QUALIDADE, OU O CAMINHO PARA COMBATER O ESTIGMA EM TORNO DOS VINHOS DE LISBOA

A AdegaMãe potencia as condições únicas onde está envolvida para oferecer vinhos diferenciadores. O objectivo é contribuir para uma nova reputação da Região de Lisboa.

A AdegaMãe está em produção desde 2010 e entra em 2013 com o objectivo de alargar a gama, através do lançamento, no primeiro semestre, dos quatro novos brancos monovarietais, do primeiro Reserva Tinto e, depois, do primeiro Reserva Branco, um vinho de características muito especiais, adequado ao período pós-Verão.

Estes vinhos assumem grande importância no processo de afirmação da marca. A AdegaMãe pretende posicionar-se como um produtor de referência no País, contribuindo para combater o estigma criado em torno dos vinhos de Lisboa. É um facto que nesta região a qualidade nem sempre foi o objectivo principal, privilegiando-se a quantidade. Mas a estratégia da AdegaMãe vai no sentido contrário, até porque a zona onde está inserida oferece condições únicas ao nível do clima e dos terrenos, para a produção de vinhos verdadeiramente diferenciadores.

“O Oeste e a AdegaMãe têm muito para dar ao país. As condições naturais, a proximidade do oceano Atlântico e os próprios solos oferecem-nos vinhos com características especiais, com uma mineralidade e com uma acidez natural que é de realçar. Temos condições únicas para fazer grandes vinhos e é o que estamos a fazer”, explica o director-geral, Bernardo Alves.

Importa agora levar essa mesma qualidade aos consumidores e aos próprios agentes do mercado, locais e nacionais, que, fruto do trabalho e da credibilidade desenvolvidos por outras regiões, continuam afastados dos vinhos de Lisboa. “Falta cumprir um caminho para que esta qualidade seja reconhecida e, nesse aspecto, a restauração terá um papel importante. Esta região evoluiu muito nos últimos anos e acreditamos que os restaurantes de Lisboa também acabarão por reconhecer a qualidade dos vinhos da sua própria região”, continua Bernardo Alves.

BONS VINHOS ACESSÍVEIS AOS CONSUMIDORES

Nesta estratégia de afirmação, o mercado terá naturalmente uma palavra decisiva e os vinhos AdegaMãe de gama superior estarão acessíveis aos consumidores a preços acessíveis que não ultrapassam os 10 euros. Por exemplo, esse valor serve de referência para os reservas, enquanto os monovarietais agora lançados custarão cerca de 7 euros.

“A AdegaMãe quer fazer vinhos que tenham personalidade própria, que sejam distintos, que exprimam todas as características próprias da zona em que estamos inseridos. Ao mesmo tempo, queremos fazê-lo de modo a que sejam acessíveis à generalidade dos consumidores”, explicam os enólogos Anselmo Mendes e Diogo Lopes.

“Os resultados alcançados agradam-nos e acreditamos que por este caminho, de inovação, de qualidade, mas também de disponibilidade, vamos seduzir as pessoas a beber os bons vinhos de Lisboa”, conclui a equipa de enologia.

 

 

Deixe uma resposta