REMADORES DE TODO O MUNDO DESCOBREM RIOS NACIONAIS NO “PORTUGAL ROWING TOUR”

  • Regatas vão decorrer nos próximos meses nos rios Mondego, Tejo e Douro. Evento foi apresentado hoje, em Mortágua.

O Turismo Centro de Portugal e o Ginásio Clube Figueirense apresentaram hoje, em conferência de imprensa realizada no Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa, em Mortágua, a edição deste ano do Portugal Rowing Tour, que decorrerá em três dos principais cursos de água do país: Mondego, Tejo Internacional (ambos no Centro de Portugal) e Douro.

O Portugal Rowing Tour é um evento anual de remo de lazer, organizado desde 2008 pelo Ginásio Clube Figueirense e que atrai a Portugal remadores de várias nacionalidades. Durante a sua estadia, em unidades hoteleiras da região, os participantes, amigos e familiares aliam a prática do remo com o convívio e a descoberta do património natural, cultural e gastronómico da região onde os circuitos acontecem.

Já o Portugal Rowing Tour – Mondego acontece de 10 a 13 de agosto e comporta quatro etapas, divididas por Figueira da Foz, Montemor-o-Velho e barragem da Aguieira, em Mortágua. No total, os 60 participantes remarão cerca de 70 quilómetros. Esta é já a quarta vez que o evento visita as águas do Mondego.

O Portugal Rowing Tour – Tejo Internacional vai realizar-se de forma experimental, já este mês, a 22 e 23 de julho. Os 20 participantes remarão cerca de 44 quilómetros, divididos entre Lentiscais (Castelo Branco), Cedillo (Espanha), Vila Velha de Ródão, Barca da Amieira (Mação) e Belver (Gavião).

Joaquim de Sousa, presidente da assembleia geral do Ginásio Clube Figueirense, explicou, na conferência de imprensa, que o Portugal Rowing Tour é um evento que junta a “prática desportiva, o turismo de património cultural e natural e a gastronomia”, atraindo remadores de todo o mundo. “Até hoje tivemos estrangeiros de 18 nacionalidades”, disse. “Este ano até vêm da Nova Zelândia”, complementou Rute Costa, vice-presidente da direção do clube e organizadora do evento.

Os barcos que integram o Tour são yolettes de quatro remos. Um deles foi batizado, na ocasião, de “Turismo Centro Portugal”, pelo presidente da entidade, Pedro Machado, e por Jorge Loureiro, vogal da comissão executiva.

Pedro Machado sublinhou a importância de eventos como este para a promoção do Centro de Portugal. “O Portugal Rowing Tour é um exemplo da valorização do turismo ativo na região inteira. Ao utilizar os planos e espelhos de água como a Aguieira e os equipamentos hoteleiros de grande qualidade que temos, permite fazer a ponte natural entre o litoral e o interior. Tem esta vantagem de atravessar territórios e destinos”, salientou.

Por outro lado”, continuou, “tem a componente da complementaridade, uma vez que permite casar o turismo ativo e desportivo com os eixos do património, cultural e gastronómico”.

Aliciante é também, para Pedro Machado, o fator da internacionalização, patente nas várias nacionalidades que acorrem ao evento, “que tem a capacidade de poder criar dinâmicas para chegar a novos mercados internacionais, como o asiático e o americano”.

Finalmente, o presidente do Turismo do Centro realçou o facto de os visitantes que se inscrevem no Rowing Tour estarem entre a meia-idade e os 70 anos: “O envelhecimento da população que viaja é uma oportunidade para destinos como o Centro de Portugal. É um segmento de população que viaja muito, tem poder económico e nível cultural elevado e que encontra nesta região características que o atrai”.