O PORTUGUÊS MIGUEL FAÍSCA JÁ DEFENDE AS CORES DA NISSAN EM PROVAS OFICIAIS

– Aos comandos de um Nissan 370Z, Miguel Faísca conquistou um pódio na prova de estreia

– Este fim-de-semana, o português esteve em destaque na pista de Silverstone, ao conquistar um 8º lugar

Há mais um português em busca do estrelato na alta-roda do automobilismo mundial. Cerca de um mês depois da vitória no GT Academy europeu (o inovador programa da Nissan e da PlayStation® que tem transportado talentos das corridas virtuais para as reais), Miguel Faísca já participa em competições oficiais. Há uma semana conquistou o primeiro pódio da carreira na pista de Castle Combe, depois de obter o 3º lugar da categoria, aos comandos de um Nissan 370Z. Este fim-de-semana, em Silverstone, na última jornada do calendário do Dunlop Production Touring Car Trophy, problemas de electrónica ditaram a desistência na primeira corrida, enquanto na segunda conquistou um positivo 8º lugar.

Como confessa Miguel Faísca, as primeiras semanas como piloto profissional da Nissan têm sido vividas “com grande felicidade. Graças à Nissan e à PlayStation estou a concretizar um sonho de criança! Estou em Inglaterra desde o dia 2 de Outubro e, à partida, só devo regressar a Portugal no início de Dezembro. Com isto percebe-se a intensidade do programa a que estamos a ser sujeitos”, sublinha o português, numa referência aos quatro vencedores, de outras tantas regiões, da edição deste ano do GT Academy.

Na realidade, a carreira de um piloto profissional está longe de se fazer apenas de corridas e, nesse sentido, Miguel Faísca tem sido sujeito a um intenso plano de treinos a nível físico, psicológico e técnico. As participações nas provas deste e do último fim-de-semana visaram adquirir experiência, mas também as assinaturas suficientes para ter a licença internacional.

Por esse motivo, pese embora o brilhante pódio conquistado na prova de estreia (na pista de Castle Combe), Miguel Faísca admite que “mais do que os resultados, tenho estado concentrado em absorver o máximo de informação. Nas corridas e, de acordo com o que me foi pedido pela equipa, não tenho corrido riscos. Nunca protagonizei qualquer acidente ou saída de pista, pois estou consciente que, nesta fase, o mais importante é acumular quilómetros em competição. Mas claro que me tenho divertido e andado depressa”.

A prova deste fim-de-semana, em Silverstone, foi disso exemplo. Se problemas de electrónica obrigaram Miguel Faisca a desistir na primeira corrida, “pois a partir da quarta volta o motor deixou de fazer mais do que 2.000 rotações por minuto”, na segunda corrida o piloto nacional conquistou um positivo 8º lugar: “Foi uma bela corrida. Apesar da tracção traseira não ser o maior aliado à chuva, diverti-me imenso com o Nissan 370Z. Protagonizei umas lutas muito interessantes e, no final, fui premiado com um bom resultado e com uma volta bastante rápida. Mas mais importante foi o facto de ter somado mais uma assinatura para a licença internacional”, afirmou Miguel Faísca.

FIM

Deixe uma resposta