RENAULT PROPORCIONOU EMOÇÕES E ESPETÁCULO NO CIRCUITO DO ESTORIL

As incontornáveis melodias dos motores de F1 voltaram a ouvir-se no Circuito do Estoril. As bem preenchidas bancadas do Circuito do Estoril assistiram ao desfile de Renault F1 que marcaram a história da disciplina nos 70 e 80, mas também às emocionantes corridas do Renault Sport Trophy R.S. 01 e da Fórmula Renault 2.0. Competições internacionais que contaram com a presença de pilotos portugueses e, onde Miguel Ramos esteve em destaque, ao erguer a bandeira nacional no lugar mais alto do pódio.

RENAULT FEZ JUS À TRADIÇÃO!

A Renault voltou a fazer jus à tradição, contribuindo para mais um fim-de-semana de grandes emoções no Circuito do Estoril. Dois dias de festa para milhares de espetadores e muito pelas vibrações proporcionadas pelos Renault F1. Na realidade, a Renault trouxe a Portugal seis monolugares – suficientes para preencher um quarto de uma grelha de partida – e todos carregados de estórias e de sucessos que estão na memória de diferentes gerações. Mas as emoções não foram apenas marcadas pelos F1…

Ao longo do fim-de-semana, as corridas do Renault Sport R.S. 01 e da Fórmula Renault 2.0 levaram ao rubro o muito público presente, com o ponto alto a ser a vitória de Miguel Ramos e o ecoar do hino nacional na competição internacional que tem por base o espetacular Renault Sport R.S. 01.

Não faltaram, também, diferentes animações Renault para toda a família, para além da ante-estreia nacional dos novos Twingo GT, Kadjar e Grand Scénic.

No fundo, mais um fim-de-semana memorável para os milhares de portugueses que, apesar das pontuais aparições da chuva, não deixaram de se deslocar ao Circuito do Estoril.

MIGUEL RAMOS EM GRANDE PLANO NO RENAULT SPORT TROPHY

Ao longo da jornada, o Renault Sport Trophy e a Fórmula Renault 2.0 estiveram em destaque, concentrando uma boa parte das emoções e fazendo o público vibrar com os momentos mais quentes no Circuito do Estoril. O dia de domingo não foi exceção…

No Renault Sport Trophy, depois da notável vitória na véspera, Miguel Ramos não repetiu a proeza no domingo. Ainda assim, o piloto conquistou um positivo 5º lugar, na primeira corrida Sprint da competição que tem como base os impressionantes e competitivos Renault Sport R.S. 01.

Para o portuense, “o balanço do fim de semana foi super positivo! Ontem (sábado), ganhámos e mostrámos que ainda tínhamos rapidez para os jovens pilotos. Hoje, só não foi melhor porque, depois de cometer um erro, fui relegado para o sexto lugar e só consegui subir uma posição quando a pista começou a secar. Posso dizer que adorei este troféu e que o Renault Sport R.S.01 é de ‘outro mundo’, dando um incrível prazer de condução, sobretudo em curvas rápidas de apoio, onde até sentimos os músculos do pesçoco a trabalhar!”.

Experiência positiva foi a de Pedro Moleiro, que terminou na 14ª posição na segunda corrida Sprint da Renault Sport Trophy. Mesmo com falta de quilómetros ao volante do Renault Sport R.S. 01, o português considerou que “apesar do resultado e depois da atribulada participação na primeira corrida, gostei muito de passar o fim de semana dentro desta competição da Renault. O carro é fantástico e ficará na minha memória para sempre. Tem uns travões impressionantes e uma velocidade de passagem em curva notável. Só a adaptação é que foi mais difícil do que esperava.”

Para além dos portugueses, uma referência para o facto das duas corridas de domingo do Renault Sport Trophy terem tido a companhia da chuva! Fabian Schiller inscreveu o seu nome no quadro de honra da primeira Corrida Sprint, após um acérrimo duelo com o espanhol Fran Rueda, enquanto a corrida da despedida da Renault Sport Trophy foi ganha por Steijn Schothorst, o companheiro de equipa de Miguel Ramos.

HENRIQUE CHAVES BRILHOU NA FÓRMULA RENAULT 2.0

Na Fórmula Renault 2.0, foi o francês Sacha Fenestraz que ditou a lei. Henrique Chaves esteve perto de fazer história, chegando a passar pelo comando, momentaneamente, no início da derradeira corrida do fim-de-semana. Mas o piloto de 19 anos acabou por terminar no 5º lugar, depois de ter passado uma boa parte da corrida na 3ª posição, com um pé dentro no pódio. No último terço da prova, todavia, as afinações escolhidas para o seu monolugar, deixaram de resultar, já que a pista demorou a secar. Apesar das dificuldades sentidas e após cruzar a bandeira de xadrez, Henrique Chaves mantinha um sorriso nos lábios, atestando que “apesar de não conseguirmos o objetivo do pódio, quando tínhamos ritmo para os pilotos da frente, não regressámos a casa com um mau resultado!”.

Fotografias do fim-de-semana em:

https://www.flickr.com/photos/renaultportugal/albums/72157675590722125