalves.

João Alves, precisamente o fundador da Riberalves, e o seu filho mais novo, Bernardo Alves (que assumiu a direcção da nova área de negócio) partilharam com parceiros e amigos os novos Dory Branco 2015 e Dory Tinto 2014 acabados de lançar no mercado. Foi um evento carregado de simbolismo, em pleno Creoula, um dos navios presentes na The Tall Ships Race, competição que teve como vinho oficial precisamente a AdegaMãe. O palco ideal, portanto, para apresentar as colheitas destes vinhos que são já a principal imagem da casa de Torres Vedras e que, pela qualidade e preços apresentados, apontam a um claro objectivo: ser referência no mercado para o consumo no dia-a-dia.

“Os vinhos Dory são os vinhos bandeira da AdegaMãe, um projecto recente mas já alvo de grande reconhecimento. Fomos distinguidos Empresa do Ano no sector e temos um objectivo muito concreto: fazer com que a marca Dory, que se tem afirmado pela sua qualidade, seja cada vez mais reconhecida como uma grande marca nacional. Temos o potencial para isso e vamos continuar a fazer tudo para cumprir esse potencial”, afirma Bernardo Alves.

Diogo Lopes, enólogo da AdegaMãe, destaca o carácter versátil e gastronómico destes dois vinhos, muito marcados pela influência do clima atlântico. “São vinhos muito frescos e quase gulosos. Tanto o Dory Branco, principalmente com os pratos de peixe e marisco, como o Dory Tinto, com as carnes e saladas, são companhias perfeitas para as nossas refeições, especialmente no Verão”, explica. “A forma como temos vinho a trabalhar os vinhos Dory e o modo como têm sido recebidos, no mercado nacional e internacional, deixa-nos muito orgulhosos”, termina Diogo Lopes, passando a uma apresentação mais técnica de cada referência:

 

DORY COLHEITA BRANCO 2015

“As castas Viosinho e Alvarinho – esta última em estreia – assumem um papel preponderante no lote do Dory Colheita Branco, temperado ainda com Arinto e Viognier. As expressões atlânticas das nossas uvas, especialmente do Viosinho e do Alvarinho, acentuam as notas de iodo, salinas, em linha com aquilo que tem vindo a ser o perfil de máxima frescura deste vinho, mas agora talvez num plano ainda mais distinto e arrojado. É seguramente um dos melhores vinhos do segmento”.

 

CASTAS: Viosinho, Alvarinho, Arinto e Viognier

NOTA DE PROVA: Aroma muito fino e elegante, com notas de toranja, pêssego branco e ligeira mineralidade. Perfil marcadamente atlântico, intenso e refrescante.

GASTRONOMIA: Ideal a acompanhar qualquer tipo de peixe e marisco. Perfeita combinação sushi e saladas.

PVP referência: 4,5 euros

 

DORY COLHEITA TINTO 2014

“A edição 2014 confirma a aposta na interpretação atlântica da nossa Touriga Nacional, que já tínhamos colocado no lote em 2013, mas que agora se torna a principal casta. A fruta, o floral e o carácter mais elegante oferecido pela Touriga Nacional elevam o Dory Tinto para outro nível, sem prejudicar aquilo que já o definia e procuramos continuar a garantir: um vinho fácil, consensual e guloso, que tem sido tão bem recebido em Portugal e, por exemplo, nos Estados Unidos”.

 

CASTAS: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Merlot e Syrah

NOTA DE PROVA: Cor ruby. Bela intensidade aromática, com uma mistura de notas violetas, frutos silvestres, cassis e pimentão. Na boca é sumarento, com a fruta a reaparecer. Muito elegante, fino, com taninos gulosos.

GASTRONOMIA: Ideal no acompanhamento de pratos de peixe no forno, bacalhau assado e carnes grelhadas.

PVP referência: 4,5 euros

 

Sobre a AdegaMãe

A AdegaMãe nasce do investimento do Grupo Riberalves numa nova área de negócio e surge como uma homenagem da família Alves à sua matriarca, Manuela Alves. O conceito de “Mãe” é a inspiração para um espaço de nascimento, de criação, no qual se pretende potenciar as melhores uvas e fazer nascer os melhores vinhos. Localizada no Concelho de Torres e vocacionada para a produção de vinhos com características muito próprias, graças à proximidade do mar e influência do Clima Atlântico, a AdegaMãe é, igualmente, uma referência para o enoturismo da Região de Lisboa, destacando-se pela arquitectura exclusiva e por todas as actividades desenvolvidas em torno da vinha e do vinho. Sendo uma empresa do Grupo Riberalves, a marca Dory (inspirada nos Dóris, embarcações antigamente utilizadas pelos portugueses na pesca do bacalhau) representa a principal gama de vinhos comercializados. Depois da primeira vindima, realizada em 2010, a AdegaMãe tem vindo a colher reconhecimento no mercado nacional e internacional, para onde canaliza 60% da sua produção. Em 2015 a AdegaMãe foi eleita Empresa do Ano no Sector do vinho, nos prémios atribuídos pela Revista de Vinhos.