RENAULT CLIO R.S. 200 EDC MONACO GP: CONCENTRADO DE EMOÇÕES E DE EXCLUSIVIDADE

Na senda do célebre Clio Williams lançado nos anos 90, chega ao mercado o Renault Clio R.S. 200 EDC Monaco GP. Uma série limitada a apenas 5 unidades para Portugal, com a distinção e a exclusividade conferida pela assinatura Monaco GP, mas com a tecnologia que faz do modelo de origem a referência entre os desportivos do segmento: launch control, R-Link com o sistema de telemetria R.S. Monitor 2.0, comando da caixa de velocidades por patilhas no volante ou o diferencial electrónico R.S. Diff… Com um motor 1.6 turbo, com 200 cavalos, que permite atingir os 230 km/h e acelerar dos 0 aos 100 km/h em escassos 6,7 segundos (apenas mais sete décimos que o Mégane R.S.)!, o Clio R.S. 200 EDC Monaco GP reúne o melhor de dois mundos: carácter desportivo de excepção e exclusividade.

Apesar da exclusividade associada à assinatura Renault Sport, desde os anos 90 que os “artesãos” do departamento desportivo da marca têm desenvolvido versões para essa grande minoria apaixonada por automóveis desportivos não apenas de excepção, mas também únicos. O incontornável Clio Williams foi o precursor dessa estratégia, que produziu modelos como o Clio R26.R, o Mégane R26.R, o Mégane R.S. Trophy ou o mais recente Mégane Trophy-R.

O Renault Clio R.S. 200 EDC Monaco GP faz parte dessa linhagem. Uma série limitada com apenas 5 unidades reservadas a Portugal, o que o torna num automóvel de colecção no sentido estrito do termo.

As diferenças em relação ao “vulgar” Clio R.S. 200 EDC são apenas visuais. A carroçaria só está disponível em duas cores – a exclusiva Branco Givre Nacarado e Cinzento Platina – mas sempre com o tejadilho em preto. Ou seja, a pintura bi-tom estreia-se no Clio. Ainda no exterior, destaque para os acabamentos em preto brilhante na lâmina no pára-choques dianteiro, nas jantes em liga leve de 18 polegadas, nas protecções e puxadores das portas, bem como nos espelhos retrovisores. Não menos importante e ainda mais distintiva, a assinatura Monaco GP nas laterais. Um conjunto de pequenos grandes detalhes que, para além da exclusividade, conferem uma interessante distinção a um modelo com carácter vincadamente desportivo.

Uma vez no habitáculo, a sensação é a mesma. O ambiente da versão “civil”, mas com vários acabamentos em “Dark Metal”, bancos dianteiros em carbono escuro com aquecimento, a assinatura Monaco GP nos tapetes (em bordado) e a placa numerada Monaco GP na soleira da porta do condutor. Os pedais também são em alumínio e o volante específico, em couro, tem o marcador de ponto zero.

Tal como a designação deixa entender, o Renault Clio R.S. 200 EDC Monaco GP herda a caixa de velocidades com comandos por patilhas no volante – proposta única no segmento! Com passagens sequenciais que podem ser feitas em escassos 150 milésimos de segundo (a mais rápida caixa do mercado), esta caixa de dupla embraiagem de 6 velocidades é perfeita para desafiar os limites, mas tem a vantagem de também conciliar o conforto, nomeadamente em percursos urbanos.

O botão “RS Drive”, colocado junto à manete específica da caixa de velocidades, permite seleccionar três diferentes modos – diga-se temperamentos! – para o Clio R.S. 200 EDC Monaco GP. O modo “Normal” privilegia a suavidade e o conforto, enquanto o “Sport” apura a dinâmica.

Mas é no “Race” que o modelo revela o seu temperamento mais genuíno. Um deleite para quem procura levar as emoções e as sensações ao extremo. As passagens de caixa fazem-se em reduzidíssimos 150 milésimos de segundo, o acelerador ganha uma ainda maior sensibilidade (mais directo), a direcção ganha firmeza, o “braço” substitui o ESP e o ASR (que se desligam) e, claro, há o Launch Control. O seu funcionamento não podia ser mais simples: pé esquerdo no travão, pressão prolongada nas duas patilhas atrás do volante e surge logo a mensagem no painel de instrumentos “launch control on”. O automóvel está imobilizado e com o pé direito no acelerador, a fundo, as rotações sobem até às 2.500 rpm. Para ir dos 0 aos 100 km/h só precisa de escassos 6,7 segundos – apenas mais sete décimos que o Mégane R.S.! Com partida parada, só precisa de 27,1 segundos para cumprir os 1.000 metros. 

A “culpa” destes números também é do motor 1.6 turbo de 200 cv e 240 Nm de binário, a partir das 1.750 rpm. Um bloco de injecção directa que foi alvo de afinações específicas nomeadamente ao nível da admissão variável e do turbo.

O chassis impressiona pelo comportamento, incorporando os apoios de compressão hidráulicos e o diferencial electrónico, duas tecnologias com a assinatura exclusiva da Renault Sport Technologies. Uma referência, ainda, para os potentes e eficazes travões Brembo, com estribos vermelhos de acordo com a imagem desportiva do modelo.

Sublinhe-se que o Renault Clio R.S. 200 EDC Monaco GP apenas está disponível com o chassis Cup, o que tem carácter mais desportivo e onde a pilotagem e as performances são mais genuinamente exploradas. Ainda assim, não deixa de ser surpreendente a suavidade e o conforto que revela em andamentos mais moderados ou em percursos urbanos, sendo mesmo capaz de consumos na ordem dos 6,4 litros por cada 100 quilómetros, a que correspondem emissões de CO2 limitadas a 144g/km.
R.S. MONITOR 2.0 INTEGRA O R-LINK

R.S. Monitor 2.0 é a ferramenta de telemetria a bordo mais completa do mercado para um automóvel de série e é um equipamento único no segmento.

Quer seja sob a forma de manómetros, histogramas ou de esquemas visuais, os ecrãs personalizáveis do R.S. Monitor 2.0 apresentam valores instantâneos de:

– Binário, potência temperatura da água e do ar de admissão, pressão do turbo, abertura da borboleta, pressão da travagem, ângulo do volante, regime do motor, temperatura do óleo da caixa, temperatura das embraiagens da caixa EDC, binário à roda…

– Leitura das performances: 0/50 km/h, 0/100 km/h, 0-400m e 0-1000m com partida parada, bem como o tempo de travagem para 100 km/h – 0 km/h.

– Diagrama GG: leitura das acelerações longitudinais e laterais, bem como visualização dos valores máximos registados. Os sensores do ecrã podem ser gravados numa pen.

– Taxa de patinagem, em %, das rodas motrizes.

– Visualização das curvas de binário e de potência em tempo real.

– Visualização esquemática interna da caixa EDC: relação utilizada, relação pré-seleccionada, temperatura da embraiagem.

– Cronómetro manual ou activado automaticamente pelo GPS (é possível descarregar o traçado do circuito numa pen)

– Ecrã de manutenção: para anotar a quilometragem dos pneus, amortecedores, pastilhas e discos desde a última mudança.

– Conselhos de pilotagem

– Regulações do automóvel:

– “Shift light”: ajustamento do timing do sinal de mudança de relações de caixa.

– Datalogger: o R.S. Monitor 2.0 pode registar, em tempo real, todos os parâmetros registados durante um dia num circuito e associá-los às posições GPS correspondentes, tornando assim possível a sua análise num computador. A posição do automóvel pode ser projectada sobre um mapa (obtido por satélite) com os parâmetros de condução correspondentes afixados de forma dinâmica. Todos estes elementos podem ser gravados: 1 hora de condução ocupa um ficheiro com apenas 3MB. Os resultados podem ser consultados através de um software que estará disponível, posteriormente, para os clientes.

 

Finalmente, é possível preparar as visitas a uma pista editando os circuitos e carregando a informação numa pen. A Renault Sport propõe alguns circuitos pré-seleccionados e a comunidade de utilizadores pode partilhar as suas edições, e enriquecer e partilhar, uma base de dados de circuitos.

O Renault Clio R.S. 200 EDC Monaco GP é comercializado por 31.450€ e, a exemplo da restante gama da marca, é abrangido pelos 5 anos de Garantia Renault. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assessoria de Imprensa: Ana Gil +351 21 836 10 12

Sites Internet : www.renault.pt – www.media.renault.com