RENAULT INVESTE MAIS DE 100 MILHÕES DE EUROS E CRIA 150 POSTOS DE TRABALHO PERMANENTES NA RENAULT CACIA!

No momento em que a Renault Cacia tem o mais alto nível de emprego dos últimos 20 anos.

 

A Renault Cacia foi a fábrica escolhida entre as do Grupo Renault para a produção de uma nova geração de caixas de velocidades e para tal a Renault irá investir em Cacia, nos próximos anos, um montante de mais de 100 milhões de euros. Mais uma fantástica notícia para a Renault Cacia que, este ano, foi duas vezes distinguida pela excelência da sua produção.

Com este importante e significativo investimento, vão ser criados 150 novos postos de trabalho permanentes.

Com a afetação desta nova caixa de velocidades a atividade fica garantida para vários anos!

A Renault Cacia é uma das maiores exportadoras nacionais, fornecendo componentes para muitos dos modelos tadalafil generique 5mg da Aliança Renault-Nissan vendidos no mundo. Em 2015, o volume de negócios foi de 280,6 milhões de euros (um crescimento de 7% face ao ano anterior), com a totalidade desse valor destinada a exportação. A unidade emprega atualmente 1.200 colaboradores, o nível mais elevado dos últimos 20 anos. 

INVESTIMENTO GERADOR DE EMPREGO E COMO CONSEQUÊNCIA DE UM ACORDO DE EMPRESA!

O investimento para a produção de uma nova geração de caixas de velocidades para o Grupo Renault, resultará na modernização da fábrica, na criação de 150 novos postos de trabalho permanentes e, claro, assegurará o futuro desta unidade a longo prazo.

A modernização da atividade resulta, igualmente, na criação de emprego ainda mais qualificado. Só em 2016 a Renault Cacia contratou mais de 20 engenheiros para apoiar o desenvolvimento dos processos e como suporte da engenharia central da Renault.

Estas contratações refletem, não só, o desenvolvimento da atividade mas, também, o progressivo desenvolvimento da capacidade tecnológica desta unidade.

Um importante investimento para a economia local, mas também para a economia nacional, uma vez que a Renault Cacia exporta para quatro continentes a totalidade da sua produção, com um volume de negócios que se aproximará, em 2016, dos 300 milhões de euros. A Renault Cacia é (dados de 2014) uma das 15 primeiras empresas exportadoras do País.

A concretização do investimento agora anunciado foi possível graças à assinatura de um acordo de empresa, entre a Administração da fábrica e os representantes dos trabalhadores. Este acordo, que estará em vigor para o quadriénio 2017-2020, integra a componente de evolução salarial, a introdução das regras de flexibilização do horário de trabalho e prevê a integração nos quadros da Renault Cacia de 150 colaboradores com contrato de trabalho sem termo.

De salientar que esta evolução do nível de emprego é concretizada no momento em que Cacia tem o maior número de colaboradores dos últimos 20 anos.

2016, UM ANO PARA A HISTÓRIA DA RENAULT CACIA

Mas a produção desta nova geração de caixas de velocidade, que o Grupo Renault decidiu atribuir à Renault Cacia, é também o reconhecimento do “know-how”, da competência e do desenvolvimento tecnológico da fábrica localizada no distrito de Aveiro.

No ano do seu 35º aniversário, a Renault Cacia foi duplamente distinguida.

O Grupo Renault atribuiu, pela primeira vez à Renault Cacia, o prémio de melhor fábrica de caixas de velocidades do grupo no ano de 2015. Na base desta distinção esteve a excelência nos critérios de Qualidade/Prazo e Desempenho Global.

Mais recentemente, igual distinção foi também atribuída pela Aliança Renault-Nissan.

A produção de fábrica de Cacia destina-se não só às marcas do Grupo Renault mas, também, à Nissan e a outras marcas parceiras da Aliança em diversos domínios.

VOLUME DE NEGÓCIOS CRESCEU 7% EM 2015

Com um volume de negócios, em 2015, de 280,6 milhões de euros – um crescimento de 7% em relação a 2014 –, a Renault Cacia produziu caixas de velocidades e outros componentes mecânicos para caixas e motores, para 14 países, distribuídos por quatro continentes: África do Sul, Argentina, Brasil, Espanha, França, Grã-Bretanha, Índia, Irão, Marrocos, Roménia, Rússia, Tailândia e Turquia.

Números que confirmam a importância da Renault Cacia para a economia nacional. Uma fábrica que exporta cem por cento do que produz e que, mesmo com a conjuntura económica desfavorável, nunca deixou de aumentar a produção, de criar emprego e de fazer importantes investimentos. Na realidade, desde 2009, o volume de investimentos foi de quase 80 milhões de euros – sobretudo em desenvolvimento tecnológico! – 12,8 Milhões de euros dos quais só em 2015.

Com início de atividade em Setembro de 1981 e situada num complexo industrial de 340.000 m² de área total, dos quais 70.000 m² de área coberta, a Renault Cacia é a segunda maior unidade industrial de construtores automóveis em Portugal (em número de colaboradores) e a maior unidade industrial do distrito de Aveiro.

Para além das caixas de velocidade, a restante diversidade de componentes mecânicos produzidos em Cacia (onde se incluem as bombas de óleo das quais a Renault Cacia é, o maior fornecedor do Grupo Renault) permitem afirmar que, todos os anos, a maioria dos milhões de automóveis que o Grupo Renault (marca Dacia incluída) vendeu, pelos quatro cantos do planeta, tiveram (pelo menos) um componente produzido no distrito de Aveiro.