RallySpirit Altronix já conta com 90 inscritos!

Marca já indelével do panorama do desporto automóvel português, o RallySpirit Altronix regressa de 1 a 3 de novembro e prepara-se para voltar a deixar o seu cunho de diferenciação entre os eventos de automobilismo. Abraçando, novamente, o conceito de “Rally-Legend”, a prova disputar-se-á, desta feita, entre Vila Nova de Gaia e Barcelos. Noventa equipas já confirmaram a sua inscrição, com míticos carros de diferentes gerações, que prometem mexer com as emoções dos muitos aficionados deste tipo de provas.

Pelo quarto ano consecutivo, o RallySpirit Altronix apresentará mais uma edição repleta de motivos de interesse, “piscando o olho” aos aficionados do automobilismo em geral, e dos ralis, em particular, mas também aos muitos “anónimos” que não resistem à tentação de viver as emoções fortes que uma prova como esta proporciona.

A cerca de dois meses do início da quarta edição, são já 90 as equipas que confirmaram a sua participação no RallySpirit Altronix, provando que a fórmula de “Rally-Legend” que a organização da Xikane foi pioneira em Portugal goza, atualmente, de pleno sucesso. A “receita” é, de resto, conhecida e junta pilotos de nomeada e com reconhecido palmarés, a carros icónicos que integram a lendária história dos ralis e atravessam a fronteira do tempo, ligando passado e presente.

Com conceituadas equipas portuguesas (inclusivamente da Madeira), mas igualmente formações espanholas e irlandesas com presença já assegurada – a que se juntará o piloto “figura de cartaz” da prova a anunciar brevemente -, está dado o primeiro passo para o êxito da prova que, na estrada, será gerida pelo experiente Clube Automóvel de Santo Tirso.

Mas o prestígio de máquinas tão emblemáticas que integram o património dos ralis internacionais como o Alpine-Renault A110, o Fiat 131 Abarth, o Ford Escort RS, o Porsche 911, o Renault 5 Turbo, o Talbot Sunbeam Lotus, o Lancia Delta Integrale, o Subaru 555, o Ford Escort Cosworth, o Ford Sierra Cosworth ou, de mais modernas, como o Porsche 997 ou Skoda Fabia S2000, entre outras, são também um “carimbo” de sucesso no “passaporte” da prova.

Num verdadeiro espírito de “museu vivo”, que estará em ação entre os dias 1 e 3 de novembro, o RallySpirit Altronix está pronto para proporcionar muitas emoções fortes aos milhares de espectadores que deverão acompanhar os três dias de prova, em locais simbólicos e privilegiados de Vila Nova de Gaia e de Barcelos.

No primeiro dia do evento (quinta-feira, 1 de novembro), a tradicional cerimónia de partida simbólica será dada num dos muitos cenários típicos de Vila Nova de Gaia, aproveitando as equipas para fazerem as últimas afinações dos carros no Parque de Assistência, que terá enquadramento perfeito na beleza da cidade da margem sul do Douro.

No dia 2 de novembro, as emoções começarão verdadeiramente a “aquecer”, com os participantes a deslocarem-se para a cidade de Barcelos, para cumprir uma dupla passagem da mítica classificativa da Franqueira. Será com o cronómetro também já ligado, que será disputada a Superespecial noturna no Parque da Feira de Barcelos, enquanto um reagrupamento no centro da cidade será palco privilegiado para maior envolvimento entre pilotos e espectadores, num ambiente de grande descontração.

Para o último dia de prova, fica marcada a passagem por algumas das provas especiais que têm feito a história do evento nos últimos anos, mas também o regresso a Vila Nova de Gaia.

Como admite Pedro Ortigão, responsável pela organização do RallySpirit Altronix 2018, “nesta quarta edição, estamos muito satisfeitos com a adesão das equipas, sobretudo estrangeiras, o que significa que o evento está no bom caminho e a ganhar projeção internacional. A manutenção de Vila Nova de Gaia como centro nevrálgico da prova e as alterações feitas, este ano, no esquema competitivo do rali, tornam o evento mais ‘maduro’. Já a aposta em Barcelos vai de encontro à estratégia de crescimento sustentado que, desde o primeiro momento, alicerçou o RallySpirit Altronix”.

Igualmente satisfeita por voltar a apoiar uma prova que, de ano para ano, ganha maior afirmação e credibilidade entre os eventos desportivos nacionais, também se mostra a autarquia de Vila Nova Gaia. Como sublinha Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente do Município, “uma vez mais o RallySpirit Altronix regressa a Vila Nova de Gaia. E perante o êxito das edições anteriores, não esperamos menos do que um sucesso idêntico ou ainda maior. Os fãs do desporto automóvel vão novamente poder ver bem de perto algumas das melhores máquinas, num evento desportivo também importante para a dinâmica do município. Não poderíamos, por isso, deixar de nos associar, novamente, a esta iniciativa, à qual desejamos, desde já, o maior sucesso”.

No ano de estreia, “é com grande entusiasmo que o município de Barcelos recebe o RallySpirit Altronix 2018”, reconhece Francisco Rocha, Vereador do Desporto da Câmara Municipal do Desporto. “O mítico monte da Nossa Senhora da Franqueira e a sua imponente subida vai proporcionar um excelente espetáculo. Queremos com este evento valorizar e dinamizar a modalidade e também colocar Barcelos no mapa do automobilismo em Portugal. Esperamos que esta seja uma prova única e com um ambiente fantástico que, certamente, irá atrair milhares de espectadores e oferecer um tónico de emoção à disciplina dos ralis. Esta é também uma forma de dar a conhecer a nossa cidade, estando certos que, muitos dos aficionados que vão estar em Barcelos, vão querer regressar, mais tarde, para descobrir todo o nosso património cultural, gastronómico e turístico”.

Motivos de sobra não faltam, portanto, para que o RallySpirit Altronix 2018 possa voltar a dar mais uma prova de vitalidade do desporto automóvel português, num evento que tão bem combina passado com presente, numa atmosfera única de competição, mas também de descontração, que promete não deixar ninguém indiferente.

Agora é só apontar na agenda a data de 1 a 3 de novembro…

ART&TUR VAI MOSTRAR EM PORTUGAL OS MELHORES FILMES DE TURISMO QUE SE PRODUZEM NO MUNDO

 

  • Festival Internacional de Cinema de Turismo vai realizar-se em Leiria, de 23 a 27 de outubro, e terá centenas de filmes de todo o mundo a concurso.
  • Edição deste ano está repleta de novidades, destacando-se a ART&TUR Factory, que levará realizadores internacionais a filmar em aldeias de Portugal.

 

Os melhores filmes de turismo que se produzem em todo o mundo vão ser exibidos em Portugal, durante o Festival ART&TUR, que se realiza em Leiria, de 23 a 27 de outubro.

Esta é a 11.ª edição de um dos maiores eventos mundiais de promoção turística audiovisual. Um festival de cinema de e para o turismo, com uma competição internacional que atrai cerca de uma centena de produtores e realizadores. A concurso estarão filmes de turismo provenientes de todo o mundo, que serão exibidos no Teatro Miguel Franco e no Mercado de Sant’Ana, na cidade de Leiria.

Este ano, as inovações são muitas e extravasam as secções competitivas, tornando o festival num evento ainda mais rico e multifacetado. A grande novidade é o ART&TUR Factory. Uma iniciativa que vai trazer realizadores a Portugal com o objetivo de filmarem e produzirem pequenos filmes que serão exibidos numa sessão especial do certame. Os filmes, com a duração de 2 a 3 minutos, serão rodados em aldeias do Centro de Portugal integradas nas redes das Aldeias Históricas de Portugal e das Aldeias de Xisto.

Desta forma, o Festival ART&TUR irá contribuir para a afirmação institucional da Centro de Portugal Film Commission, entidade recentemente criada com a missão de captar para esta região projetos cinematográficos e audiovisuais e criar as condições adequadas para posicionar o Centro de Portugal como uma referência “film friendly” a nível mundial. A passagem do Festival ART&TUR para a região Centro é, precisamente, o primeiro resultado da colaboração entre o Turismo Centro de Portugal (TCP) e a Centro de Portugal Film Comission.

O Festival ART&TUR estrutura-se em três áreas complementares. O ART&TUR Contest, que consiste no festival de cinema propriamente dito e que inclui duas secções competitivas (“Tourfilm” e “Doc”); o ciclo de palestras e workshops com convidados nacionais e estrangeiros; bem como o ART&TUR Factory.

Componente competitiva muito forte

A componente competitiva do Festival ART&TUR, o ART&TUR Contest, desdobra-se em duas secções. A secção “Tourfilm” é dedicada a campanhas publicitárias, filmes promocionais, vídeos de bloggers de viagens e filmes de animação. A maioria dos filmes inscritos nesta secção tem um carácter promocional, mostrando o melhor que se faz no mundo nesta área. A secção “Doc” exibe curtas-metragens, documentários e programas de televisão, dispostos em categorias temáticas: Turismo Sustentável e Responsável; História & Património; Preservação da Biodiversidade; Desporto & Lazer; Natureza & Vida Selvagem; Etnografia e Sociedade; Biografias; Aventura; Expedições & Viagens; Arte, Música & Cultura; Meio Ambiente e Ecologia; Transportes e Eco-mobilidade.

Os filmes em competição são avaliados por um júri internacional, composto por 22 elementos de 12 países, em três continentes, designadamente Portugal, Espanha, Índia, África do Sul, Alemanha, Brasil, Chile, Holanda, Irão, Letónia, Taiwan e Turquia. Os jurados distribuem-se de forma equilibrada pelas áreas do cinema e TV, do turismo e da comunicação.

Muito mais do que uma competição

Paralelamente à exibição de filmes, o Festival ART&TUR é também um importante fórum de reflexão e de networking para profissionais dos setores do turismo, do audiovisual, do marketing e da comunicação. Anualmente, o programa do Festival inclui conferências, apresentação de casos de sucesso e demonstrações de tecnologia, entre outras iniciativas paralelas.

O Festival ART&TUR tem uma comissão de honra multifacetada, destacando-se a presença dos ministros portugueses da Economia e da Cultura, da Secretária de Estado do Turismo, do presidente do Turismo Centro de Portugal, da Diretora Geral do Património Cultural, do Presidente da Comunidade Intermunicipal do Oeste, do Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal de Coimbra e de 26 presidentes de autarquias do Centro de Portugal.

Como sublinha Francisco Dias, diretor-geral do Festival ART&TUR, “Em conjunto, a Centro de Portugal Film Commission e a ERT Centro de Portugal decidiram adotar um evento já consolidado, usando-o como instrumento eficaz para alavancar o imenso potencial de desenvolvimento da região Centro, através do turismo sustentável e do cinema internacional. Tornou-se evidente que a melhor opção para esse efeito é o Festival ART&TUR”.

 

Sobre o Festival ART&TUR

O ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo teve a sua 1.ª edição em Barcelos, em 2008, e desde então foi assumindo um papel cada vez mais proeminente no apoio ao cinema de turismo e na promoção turística através de meios audiovisuais. As primeiras seis edições tiveram lugar em Barcelos, seguindo-se edições no Porto e em Vila Nova de Gaia. Este ano, aceitou o desafio de rumar a Leiria.

Ari Vatanen é a estrela do Motorshow Autoclássico Porto 2018

A presença de um dos mais espetaculares pilotos de todos os tempos está garantida no Motorshow Autoclássico 2018! O finlandês Ari Vatanen, Campeão do Mundo de Ralis de 1981 e quatro vezes vencedor do Dakar, já confirmou a presença, sucedendo assim a um rol de estrelas internacionais que já passaram pelo evento nortenho, casos de Markku Alen (2007 e 2014), Timo Salonen (2008), Marc Duez (2008), Armindo Araújo (2008 e 2009), Didier Auriol (2010), Massimo Biasion (2011), Stig Blomqvist (2012), Juha Kankkunen (2015), François Delecour (2016) e Hannu Mikkola (2018).

Integrada no Salão Autoclássico, a 16ª edição do Motorshow terá lugar nos dias 5, 6 e 7 de outubro na Exponor e ficará marcada por muitas novidades. Um ano que a organização assume de mudança na já longa história do evento.

Contando desde 2007 com a presença de um cabeça de cartaz internacional, chegou agora a vez de Ari Vatanen dar brilho a mais uma edição do evento. A exuberância ao volante de qualquer carro de competição, associada à simpatia e abertura do nórdico com o público, serão motivos para tornar a sua participação no Motorshow Autoclássico Porto… inesquecível!

O piloto finlandês traz na sua bagagem 101 participações em provas do Campeonato do Mundo de Ralis, tendo representado, oficialmente, marcas como a Ford, Opel, Peugeot, Subaru e Mitsubishi, com as quais conquistou 10 vitórias, 27 pódios e 527 vitórias em provas especiais de classificação, sempre com um estilo de condução rápido e espetacular, que deixou muita saudade!

O triunfo no Campeonato do Mundo de Ralis de 1981, o grave acidente na Argentina com o Peugeot 205 T16, as quatro vitórias no Dakar com a Peugeot e Citroën e as impressionantes participações em Pikes Peak, são talvez alguns dos momentos mais marcantes da sua carreira.

A participação de Ari Vatanen no Motorshow Autoclássico Porto permitirá aos adeptos uma justa homenagem ao piloto, que considera a sua presença como “uma excelente oportunidade para voltar ao convívio com um público muito conhecedor e entusiasta. Tenho um grande prazer em estar neste tipo de eventos, onde existe uma grande proximidade com o público e onde é possível regressar ao volante, fundamentalmente com a preocupação de dar espetáculo.”

Para além de Vatanen, o Motorshow Autoclassico Porto 2018 contará, também, como vem sendo habitual, com a participação de alguns dos principais pilotos nacionais das mais diversas disciplinas, dos Ralis, à Velocidade, passando pelo Off-Road, num ano em que organização propõe um renovado Motorshow.

Um pavilhão exclusivamente dedicado ao Paddock/Exposição e uma pista desenhada, na sua totalidade, nos parques exteriores da Exponor, são as principais novidades para os milhares de aficionados que, todos os anos, não dispensam a visita a esta grande festa do automobilismo nacional.

Pedro Ortigão, da Xikane, responsável pela organização, salienta que “a edição de 2018 representará a renovação do Motorshow Autoclássico Porto. A pista será integralmente desenvolvida no exterior dos pavilhões da Exponor, passando a ser possível ver outro tipo de carros em ação, nomeadamente os da Velocidade, que normalmente, competem apenas nas pistas! Com isso conseguiremos também proporcionar um ambiente mais agradável dentro do Pavilhão do Paddock, passando, portanto, a ser possível desenvolver outro tipo de atividades do interesse do público. A presença do Ari Vatanen será a ‘cereja no topo de bolo’. Um piloto que, além de espetacular, tem uma atitude fantástica com o público.”

De salientar que as candidaturas para a participação no “Motorshow AutoClássico Porto 2018” já se encontram abertas e encerram a 22 de setembro, podendo ser efetuadas através do email: motorshow.porto.xikane@gmail.com.

Mais informações, notícias, curiosidades e histórias na página oficial do evento no Facebook: https://www.facebook.com/MotorshowPorto.

A estória de um amor proibido inspira dois dias de festa na Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo

Reza a lenda, que o caso de amor entre um cavaleiro cristão e a linda filha de um rico judeu, que se refugiou em Castelo Rodrigo, de seu nome Ofa, deu origem ao nome da serra: Serra da Marofa. Este é o mote para uma festa inesquecível, que vai acontecer na Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, nos dias 31 de agosto e 1 de setembro.

“A Lenda da Marofa” é o sétimo evento do ciclo “12 em rede | Aldeias em Festa” que, durante todo o ano, leva animação e cultura às 12 Aldeias Históricas de Portugal. Desta vez, esta lenda  e o património natural e paisagístico da serra da Marofa vão inspirar dois dias de festa na Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo.

Nos dias 31 de agosto e 1 de setembro, a Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, localizada no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo (distrito da Guarda), promove um programa repleto de animação, que inclui teatro, música, visitas guiadas, gastronomia e fotografia. Uma festa que celebra as origens e tradições desta Aldeia Histórica, oferecendo assim aos seus visitantes uma oportunidade única de conhecer Castelo Rodrigo em todo o seu esplendor, e conviver com as suas acolhedoras gentes. A entrada é gratuita.

Com uma elevação de 977 metros de altitude máxima, a Serra da Marofa oferece-nos paisagens a perder de vista, e é um dos cartões de visita de Castelo Rodrigo. A beleza da Aldeia Histórica e da Serra não deixa ninguém indiferente, e é por isso que um dos destaques da festa “A Lenda da Marofa” é um tour fotográfico, na sexta-feira 31 de agosto, depois do qual cada fotógrafo selecionará um conjunto de fotografias que serão de imediato impressas e expostas.

A Associação de Desenvolvimento Turístico das Aldeias Históricas de Portugal propõe pacotes especiais de alojamento e refeições, com preços atrativos, em http://www.aldeiashistoricasdeportugal.com/pacotes_tematicos/12-em-rede-ahp-castelo-rodrigo-lenda-da-marofa/ .

Esta é uma iniciativa das Aldeias Históricas de Portugal e do Município de Figueira de Castelo Rodrigo, apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Participe nesta festa e regresse com o coração cheio de bons momentos!

O ciclo “12 em rede | Aldeias em Festa” só termina em dezembro! Depois de Castelo Rodrigo, as festas continuam nas restantes Aldeias Históricas de Portugal. A saber: Castelo Mendo (14 e 15 de setembro), Trancoso (5 a 7 de outubro), Idanha-a-Velha (1 a 4 de novembro), Monsanto (9 a 11 de novembro) e, finalmente, Belmonte (7 a 9 de dezembro). São nove meses de grande animação e que levarão milhares de visitantes às 12 Aldeias Históricas de Portugal. A não perder!

Sobre o ciclo “12 em Rede | Aldeias em Festa”:

Música, gastronomia, animação de rua, História e estórias, oficinas e muita, muita festa são os traços comuns que vão ligar as 12 Aldeias Históricas de Portugal, cada uma com a sua personalidade característica e singular, mas que em conjunto oferecem experiências únicas a quem os visita.

Como ponto de partida da iniciativa “12 em Rede | Aldeias em Festa” está sempre algo que pertence à memória coletiva de cada aldeia. Tanto pode ser uma personagem, uma lenda ou um conto tradicional, como um acontecimento histórico ou um elemento patrimonial. As histórias e estórias das Aldeias Históricas de Portugal vão sair dos livros e do imaginário da comunidade. São símbolos distintivos e únicos, intimamente ligados a cada aldeia, que se transformam em programas com múltiplos pontos de interesse, capazes de criar recordações inesquecíveis nos habitantes e em quem vem de visita.

 

Números finais comprovam que 2017 foi o ano de todos os recordes para o turismo no Centro de Portugal

  • Dados definitivos, divulgados hoje pelo INE, revelam que dormidas na região aumentaram 19,9 por cento.

Os resultados definitivos da atividade turística em 2017, publicados hoje pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, comprovam que o ano passado foi o ano de todos os recordes para o Centro de Portugal. Os números agora conhecidos são extremamente positivos para o turismo na região, excedendo de forma muito clara os números provisórios, avançados pelo mesmo organismo em fevereiro.

Assim, a região Centro de Portugal registou um crescimento de 19,9% nas dormidas, relativamente ao ano de 2016: foram 6,76 milhões, face a 5,64 milhões nos 12 meses anteriores. Um aumento particularmente relevante se comparado com o crescimento médio de dormidas a nível nacional, que se cifrou em 10,8% no mesmo período.

Merece especial destaque na região o crescimento das dormidas de turistas estrangeiros, que aumentaram 36,3%, de 2,36 milhões para 3,22 milhões. As dormidas de visitantes nacionais cresceram a um ritmo inferior, embora também significativo, de 3,28 milhões para 3,54 milhões: uma subida de 8,0%. Outro indicador positivo é o do total de hóspedes, que evoluiu de 3,23 milhões para 3,80 milhões.

Um aumento tão forte na procura provocou, naturalmente, reflexos nos proveitos totais dos estabelecimentos turísticos do Centro de Portugal. Estes subiram 23,3%, de 256,5 milhões de euros, em 2016, para 316,3 milhões, em 2017. A taxa de ocupação de cada cama subiu de 30,9 para 34,3, enquanto o rendimento médio de cada quarto cresceu 3,6%.

Os dados agora revelados integram o Anuário Estatístico de Turismo de 2017 e mostram os resultados definitivos relativos a todas as tipologias de alojamento turístico, incluindo turismo em espaço rural e alojamento local.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

 

Campanha do Turismo Centro de Portugal é finalista dos Prémios Internacionais de Viagem e Turismo

  • Campanha promocional “Turismo Centro Portugal – Visitar e Ficar é Ajudar” é uma das nove finalistas na categoria Melhor Campanha de Entidade Turística ou de Destino Nacional
  • Vencedores serão conhecidos em Londres, numa gala que terá lugar a 6 de novembro

Data: 1 de agosto de 2018

A campanha promocional “Turismo Centro Portugal – Visitar e Ficar é Ajudar”, do Turismo Centro de Portugal, é uma das finalistas dos Prémios Internacionais de Viagem e Turismo (“International Travel & Tourism Awards”), que serão atribuídos no dia 6 de novembro, em Londres.

O Turismo Centro de Portugal é finalista na categoria Melhor Campanha de Entidade Turística ou de Destino Nacional (“Best National Tourism Board/ DMO Campaign”), uma das mais importantes da competição. A campanha da entidade portuguesa concorre com outras oito, provenientes do Japão, dos Estados Unidos, do Peru, do Egipto, da Jordânia, da Estónia, da Finlândia e das Ilhas Faroé.

Os International Travel & Tourism Awards distinguem o trabalho de organismos de turismo em todo o mundo, bem como de empresas e personalidades que se destacam do setor privado. Os finalistas foram escolhidos por um painel independente de jurados especializados e representam o melhor que se faz no mundo das viagens e do turismo.

A competição é organizada pelo World Travel Market (WTM London), com a colaboração da Organização Mundial de Turismo (UNWTO). O WTM London é um evento internacional que junta a indústria de viagens entre os dias 5 e 7 de novembro, em Londres, e que é o mais importante a nível mundial nesta área de negócios.

Este é o primeiro ano em que os prémios são atribuídos. Os vencedores, nas 13 categorias a concurso, serão anunciados para uma audiência de mais de 500 líderes da indústria do turismo, incluindo governantes, durante uma gala que decorrerá no Tobacco Dock, em Londres.

“Recebemos candidaturas fantásticas de todo o mundo e todas demonstram como o turismo está a desempenhar um papel vital nas economias de diferentes cidades e regiões. Tanto a qualidade como o volume de participantes foi muito impressionante. Os nossos jurados ficaram extremamente impressionados com as candidaturas, o que tornou muito difícil a tarefa de reduzir a lista. Aqueles que estão no lote restrito de finalistas devem saber que atingiram um padrão muito elevado. Será uma cerimónia de atribuição de prémios inspiradora”, declarou Charlotte Alderslade, cofundadora dos International Travel & Tourism Awards.

A campanha “Turismo Centro Portugal – Visitar e Ficar é Ajudar” foi criada na sequência dos incêndios que afetaram a região em 2017, e teve como objetivo principal reafirmar o Centro de Portugal como destino seguro e de confiança. Concretamente, incidiu na promoção das regiões mais afetadas, através de outdoors, reportagens na imprensa e spots de rádio, entre outras iniciativas. Os resultados foram extramente positivos, uma vez que esta região registou um crescimento recorde na procura no ano passado.

Além da campanha do Turismo Centro de Portugal, apenas mais uma candidatura proveniente de Portugal é finalista dos International Travel & Tourism Awards: a Dark Sky Alqueva, na categoria Melhor em Turismo de Aventura. Em competição estão também as categorias, entre outras, de Melhor Campanha Digital no Turismo, Melhor Campanha de Relações Públicas, Melhor em Luxo, Melhor em Bem-Estar, Melhor em Gastronomia ou Melhor em Turismo Responsável.

Mais informações em https://awards.wtm.com/

Sobre o Turismo Centro de Portugal:
O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Para mais informações:

Adriana Rodrigues
Chefe de Núcleo de Administração Geral e Comunicação
Turismo Centro de Portugal
adriana.rodrigues@turismodocentro.pt
+351 926 800 339

Luís Miguel Nunes
Consultor de comunicação
luismiguelnunes@atelierdocaractere.pt
+351 967 638 612

COM O NOVO MOTOR R110, MAIS PRAZER DE CONDUÇÃO PARA O RENAULT ZOE

Num automóvel elétrico, mais potência e melhores acelerações não têm de ser sinónimo de menos autonomia. O novo Renault ZOE R110 confirma-o. Equipado com um novo motor, entre 18% a 22% mais potente do que as versões até agora comercializadas, o ZOE R110 proporciona ainda mais prazer de condução e mantém a fasquia dos 300 quilómetros de autonomia real (homologação WLTP). Ou seja, mesmo nesta versão com 108 cavalos, este é – inequivocamente! – o automóvel elétrico com a melhor relação preço-prestações-autonomia do mercado. O Renault ZOE R110 está disponível, em setembro, a partir de 17.170€*.

O Renault ZOE soma predicados para o fenómeno da democratização dos automóveis zero emissões. Para além de ser o elétrico acessível com a maior autonomia – 300 quilómetros (homologação WLTP) em condições reais de utilização – o modelo da Renault surpreende pelas diferentes versões com que se apresenta no mercado: tanto pode ser adquirido com baterias incluídas ou em regime de aluguer com garantia vitalícia; apresenta-se com três níveis de equipamento que podem incluir os estofos em couro e um sistema de som BOSE®; mas também está disponível com três motores distintos, com potências entre os 88 e os 108 cavalos. No fundo, diferentes propostas que se adaptam a distintas necessidades e estilos de vida, mas com todas a terem em comum um elevado sentido prático e uns imbatíveis custos de utilização.

Acelerações e recuperações ainda mais surpreendentes

A mais recente novidade da gama é o Renault ZOE R110, equipado com o novo motor R110. Com 80 kW (108 cavalos) de potência e 225 Nm de binário, este novo bloco tem exatamente as mesmas dimensões e massa do predecessor R90. No entanto, graças aos 12 kW de potência e 5 Nm de binário adicionais, é mais rápido nas acelerações, como confirmam os números: 0-50 km/h em 3,9 segundos (4,1s R90), 0-80 km/h em 7,6 segundos (8,6s R90), 0-100 km/h em 11,4 segundos (13,2s R90).

Mas também nas recuperações, o Renault ZOE R110 é substancialmente mais rápido do que a versão equipada com o motor R90: como exemplo, os menos dois segundos que precisa para subir dos 80 aos 120 km/h! Ou seja, ainda mais prazer de condução!

Autonomia real de 300 quilómetros

Um bloco desenvolvido em apenas dois anos, que beneficia de um conjunto de inovações no módulo elétrico e na eletrónica de potência, para também manter a já reconhecida eficiência energética do motor R90. Os 300 quilómetros de autonomia real são disso exemplo, sendo de referir que este valor já foi obtido segundo o protocolo WLTP. O novo ciclo de homologação que visa a homologação dos valores de emissões, consumos e autonomia (no caso dos elétricos) mais de acordo com as condições e o modo como conduzimos no quotidiano.

Outra das novidades do Renault ZOE R110 é o facto do sistema R-LINK EVOLUTION com que vem equipado ser compatível com o Android Auto. Uma estreia, que permite projetar no ecrã multimédia de sete polegadas, aplicações de smartphone Android compatíveis com a condução, como o Waze, Deezer, Spotify, TuneIn, Skype, Messenger, Audible e centenas de outras disponíveis no Google Play Store.

Equipamentos para todos os gostos e feitios

Em tudo o resto, o Renault ZOE R110 é idêntico às restantes versões. Mesmo para quem não dispensa mordomias, como os estofos em pele com aquecimento, há a versão BOSE® que, como não podia deixar de ser, faz jus à designação, ao também disponibilizar um irrepreensível sistema de som da conceituada marca de áudio, composto por sete altifalantes.

Tempos de carregamento reduzidos

Nos postos de carregamento rápido de 43kW (64A) ou acelerado 22kW (32A), o novo Renault ZOE R110 precisa de 100 minutos para carregar as baterias desde zero até aos 80 por cento de carga (240 quilómetros de autonomia).

Custos de utilização imbatíveis

Como não podia deixar de ser, também os custos de utilização do Renault ZOE R110 são imbatíveis quando comparados com os de um automóvel equipado com motor de combustão. Para 100 quilómetros são precisos apenas 1,3€ em “combustível”, ou melhor, em eletricidade. Para isso acontecer, a tarifa de eletricidade contratualizada só tem de ser bi-horária. Se não for o caso, a mesma centena de quilómetros tem um custo máximo de 2,2€! Ou seja, um valor incomparavelmente inferior ao que é reivindicado pelos mais económicos diesel.

Mas as poupanças não se ficam por aqui: como todos os automóveis elétricos, o Renault ZOE R110 está isento do pagamento de Imposto Único de Circulação, não é abrangido pela tributação autónoma, não paga estacionamento na cidade de Lisboa e o custo de uma revisão é substancialmente inferior!

E, se todos os números anteriores são válidos para um cliente particular, que dizer para uma empresa, que também beneficia da dedução integral do IVA?

Preço a partir de 17.170€

O Renault ZOE R110 pode ser adquirido a partir de 17.170€* associado a um contrato de aluguer e serviços relacionados com as baterias. Se a opção recair na compra do novo Renault ZOE R110 com as baterias incluídas, o preço começa nos 28.830€**.
Em qualquer dos casos é oferecida a Wallbox de 7,4kW para instalação doméstica.

O Renault ZOE R110 beneficia, tal como os restantes modelos da gama Renault, da garantia contratual de cinco anos / 100.000 km. Na modalidade de aquisição da bateria, a mesma tem uma garantia de 8 anos (para uma capacidade de armazenagem superior a 60%). No caso da modalidade de aluguer da bateria, as condições contratuais (troca da bateria assegurada pela marca em caso de mau funcionamento ou se a capacidade de armazenagem descer abaixo dos 75 %) fazem com que na prática a garantia seja… vitalícia!

O Novo ZOE R110 estará disponível na rede de Concessionários Renault a partir do início do próximo mês de setembro.

*Associado a um contrato de aluguer da bateria, beneficiando da dedução integral do IVA. Incluído o incentivo do estado no valor de 2.250€. Não estão incluídas as despesas administrativas.

** Beneficiando do incentivo do estado no valor de 2250€ e com uma retoma e financiamento RCI Bank. Não estão incluídas as despesas administrativas.

FOTOGRAFIAS EM: https://www.flickr.com/photos/renaultportugal/albums/72157669625051897

Empresários de turismo do Centro de Portugal esperam resultados positivos neste verão

  • Inquérito do recém-criado Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal revela que a grande maioria dos empresários prevê que 2018 seja melhor que 2017

Data: 31-07-18

Quase 80 por cento dos empresários de turismo do Centro de Portugal esperam que os resultados da sua atividade no verão de 2018 sejam iguais ou superiores aos do ano passado. Este é um resultado preliminar de um inquérito feito aos empresários pelo recém-criado Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal.

O inquérito, que serviu para testar a operacionalidade da nova plataforma, inquiriu os empresários sobre as “Expetativas de evolução do número de clientes/visitantes para os meses de julho a setembro de 2018, comparativamente ao mesmo período de 2017”. Dos 116 empresários que responderam, 13,8% esperam um resultado “claramente superior a 2017”; 33,6% acreditam num resultado “ligeiramente superior”; e 31,9% preveem um resultado “semelhante”. Menos otimistas estão os 12,1% que aguardam um resultado “ligeiramente inferior” e os 8,6% que antecipam um resultado “claramente inferior” a 2017.

Entre outras iniciativas, o Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal encontra-se em fase de inventário dos recursos e atrações turísticas do Centro de Portugal, em estreita colaboração com os 100 municípios que integram a região. Ao mesmo tempo, está a proceder, junto dos empresários, a um levantamento de todas as unidades de negócio diretamente ou indiretamente relacionadas com a atividade turística.

O Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal é um mecanismo criado pelo Turismo Centro de Portugal com o objetivo de monitorizar todos os aspetos relacionados com o turismo na região, em especial os seus impactos económicos, sociais, culturais e ambientais.

Desenvolvido com o apoio técnico e científico do Instituto Politécnico de Leira (IPL) e apoio tecnológico da Primelayer, empresa incubada no Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, o Observatório é um Sistema de Monitorização da Atividade Turística (SMAT) que cumpre, na íntegra, os requisitos preconizados pela União Europeia através do “European Tourism Indicators System “ (ETIS). Mas vai mais longe, integrando outros indicadores específicos, para garantir uma aferição adequada da atividade turística da região Centro de Portugal e de todos os seus agentes turísticos: empresas, autarquias, comunidades intermunicipais, população local e turistas/visitantes.

O resultado mais prático será a produção de relatórios mensais, semestrais e anuais, que servirão de orientação para uma gestão de qualidade, baseada no conhecimento, de todos agentes turísticos da região.

O Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal é um projeto apoiado pelo Centro 2020.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:
O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

RENAULT formaliza investimento na fábrica de CACIA!

Na presença do Primeiro-Ministro António Costa, a Renault S.A. e o AICEP formalizaram, hoje, um investimento superior a 100 milhões de euros na fábrica de Cacia. O objetivo é produzir uma nova caixa de velocidades para os modelos mais representativos do Grupo Renault, mas também da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. A cerimónia foi, também, aproveitada para a oferta de duas viaturas a outras tantas corporações de bombeiros da região de Aveiro, naquela que foi a primeira iniciativa da Fundação Renault.

JÁ EM CURSO PROCESSO PARA A PRODUÇÃO DA NOVA CAIXA DE VELOCIDADES

Na sequência do anúncio feito em novembro de 2016, a Renault S.A. formalizou, hoje, com o Estado português, um investimento de montante superior a 100 milhões de euros na Renault Cacia, para a produção de uma nova geração de caixas de velocidades. Um processo que já está em curso e que visa a modernização da unidade industrial, a criação de uma linha de montagem específica, a contratação de pelo menos 150 novos colaboradores com contratos de trabalho sem termo, bem como milhares de horas em formação.

Uma aposta que garante o futuro da fábrica para os próximos anos, mas que também faz jus a um passado de investimentos da Renault, já com mais de meio século de história. Na realidade, a Renault é talvez o fabricante automóvel que mais tem apostado em Portugal e na qualidade da produção nacional.

RENAULT O FABRICANTE AUTOMÓVEL QUE MAIS TEM APOSTADO EM PORTUGAL

Hoje, o Grupo Renault, em Portugal, representa dois mil empregos diretos e o mesmo número de indiretos, através da rede de distribuição. O volume de negócios global é de cerca de mil e duzentos milhões de euros. Ou seja, um grupo no sentido estrito do termo, com uma filial comercial (Renault Portugal), uma filial de distribuição automóvel (Renault Retail Group), uma filial de serviços financeiros (RCI Bank) e, claro, a fábrica Renault Cacia.

No caso concreto desta última, destaque para o facto de exportar a totalidade da produção para 12 países (África do Sul, Argélia, Brasil, Espanha, França, Grã-Bretanha, Irão, Malásia, Marrocos, México, Roménia e Rússia), distribuídos por quatro continentes.

Com um volume de negócios recorde, em 2017, a Renault Cacia é uma das primeiras empresas exportadoras do país e a segunda maior unidade industrial de construtores automóveis, em Portugal, em número de colaboradores – hoje, o número já supera os 1.400! Só em 2017, foram dadas mais de 50.000 horas de formação.

O investimento em curso deve-se, também, à excelência do trabalho realizado pelos profissionais da Renault Cacia.

Nos três últimos anos, a unidade portuguesa foi considerada, de entre todas as fábricas de componentes mecânicos do Grupo Renault e da Aliança Renault-Nissan em todo o mundo, a melhor na produção de caixas de velocidades, segundo os exigentes critérios de Qualidade, Custo e Prazo!

TODOS OS RENAULT NO MUNDO TÊM PELO MENOS UM COMPONENTE PRODUZIDO EM CACIA

Mais de 70 por cento do volume de negócios da Renault Cacia diz respeito à produção de caixas de velocidades (725 000 em 2017). A restante percentagem é repartida por diversos componentes, nomeadamente bombas de óleo (do qual é o maior fornecedor de todo o Grupo Renault), árvores de equilibragem e outras referências para caixas e motores. Com uma produção tão especializada e diversificada, pode dizer-se que, em cada automóvel Renault que circula no mundo, existe pelo menos um componente fabricado na Renault Cacia.

A unidade está situada num complexo industrial de 340.000 m² de área total, dos quais 70.000 m² de área coberta. Números que, a médio prazo, vão ser superiores, face a um plano de expansão da área coberta.

UMA HISTÓRIA (QUASE) COM 37 ANOS

A Renault Cacia foi inaugurada em setembro de 1981, com o objetivo de produzir os mais diversos componentes mecânicos, como caixas de velocidades. Inclusivamente, até 1996, a unidade dedicou-se, também, à fabricação de motores, tendo produzido 3,5 milhões de unidades. A título de curiosidade, sublinhe-se que o motor da primeira geração do Twingo foi fabricado – em exclusivo! – em Cacia.

Em 2017 a Renault Cacia atingiu o número de 10.000.000 de caixas de velocidade produzidas. Uma nova efeméride em 2018 com a produção da bomba de óleo número 40.000.000.

Registe-se que a Renault Cacia é o maior fornecedor, a nível mundial, do Grupo Renault de bombas de óleo.

FUNDAÇÃO RENAULT É MAIS UMA APOSTA EM PORTUGAL

Mas no dia em que formalizou um investimento de montante superior aos 100 milhões de euros, também na Renault Cacia, foi promovida a primeira iniciativa da Fundação Renault: a oferta de dois Renault Kadjar a outras tantas corporações de bombeiros da região de Aveiro, uma das mais fustigadas pelos incêndios de 2017.

A Fundação Renault vai ser oficialmente apresentada em setembro deste ano e tem como objetivo trabalhar todas as atividades de responsabilidade social do Grupo Renault, nomeadamente ao nível da segurança rodoviária, educação, igualdade e mobilidade sustentável.

Turismo do Centro implementa sistema que permite conhecer perfil dos turistas em tempo real

  • Sistema foi desenvolvido por empresa da região Centro de Portugal.

19 de julho de 2018

 

O Turismo Centro de Portugal implementou um sistema informático que possibilita a monitorização em tempo real do perfil dos turistas que visitam a região. A partir de agora, os postos de turismo do Centro de Portugal podem fornecer todas as informações sobre os visitantes, de forma automática e imediata.

Os postos de turismo do Turismo Centro de Portugal em Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Viseu, Covilhã, Fátima e Vilar Formoso foram equipados com tablets, que são entregues aos visitantes que entram nos postos. Cada tablet está equipado com o software Regis4Tour que, através de um inquérito, permite a obtenção de dados em tempo real do perfil e motivação dos turistas.

Entre os dados obtidos, estão a nacionalidade do visitante, a região de proveniência, género, idade, companhia na viagem e o motivo principal de escolha do destino, os locais que visitou ou pretende visitar e o meio que o levou a escolher o destino, entre outros.

O objetivo deste sistema é monitorizar a atividade turística regional e sub-regional e contribuir para um melhor conhecimento integrado do setor, complementando uma lacuna identificada. O sistema de recolha de dados dos turistas nos postos de informação turística era, até agora, incipiente, dada a escassez de informação produzida por qualquer entidade.

O sistema Regis4Tur foi desenvolvido pela ClickPink, empresa de software da região Centro de Portugal.

Esta é uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.