RENAULT ECO PLAN: PARA UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL EM PORTUGAL

Depois de 22 anos consecutivos de liderança automóvel, a Renault apresenta o ECO-Plan. Um ambicioso e inédito programa para uma mobilidade mais sustentável em Portugal, assente em cinco planos: ECO Abate, Classe Zero, ECO Charge, ECO Tour e ECO Mobility. Financiar a renovação do parque automóvel com mais de 12 anos e com isso contribuir para uma mobilidade mais sustentável e maior segurança nas estradas, isenção* do pagamento de portagens para o modelo Renault ZOE, instalação de 60 pontos de carregamento de automóveis elétricos, iniciativas de divulgação e de esclarecimento da mobilidade elétrica, bem como oferta de soluções de aluguer operacional também para clientes particulares (transversal a toda a gama Renault e Dacia de ligeiros de passageiros), são alguns dos pressupostos do revolucionário Renault ECO-Plan.

image

No ano em que comemora o 40º aniversário, depois de mais de 1,5 milhões de automóveis vendidos e na sequência de 22 anos de liderança consecutiva das vendas, a Renault Portugal está empenhada em dar o seu contributo para uma mobilidade mais sustentável no país.

De que forma? Através do ECO-Plan. Um ambicioso e inédito programa que, acima de tudo, foi pensado para os clientes particulares, mas que também não esquece os clientes empresariais ou os muitos cidadãos anónimos que se interessam pelo fenómeno da mobilidade inteligente.

image

O ECO-Plan faz jus à história da Renault em Portugal, sendo um programa que se subdivide em cinco planos estratégicos – ECO Abate, Classe Zero, ECO Charge, ECO Tour e ECO Mobility – genericamente contextualizados nas linhas que se seguem:

O plano ECO Abate é a aposta da Renault para a renovação do parque automóvel. A Renault Portugal (com base em estatísticas oficiais), estima que cerca de 2,5 milhões de automóveis, com mais de 12 anos, circulem no país. Automóveis que, objetivamente, já estão ultrapassados em matérias tão sensíveis como ambiente, segurança e economia.

image

Plano ECO Abate para uma mobilidade mais sustentável

Mas vamos começar pelo ambiente. Desses cerca de 2,5 milhões de automóveis que existem no país, todos foram homologados de acordo com as normas Euro 2, 3 ou 4. Ou seja, com emissões poluentes muito superiores às dos automóveis atuais.

Por exemplo, um automóvel a diesel, com matrícula entre 1996 e 1999 (homologado segundo a norma Euro 2), emite, hoje, em circulação, pelo menos 16 vezes mais partículas do que um modelo equivalente atual.

Mais um exemplo: um modelo a diesel de 2000 (homologado de acordo com a norma Euro 3) emite 6,25 vezes mais NOx do que um automóvel atual do mesmo segmento.

Mas também a nível das emissões de CO2, os automóveis com mais de 12 anos são objetivamente muito mais poluentes do que os atuais. Com base em valores estimativos, a média de emissões será pelo menos de 180 g/km, contra os 130 g/km de um automóvel equivalente atual, também equipado com motor a diesel. Ou seja, ao fim de 10.000 km, um automóvel recente emite – no mínimo! – menos meia tonelada de CO2!

image

Plano ECO Abate também para mais segurança

Não é só a questão ambiental que é visada pelo plano ECO Abate. Na realidade, a aposta estratégica da Renault pode revelar-se decisiva para a redução da sinistralidade em Portugal. Afinal, face às imposições atuais, a esmagadora maioria dos automóveis com mais de 12 anos não poderia hoje sequer ser comercializado. Dessas unidades, só muito poucas serão equipadas com ABS. E se falarmos do EBA (sistema de travagem de emergência) e do ESP, então o número de unidades será mesmo residual.

Ou seja, dos mais de 2,5 milhões de automóveis, com mais de 12 anos, que circulam no país, a grande maioria não tem sequer aqueles que são, hoje, os sistemas mais básicos em termos de segurança. E, nos últimos anos, tantas são as novas tecnologias que confirmam o extraordinário trabalho que tem sido desenvolvido pela indústria automóvel em matéria de segurança ativa e passiva, e que têm sido decisivas para a redução do número de vítimas resultantes de acidentes.

image

Plano ECO Abate também para mais economia

Não negligenciáveis são também as questões económicas e, nesse sentido, tendo por base uma estimativa de 15% de desvalorização anual, um automóvel com 12 anos vale pouco mais do que 10% do valor com que foi adquirido. E, claro, referimo-nos a modelos que não têm o estatuto de “históricos”.

Mas também os consumos (já para não falar da manutenção) devem servir de argumento na equação de economia. Graças às novas tecnologias, é relativamente consensual que, um automóvel a diesel de hoje, em comparação com um modelo equivalente com mais de uma dúzia de anos, é capaz de reivindicar consumos de menos 1,5l/100 km. Ou seja, ao fim de 10.000 km, uma poupança de 225€.

image

Plano ECO Abate com significativos incentivos financeiros

Em suma, para ajudar a tornar o ambiente mais sustentável, E as estradas nacionais mais seguras, a Renault lança o plano ECO Abate, destinado exclusivamente a clientes particulares.

Um plano que pressupõe um apoio financeiro à aquisição de automóveis novos, independentemente do modelo ou da motorização. Ou seja, um programa de incentivos que é válido para todos os Renault ligeiros de passageiros, equipados com motores gasolina, diesel, GPL, híbridos ou elétricos:

  • 3.000€ na aquisição de um Renault 100% elétrico;
  • 2.000€ na aquisição de um Renault híbrido;
  • 1.750€ na aquisição de um Renault a diesel;
  • 1.250€ na aquisição de um Renault a GPL;
  • 1.000€ na aquisição de um Renault a gasolina (exceto Twingo cujo valor é de 500€);
image

Sublinhe-se que, em relação aos elétricos e híbridos, o apoio Renault é acumulável com outros valores que possam ser dados pelo Estado, bem como outras campanhas que a marca venha a desenvolver. Um plano que não prevê um limite ao número de automóveis retomados e que pressupõe o compromisso de retirar do parque circulante todas as unidades retomadas ao abrigo do programa.

image

PLANO ECO ABATE TAMBÉM VÁLIDO PARA A DACIA

Com base nos mesmos pressupostos, sublinhe-se que o plano ECO Abate também é válido para a marca Dacia, mas com os seguintes apoios financeiros:

  • 800€ na aquisição de um Dacia a diesel;
  • 600€ na aquisição de um Dacia a GPL;
  • 450€ na aquisição de um Dacia a gasolina;
image

CLASSE ZERO

Segundo os dados disponíveis, um automobilista gasta, pelo menos, 20€ mensais em portagens, em Portugal. Para todos os que adquirirem o Novo Renault ZOE, para além do apoio financeiro de 3.000€ previsto pelo plano ECO Abate, a Renault Portugal oferece, ainda, uma Via Verde com um carregamento no valor de 200€*. Sim, graças ao plano Classe Zero, também as autoestradas nacionais vão tornar-se mais sustentáveis.

A título de curiosidade, sublinhe-se que os 200€ de saldo de carregamento da Via Verde permitem fazer 285 percursos Lisboa-Oeiras/Oeiras-Lisboa, 222 percursos Lisboa-Vila Franca de Xira/Vila Franca de Xira-Lisboa e 74 percursos Cascais-Lisboa/Lisboa-Cascais.

No fundo, mais um importante incentivo à mobilidade sustentável, mas também um contributo para quebrar preconceitos e um claro sinal de que os automóveis elétricos não estão apenas confinados a uma utilização citadina, até face aos valores de autonomia que já reivindicam.

image

ECO Charge

A pouco e pouco, graças à evolução da mobilidade elétrica, das suas tecnologias e das autonomias oferecidas, o argumento da autonomia está em desuso. Com efeito, as autonomias estão a deixar de ser a preocupação, com as dúvidas a transferirem-se para a facilidade de acesso aos pontos de carregamento.

Em Portugal, o número de pontos de carregamento, para automóveis elétricos, ronda as 2.700 posições. A Renault vai ajudar a reforçar esse número, com a montagem de 60 postos de carregamento em estabelecimentos da Rede de Concessionários de todo o país, ilhas incluídas. Postos de acesso público, todos de carga acelerada (22 kW) ou carga rápida (43 kW). E com a representatividade da sua Rede de Concessionários – a maior do país! – a Renault dá um importante contributo à mobilidade elétrica por todo o território nacional

Durante o ano de 2020, a Renault também vai alargar para 42 o número de Centros Expert Z.E., especializados em venda e assistência de automóveis 100% elétricos. Igualmente no início do ano está prevista a abertura de um centro de reparação de baterias.

image

ECO Tour

A mobilidade elétrica ainda suscita dúvidas e até preconceitos. Com o objetivo de esclarecer, mas também de divulgar este no paradigma da mobilidade, o plano ECO Tour desenvolvido pela Renault Portugal assenta em duas iniciativas: indo de encontro aos portugueses, a organização de exposições em centros comerciais de 13 cidades do país, com início já em fevereiro deste ano; bem como a promoção de seminários para empresas, com as mais variadas entidades ligadas à mobilidade elétrica, parceiros da Renault e proprietários de automóveis elétricos. Seminários que vão procurar debater e esclarecer tudo o que é relacionado com a mobilidade inteligente.

As mentalidades estão a mudar e, hoje, cada vez se dá mais importância ao uso em vez da posse.

Nesse sentido, a Renault vai democratizar o acesso aos produtos de aluguer operacional para todos os modelos Renault e Dacia. Ou seja, também os clientes particulares vão passar a poder escolher uma solução de mobilidade, que lhes permita usufruir da utilização do automóvel, independentemente do segmento ou do tipo de motorização, e claro sem a obrigatoriedade da posse, e consequentemente da aquisição, do automóvel.

No fundo, facilitar o acesso à mobilidade e generalizar a todo o mercado, a solução de financiamento que é adotada pelas empresas, há vários anos.