Mítico Ford RS200 regressa a Portugal no RallySpirit Altronix!

O Ford RS200 pertence ao restrito leque de automóveis lendários que participaram na “era de ouro” do Campeonato do Mundo de Ralis. E é precisamente um destes exemplares que regressará a Portugal para integrar o conjunto de míticos automóveis presentes na quarta edição do RallySpirit Altronix, justamente 32 anos depois da sua derradeira presença num rali em solo nacional.

Sendo um dos mais admirados e prezados modelos da geração dos denominados “Super Grupo B”, que atingiu o seu auge no ano de 1986, o Ford RS200 promete, desde já, ser uma das grandes sensações da prova, disputada entre 1 e 3 de novembro, entre Vila Nova de Gaia e Barcelos, que tem já a presença assegurada de mais de 100 equipas.

Ao volante da deslumbrante máquina, cuja potência rondará os 450 cavalos, estará o inglês Nigel Mummery, acompanhado pela navegadora Fiona Scarrett. Depois de ter levado o raro modelo (foram apenas construídas 200 unidades) a alguns dos mais importantes “rally-legends” europeus da atualidade, como o Rally Legends San Marino (Itália), Rally Eifel (Alemanha) e Rallye Festival Transmiera (Espanha), a dupla britânica abrilhantará agora o RallySpirit Altronix 2018, tornando-se um dos principais atrativos para os milhares de espetadores que acompanharão a prova organizada pela Xikane…

Mas não o único! A par do Ford RS200, que, recorde-se, na década de 80 e, em Portugal, também se notabilizou pelas mãos da equipa Diabolique Motorsport e do piloto Joaquim Santos, o RallySpirit Altronix reunirá um conjunto de míticos carros que fazem parte da história dos ralis, como o Alpine-Renault A110, Fiat 131 Abarth, Renault 5 Turbo, Porsche 911, Ford Escort, Lancia Delta Integrale, entre tantos outros, que, por certo, permitirão ao público (re)viver excelentes momentos de adrenalina e nostalgia.

Mais pormenores sobre o Ford RS200 e sobre a prova ficam reservados para a cerimónia de apresentação, agendada para a próxima terça-feira (dia 23 de outubro), pelas 18h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Gaia, e onde também será revelada a principal “figura de cartaz” do evento.

RallySpirit Altronix já conta com 90 inscritos!

Marca já indelével do panorama do desporto automóvel português, o RallySpirit Altronix regressa de 1 a 3 de novembro e prepara-se para voltar a deixar o seu cunho de diferenciação entre os eventos de automobilismo. Abraçando, novamente, o conceito de “Rally-Legend”, a prova disputar-se-á, desta feita, entre Vila Nova de Gaia e Barcelos. Noventa equipas já confirmaram a sua inscrição, com míticos carros de diferentes gerações, que prometem mexer com as emoções dos muitos aficionados deste tipo de provas.

Pelo quarto ano consecutivo, o RallySpirit Altronix apresentará mais uma edição repleta de motivos de interesse, “piscando o olho” aos aficionados do automobilismo em geral, e dos ralis, em particular, mas também aos muitos “anónimos” que não resistem à tentação de viver as emoções fortes que uma prova como esta proporciona.

A cerca de dois meses do início da quarta edição, são já 90 as equipas que confirmaram a sua participação no RallySpirit Altronix, provando que a fórmula de “Rally-Legend” que a organização da Xikane foi pioneira em Portugal goza, atualmente, de pleno sucesso. A “receita” é, de resto, conhecida e junta pilotos de nomeada e com reconhecido palmarés, a carros icónicos que integram a lendária história dos ralis e atravessam a fronteira do tempo, ligando passado e presente.

Com conceituadas equipas portuguesas (inclusivamente da Madeira), mas igualmente formações espanholas e irlandesas com presença já assegurada – a que se juntará o piloto “figura de cartaz” da prova a anunciar brevemente -, está dado o primeiro passo para o êxito da prova que, na estrada, será gerida pelo experiente Clube Automóvel de Santo Tirso.

Mas o prestígio de máquinas tão emblemáticas que integram o património dos ralis internacionais como o Alpine-Renault A110, o Fiat 131 Abarth, o Ford Escort RS, o Porsche 911, o Renault 5 Turbo, o Talbot Sunbeam Lotus, o Lancia Delta Integrale, o Subaru 555, o Ford Escort Cosworth, o Ford Sierra Cosworth ou, de mais modernas, como o Porsche 997 ou Skoda Fabia S2000, entre outras, são também um “carimbo” de sucesso no “passaporte” da prova.

Num verdadeiro espírito de “museu vivo”, que estará em ação entre os dias 1 e 3 de novembro, o RallySpirit Altronix está pronto para proporcionar muitas emoções fortes aos milhares de espectadores que deverão acompanhar os três dias de prova, em locais simbólicos e privilegiados de Vila Nova de Gaia e de Barcelos.

No primeiro dia do evento (quinta-feira, 1 de novembro), a tradicional cerimónia de partida simbólica será dada num dos muitos cenários típicos de Vila Nova de Gaia, aproveitando as equipas para fazerem as últimas afinações dos carros no Parque de Assistência, que terá enquadramento perfeito na beleza da cidade da margem sul do Douro.

No dia 2 de novembro, as emoções começarão verdadeiramente a “aquecer”, com os participantes a deslocarem-se para a cidade de Barcelos, para cumprir uma dupla passagem da mítica classificativa da Franqueira. Será com o cronómetro também já ligado, que será disputada a Superespecial noturna no Parque da Feira de Barcelos, enquanto um reagrupamento no centro da cidade será palco privilegiado para maior envolvimento entre pilotos e espectadores, num ambiente de grande descontração.

Para o último dia de prova, fica marcada a passagem por algumas das provas especiais que têm feito a história do evento nos últimos anos, mas também o regresso a Vila Nova de Gaia.

Como admite Pedro Ortigão, responsável pela organização do RallySpirit Altronix 2018, “nesta quarta edição, estamos muito satisfeitos com a adesão das equipas, sobretudo estrangeiras, o que significa que o evento está no bom caminho e a ganhar projeção internacional. A manutenção de Vila Nova de Gaia como centro nevrálgico da prova e as alterações feitas, este ano, no esquema competitivo do rali, tornam o evento mais ‘maduro’. Já a aposta em Barcelos vai de encontro à estratégia de crescimento sustentado que, desde o primeiro momento, alicerçou o RallySpirit Altronix”.

Igualmente satisfeita por voltar a apoiar uma prova que, de ano para ano, ganha maior afirmação e credibilidade entre os eventos desportivos nacionais, também se mostra a autarquia de Vila Nova Gaia. Como sublinha Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente do Município, “uma vez mais o RallySpirit Altronix regressa a Vila Nova de Gaia. E perante o êxito das edições anteriores, não esperamos menos do que um sucesso idêntico ou ainda maior. Os fãs do desporto automóvel vão novamente poder ver bem de perto algumas das melhores máquinas, num evento desportivo também importante para a dinâmica do município. Não poderíamos, por isso, deixar de nos associar, novamente, a esta iniciativa, à qual desejamos, desde já, o maior sucesso”.

No ano de estreia, “é com grande entusiasmo que o município de Barcelos recebe o RallySpirit Altronix 2018”, reconhece Francisco Rocha, Vereador do Desporto da Câmara Municipal do Desporto. “O mítico monte da Nossa Senhora da Franqueira e a sua imponente subida vai proporcionar um excelente espetáculo. Queremos com este evento valorizar e dinamizar a modalidade e também colocar Barcelos no mapa do automobilismo em Portugal. Esperamos que esta seja uma prova única e com um ambiente fantástico que, certamente, irá atrair milhares de espectadores e oferecer um tónico de emoção à disciplina dos ralis. Esta é também uma forma de dar a conhecer a nossa cidade, estando certos que, muitos dos aficionados que vão estar em Barcelos, vão querer regressar, mais tarde, para descobrir todo o nosso património cultural, gastronómico e turístico”.

Motivos de sobra não faltam, portanto, para que o RallySpirit Altronix 2018 possa voltar a dar mais uma prova de vitalidade do desporto automóvel português, num evento que tão bem combina passado com presente, numa atmosfera única de competição, mas também de descontração, que promete não deixar ninguém indiferente.

Agora é só apontar na agenda a data de 1 a 3 de novembro…

RallySpirit Altronix ou… saudável conflito de gerações!

Magnífica atuação de Ari Vatanen e regresso de Armindo Araújo levam público ao rubro

 

  • Ari Vatanen brilhou na simpatia e no espetáculo que deu com o mítico Ford Escort WRC  
  • Armindo Araújo encantou espectadores com regresso muito esperado
  • Vitórias para ValterGomes (Porsche) nos “Históricos” e Pedro Leal (Mitsubishi) nos “Spirit” 
  • Prova embelezada pelo cenário da Marginal e Mosteiro da Serra do Pilar em Vila Nova de Gaia, e pelas classificativas do Coronado

 

Viajar no tempo faz ainda parte da uma realidade distante e utópica. Mas para os amantes do desportivo automóvel, a terceira edição do RallySpirit permitiu recuar na história e viver momentos únicos de revivalismo, com a presença de alguns dos mais icónicos carros de ralis de todos os tempos, a que se juntaram pilotos que escreveram algumas das mais belas páginas da história do automobilismo mundial e nacional.

Mas, durante dois dias, entre Vila Nova de Gaia e a Vila do Coronado, o passado “andou de mãos dadas” com o presente uma vez que, no mesmo palco, o RallySpirit Altronix também juntou os pilotos e máquinas da última geração, que, sem preconceitos, conviveram, pintando um quadro emocional “sui generis”.

Tão importante como o espetáculo desportivo proporcionado pela organização da Xikane e do Clube Automóvel de Santo Tirso foi o ambiente de descontração que é também já uma das imagens de marca do evento. Os espectadores tiveram o invulgar privilégio de conviverem informalmente com os seus ídolos, muitos aproveitando para tirar “aquela” selfie com o seu carro preferido como pano de fundo, fosse ele um elegante Alpine-Renault, um vestuto Fiat 131 Abarth, um respeitável Renault 5 Turbo, um venerável Lancia 037 ou uns mais comuns, mas sempre admiráveis Ford Escort ou Porsche 911 de diferentes gerações, sem esquecer a célebre Renault 4 L que fez algumas provas do Campeonato do Mundo de Ralis e não podia também deixar de lançar o seu charme no RallySpirit Altronix.

Em três parágrafos explica-se então o sucesso de mais uma edição do RallySpirit Altronix, num exercício, apesar de tudo, redutor para a amplitude das emoções vividas por todos os fãs do automobilismo e dos muitos curiosos que facilmente criaram empatia com o evento pelo jogo de sensações oferecido.

Não é todos os dias que se vê em ação um ex-Campeão do Mundo de Ralis como Ari Vatanen, a guiar um mítico Ford Escort WRC. Não é todos os dias que se assiste ao regresso à atividade de um Bicampeão do Mundo de Ralis (PWRC), como Armindo Araújo, ou de um Campeão do Mundo FIA de Grupo N, como Rui Madeira. À parada de estrelas juntaram-se mais três campeões nacionais de ralis – Adruzilo Lopes, Bernardo Sousa e Pedro Meireles -, numa lista de ilustres nomes do automobilismo, sempre prontos para dar o seu contributo para um espetáculo de luxo.

Mas foi, naturalmente, Vatanen que concentrou as maiores atenções, com aquele que é um dos expoentes máximos da geração dos míticos “finlandeses voadores” a mostrar-se plenamente satisfeito com este regresso a Portugal. “Gostei muito de voltar a Portugal, num rali bem organizado, com bons troços e um excelente ambiente. Foi ótimo sentir que a paixão pelos ralis continua viva em Portugal, com um público conhecedor e entusiasta, assim como voltar a guiar o Ford Escort WRC, que me tinha acompanhado nos últimos anos da minha carreira de WRC. Claro que o ritmo já não foi o mesmo, até porque estava no RallySpirit para dar espetáculo e não para lutar contra o cronómetro, mas, mesmo assim, só posso dizer que me diverti imenso”, revelou, à chegada a Vila Nova de Gaia, o piloto de 65 anos e que ostenta o título de Campeão do Mundo de Ralis de 1981 e de “campeão da simpatia”.

Também para Armindo Araújo, a estrela portuguesa de ralis com melhor palmarés internacional, o RallySpirit Altronix foi uma excelente oportunidade para reviver as sensações únicas que os ralis proporcionam. O Bicampeão do Mundo de PWRC levou ao rubro o público com a sua condução espetacular, num Mitsubishi Lancer Evo IX igual ao que conquistou os dois títulos mundiais, referindo que “foi uma prova fantástica, onde relembrei o ambiente e a popularidade dos ralis, que tem tudo a ganhar com este tipo de ‘rally-legends’, um conceito que está a vingar por toda a Europa. Pessoalmente, deu-me gozo regressar, mas foi apenas um regresso esporádico, pois só admitiria voltar ao ativo integrado numa equipa oficial e não tenho planos para isso”.

No capítulo desportivo, a prova contou, também, com todos os ingredientes de sucesso, nas nove Provas Especiais de asfalto disputadas entre Gaia e Coronado. Na Categoria “Históricos”, a luta pela vitória esteve sempre ao rubro, mas o triunfo final terminou nas mãos da dupla Valter Gomes/Fábio Santos, cujo Porsche 911 RSR levou a melhor sobre Opel 1904 SR de Pedro Couceiro/António Duarte, ainda que, com a magra diferença de 4.0s, após uma fantástica recuperação da dupla do Porsche, que se atrasou no primeiro dia de prova. O pódio ficou completo com a equipa espanhola Julio Borja/Adrian Vazquez, em Porsche 911 SC, uma das muitas que chamou à estrada uma grande afluência de galegos.

Na Categoria “Spirit”, Pedro Leal vingou a derrota do ano passado, dominando de fio a pavio, sempre com Isabel Ramalho como navegadora e contando com os fieis serviços e rápidas prestações do Mitsubishi Lancer Evo VI. Mais animada foi luta pelo segundo lugar, que chegou a envolver os Ford Escort MK II de Eduardo Veiga e Gonçalo Figueiroa, bem como o Citroën ZX Kit Car do espanhol Emílio Vazquez e o Citroën C2 S1600 de Luís Delgado. Acabaria, de resto, por ser precisamente Luís Delgado (navegado por André Carvalho), a assegurar, na última classificativa, o lugar intermédio do pódio, com uma escassa vantagem de 1.1s sobre o Escort de Veiga, após mais de 40 km disputados ao cronómetro.

Numa prova que contou com quase 100 participantes e que teve partida e chegada apoteótica na Marginal de Vila Nova de Gaia, Pedro Ortigão, responsável pela Xikane, só podia fazer um balanço positivo de dois dias de intensas emoções: “ficamos muito satisfeitos por termos voltado a reunir um lote de carros muito bom, que proporcionaram um excelente espetáculo, com muita competição, mas sem nunca se perder o espírito de confraternização entre as equipas adversárias. No fundo, voltamos a marcar passo com uma verdadeira festa dos ralis, que, no próximo ano, queremos ainda melhorar e tornar mais apelativa para os milhares de espectadores que, nestas três edições, a ajudaram a crescer e para todos aqueles que ainda não a conhecem”.

Esse é então o objetivo da organização para o RallySpirit Altronix 2018 que terá tudo para voltar a encantar equipas e espectadores e cuja contagem decrescente já começou…

Classificação final em wwr.stm.pt/spirit2017/results.

“Reunião” de Campeões no RallySpirit Altronix!

Ari Vatanen, Armindo Araújo e Rui Madeira presentes na prova de Gaia e Coronado

 

Passado e presente têm encontro marcado no RallySpirit Altronix 2017! Carros míticos de ralis, transversais a várias gerações, vão cruzar-se e prometem levar ao rubro as emoções dos muitos aficionados do desporto motorizado, num evento onde a qualidade dos pilotos fica “acima de qualquer suspeita”. Só ex-Campeões do Mundo de Ralis são três! Ari Vatanen, Armindo Araújo (campeão PWRC) e Rui Madeira (vencedor da Taça FIA Grupo N) fazem as honras da casa…

 

 

Depois de dois anos de afirmação, o RallySpirit Altronix vai voltar a “respirar” adrenalina, prometendo arrastar para a estrada, a 10 e 11 de novembro, uma autêntica legião de fãs.

Originalidade na exploração do conceito “rally legend” e singular envolvência da prova, que a coloca no mapa dos eventos motorizados mais emocionais para o público, são a receita de sucesso do RallySpirit Altronix que, na terceira edição, vai contar com a participação de uma centena de equipas.

Se, em 2016, a estrela maior foi Miki Biasion, no Lancia Rally 037, desta feita, a “personagem principal” do RallySpirit será o ex-Campeão do Mundo de Ralis, Ari Vatanen, que promete dar espetáculo ao volante de um Ford Escort WRC, igual ao que guiou na equipa oficial da Ford, no final da sua carreira no Campeonato do Mundo de Ralis.

Com um palmarés desportivo impressionante – Campeão do Mundo de Ralis em 1981 (em Ford Escort RS1800), 10 vitórias em provas do WRC e quatro triunfos no mítico Rally Paris Dakar -, Vatanen é, no entanto, muito mais do que um bem-sucedido piloto, já que a sua experiência na cena política internacional – onde exerceu, por duas vezes, o cargo de eurodeputado – fez com que ganhasse, pelas suas atitudes e defesa de interesses do próximo, o respeito e admiração de todos.

No regresso a Portugal, o piloto finlandês mostra-se “muito satisfeito por conviver novamente com os fãs dos ralis portugueses, que tanta paixão têm por este desporto, mas também por ir voltar a guiar um carro tão fantástico como o Ford Escort WRC, com que espero divertir-me e dar espetáculo.”

 Mas se esta personagem impar do automobilismo será o “ás de trunfo” da prova, a presença do Bicampeão do Mundo de PWRC, Armindo Araújo, também se afigura como um chamariz importante para os amantes do desporto motorizado. Após quatro anos de total ausência dos ralis, o ex-piloto da equipa oficial WRC Team MINI Portugal aceitou o convite da organização para ser uma das figuras da prova e pilotar um Mitsubishi Lancer Evo, o carro com que conquistou os dois títulos mundiais de PWRC! Por outras palavras: espetáculo garantido!

E com Armindo Araújo presente, será possível ver em ação quatro campeões nacionais de ralis! Ao tetracampeão nacional, junta-se o tricampeão Adruzilo Lopes (Porsche 997 GT3) e os campeões Bernardo Sousa (Ford Escort RS 1800) e Pedro Meireles (Skoda Fabia R5), numa ilustre lista de inscritos que não ficaria completa sem a presença do também Campeão do Mundo de Grupo N (ou para os mais puristas, Vencedor da Taça FIA de Grupo N), Rui Madeira (Ford Sierra Cosworth).

Uma “reunião”, afinal, de grandes campeões, onde nomes como o de Carlos Vieira (Citroën DS3 R5), Vítor Pascoal (Porsche 997 GT3), Pedro Leal (Mitsubishi Lancer Evo 6) ou dos espanhóis Toño Villar (Ford Escort WRC) e José Pujol (Lancia 037), também participantes, em nada destoam.

Para além de poderem conviver com nomes consagrados do automobilismo, os espectadores terão a rara oportunidade de ver, em ação, alguns dos mais emblemáticos carros de ralis, representativos de categorias tão apreciadas como “World Rally Cars” (WRC), “Grupo B”, “Kit Car”, “S1600”, “R5” e “RGT”, onde também se destacam modelos tão apaixonantes como os Renault Alpine A110 e 5 Turbo, Fiat 131 Abarth, Ford Escort MK I e MK II, Lancia Delta Integrale 16V, Citroën ZX Kit Car e Saxo S1600, Peugeot 206 S1600… só para falar dos que mais paixões despertam.

Segundo Pedro Ortigão, responsável máximo da Xikane, “com pilotos tão credenciados e máquinas tão emotivas como as que se apresentarão à partida da terceira edição do RallySpirit Altronix, está garantido um grande espetáculo para o público. A confirmação de Ari Vatanen como cabeça de cartaz da prova, o regresso de Armindo Araújo à competição e a presença de pilotos com tantos títulos no palmarés confirma, também, a evolução do evento. Com 100 equipas inscritas, muitas delas com carros diferentes dos que normalmente se vêm nos ralis, e com a envolvência proporcionada pelos bonitos cenários de Vila Nova de Gaia e da Vila do Coronado, o RallySpirit tem tudo para atrair multidões.”

Com um esquema competitivo concentrado, idealizado pelo Clube Automóvel de Santo Tirso, que volta a ter Vila Nova de Gaia e a Vila do Coronado como principais polos operacionais, o RallySpirit Altronix será disputado, ao longo de nove Provas Especiais de asfalto. Tripla passagem pela classificativa da Serra (9,50 km) e duplas passagens pelas especiais do Coronado (6,15 km) e Assunção (4,20 km) prometem um rali emocionante, onde a novidade da Super Especial “Gaia” (disputada no Quartel da Serra do Pilar) e a Partida Simbólica na Marginal de Gaia, muito ajudarão, por certo, a aquecer o ambiente.

Motivos de sobra não faltam, portanto, para que o RallySpirit Altronix volte a concentrar doses massivas de adrenalina nos pilotos e nos milhares de espectadores esperados no centro da ação. Agora é só apontar na agenda a data de 10 e 11 de novembro…

RallySpirit Altronix 2016 coroado de êxito

Regresso a Portugal e atuação de Miki Biasion fascinou espectadores

 

  • Bicampeão do Mundo, Miki Biasion, encantou milhares de pessoas que acompanharam a prova na estrada, levando o seu mítico Lancia 037 ao quarto lugar final
  • Vitória absoluta foi para o Ford Escort MK II de Eduardo Veiga.
  • Palco da Marginal e Mosteiro da Serra do Pilar, em Vila Nova de Gaia deram brilho ao evento, disputado nas magníficas classificativas do Coronado

 

Foram dois dias recheados de emoções e adrenalina, onde milhares de pessoas “viajaram no tempo” para conviverem com os carros e pilotos que escreveram a história dos ralis. Uma viagem que, metaforicamente, se prolongou por cinco décadas, tantas foram as vivências proporcionadas aos amantes do desporto motorizado e, em particular, ao dos ralis, por esta segunda edição do RallySpirit Altronix.

Votado ao sucesso desde o primeiro momento, o evento reuniu cerca de 100 equipas, muitas das quais apresentaram à partida carros verdadeiramente icónicos e carregados de história como os míticos e saudosos Lancia 037 e Delta Integrale, Alpine Renault e Renault 5 Turbo, Fiat 131 abarth, Porsche 911, Audi Quattro, só para falar dos mais emblemáticos e os que mais admirações arrancaram aos fãs.

Como se de um museu ambulante se tratasse e num ambiente único e unanimemente elogiado por todos os pilotos e navegadores, o RallySpirit Altronix 2016 reuniu também um leque de pilotos com currículo de luxo, do qual o Bicampeão do Mundo de Ralis, Miki Biasion, foi a expressão máxima em termos de popularidade e de química com os adeptos dos ralis.

Aliás, um dos segredos de sucesso da prova, foi mesmo a heterogeneidade dos pilotos, provindos de várias disciplinas do automobilismo, desde os Ralis à Velocidade, passando pelo Todo-o-Terreno, provando que o conceito de “rally-legend” associado à eficaz organização, pode cativar todo o género de pilotos, potenciando, ainda mais, o desporto motorizado.

Na edição de 2016, a prova organizada pela Xikane e dirigida desportivamente pelo Clube Automóvel do Minho, revelou-se, então, um assinalável êxito, fruto também das opções de direcionar o rali para Vila Nova de Gaia, onde a partida simbólica na zona ribeirinha e a posterior subida até ao Quartel da Serra do Pilar na noite de sexta-feira, se afirmaram como pontos altos, ao concentrarem largos milhares de espectadores. Tudo isto antes do rali fechar com chave de ouro, no Mosteiro da Serra do Pilar, com um espetacular Slalom, que deu um tónico ainda mais revivalista à prova, ressuscintando uma das tradições perdidas dos ralis dos anos 80 e que, mesmo com o aparecimento da chuva e a noite a cair, concentrou uma impressionante multidão.

Entre a partida e a chegada de Vila Nova de Gaia, não faltaram também sensações fortes nas classificativas da região do Coronado. Foi aí que ao longo de sete provas especiais – a primeira das quais disputada já de faróis acesos na noite de sexta-feira – se definiram os vencedores.

Com o aparecimento da chuva nas derradeiras classificativas, assistiu-se uma autêntica revolução na classificação absoluta e por categorias, com os Ford Escort a assumirem o protagonismo. Eduardo Veiga e Justino Reis, no Escort MK II, ascenderam à liderança na penúltima especial, assegurando o triunfo à geral e na Categoria “Spirit”, enquanto Filipe Barbosa e Bia Pinto, no Escort MK I, acabaram por ser os mais eficazes contra o cronómetro na Categoria “Históricos”, assegurando o pódio em termos absolutos.

Para uns vencerem outros têm que perder e, neste caso, a chuva ditou que as duplas Pedro Leal/Isabel Ramalho e Miki Biasion/Mário Castro fossem as maiores prejudicadas pelas mudanças de condições climatéricas repentinas, com Leal a perder o triunfo absoluto nas duas últimas provas especiais pelo facto do seu Mitsubishi Lancer Evo 6 ter “calçados” pneus para piso seco, enquanto Biasion acabou por ver a vitória nos “Históricos” escapar-se-lhe de forma ainda mais evidente, quando, à entrada da última classificativa parecia ter o triunfo assegurado por 45s.

Mas para o italiano e ainda o único piloto que até hoje a venceu o Rali de Portugal três vezes consecutivas, a participação no RallySpirit Altronix acabou por, ainda assim, ser altamente positiva. “Foi ótimo regressar a Portugal e confirmar que continua a existir uma enorme paixão pelos ralis. Adorei a prova, as classificativas e todo o ambiente que está à volta deste RallySpirit. No capítulo desportivo tudo correu bem, apenas fomos surpreendidos pela chuva na parte final da prova, numa altura em que o Lancia 037 estava com pneus para piso seco, o que nos obrigou a reduzir fortemente o ritmo. Mas os ralis são mesmo assim!”, fez questão de salientar com muito desportivismo à chegada a Vila Nova de Gaia, sem esconder a satisfação.

Para Pedro Ortigão, responsável da Xikane, e em jeito de balanço, a realidade acabou por corresponder às expetativas que se geraram à volta da prova: “este ano demos um passo importante em termos de afirmação do RallySpirit, tanto a nível nacional como internacional, e todos os pilotos reconheceram mérito à prova. A participação do Miki Biasion e a forma como conduziu o mítico Lancia 037 deu um sabor especial ao rali, mas o facto de termos quase uma centena de concorrentes e tantos espectadores na estrada, que tanto tem acariciado esta prova, também mostrou que a aposta foi ganha. Sentimos, contudo, que há ainda espaço para melhorar e, por isso, em 2017, esperamos poder apresentar um rali ainda mais atrativo”.

Cai, assim, o pano sobre a segunda edição do RallySpirit Altronix, que tão boas recordações vai, certamente, deixar entre equipas, pilotos e espectadores.

 

Classificação final em wwr.stm.pt/spirit2016/results.

RallySpirit Altronix 2016: Cocktail de emoções!

Sexta-feira e sábado, oportunidade única de ver Miki Biasion e Lancia 037 em ação

 

Com um ambiente único, o RallySpirit Altronix 2016 promete deixar a sua marca nacional e, até já, internacional. Com cerca de uma centena de equipas, entre os quais, o Bicampeão do Mundo de Ralis, Miki Biasion – aos comandos de um mítico Lancia Rally 037 – é fácil adivinhar o sucesso deste evento. Uma prova que reunirá alguns dos mais emblemáticos carros da história dos ralis, com passagem garantida pela Marginal e Mosteiro da Serra do Pilar de Vila Nova de Gaia e as classificativas da graciosa Vila de S. Romão do Coronado.

Quando, o ano passado, o RallySpirit Altronix explorou o conceito dos ‘rally legends’, pela primeira vez, em Portugal, o sucesso acheterviagrafr24.com foi imediato! A receita do êxito? Simples: juntar carros emblemáticos de todas as épocas dos ralis, com especial destaque para os automóveis dos anos 70, 80, 90 e 2000, conduzidos por uma interessante mistura de pilotos, dos mais consagrados aos verdadeiros gentleman’s drivers! O resultado só podia ser um evento único, com um ambiente fantástico, capaz de atrair milhares de espectadores e oferecer um tónico de emoção à disciplina dos ralis.

Depois do sucesso da edição de estreia, o RallySpirit Altronix só podia regressar em 2016, com mais e melhores argumentos para todos os aficionados do automobilismo. Quando, na próxima sexta-feira, pelas 17h00, a Marginal de Vila Nova de Gaia começar a ganhar outro colorido com os quase 100 carros (muitos dos quais verdadeiras lendas vivas dos ralis) que atrairão muitos simpatizantes do fenómeno do desporto automóvel, estará dado o mote para o arranque de uma prova que se prevê de eleição e que bem se poderá afirmar como uma das maiores manifestações desportivas do ano da região Norte.

De resto, fruto do êxito na prova inaugural e do seu potencial como agregador de multidões, o RallySpirit Altronix 2016 não tardou a crescer, passando agora a usufruir de um esquema competitivo mais lato, com dois dias efetivos de prova (na próxima sexta-feira e sábado), centrando a ação não só em S. Romão do Coronado, mas também em Vila Nova de Gaia, município que, desde o início do ano, passou a apoiar a prova.

Com 194.38 km de extensão total, 53.10 km dos quais disputados ao longo de sete classificativas cronometradas (passagem tripla pelo troço de “Serra”, com  9,50 km e passagem quadrupla pela especial de “Coronado”, com 6,15 km, uma das quais noturna), o rali apresenta-se suficientemente seletivo e concentrado para as equipas, num figurino fácil de acompanhar pelos espectadores, que não terão que percorrer mais de 25 km para estarem sempre no epicentro da ação, e que até poderão deslocar-se facilmente de comboio, uma vez que a prova tem estabelecido um protocolo com a CP.

Encabeçando as estrelas do RallySpirit Altronix 2016 estará o bicampeão do Mundo de Ralis, Miki Biasion. O único piloto que venceu por três vezes consecutivas o Rally de Portugal estará ao volante de um magnífico Lancia 037, um dos carros de Grupo B que mais saudades deixou aos adeptos da época de ouro dos ralis, sendo também por isso o principal favorito à vitória final.

Para o piloto italiano, que terá como navegador o português Mário Castro, “regressar a Portugal para participar numa prova como o RallySpirit é uma enorme satisfação, pois não só vou voltar a guiar um dos Lancia que mais gosto e mais emociona o público, como voltarei a conviver com muitos espectadores que me apoiaram no passado”.

Para além de Biasion, a prova contará com outros nomes sonantes do automobilismo como Rui Madeira (Campeão do Mundo de Grupo N), Adruzilo Lopes (Tricampeão Nacional de Ralis), Pedro Salvador (Campeão Nacional de Velocidade e Montanha), para além de Ricardo Teodósio, Vítor Pascoal, Pedro Leal, Hélder Oliveira, entre outros, de onde também se destaca a presença de 14 equipas espanholas, que prometem trazer muita “aficcion” ao rali, arrastando muitos espectadores oriundos da Galiza.

Mas num rali que contará com três categorias distintas – “Históricos” (para carros com data de fabrico até 31/12/1986), “Spirit” (para carros com data de fabrico entre 01/01/1987 e 31/12/2005) e “Show”(para carros míticos e elegíveis, numa categoria que não terá qualquer classificação, nem tempos cronometrados) – será também pelo parque automóvel presente que se fará medir a qualidade da prova.  Carros tão míticos como o Lancia 037, Lancia Delta Integrale (ex-oficiais), Renault 5 Turbo, Porsche 911/997, Alpine Renault A110 e A310, Ford Escort MK 1, 2 e Cosworth, Ford Sierra Cosworth, BMW M3, sem esquecer o Audi Quattro, o Fiat 131 Abarth ou o Subaru Impreza 555, representarão diversas gerações dos ralis, numa prova que já provou não ter idades!

Com todos estes ingredientes, bem se pode dizer que, entre 18 e 19 de novembro, todos os caminhos vão dar ao Coronado e a Vila Nova de Gaia, até porque o RallySpirit Altronix terá um motivo de atração extra, que ressuscitará uma tradição dos ralis de outros tempos: o Slalom! Num espetáculo agendado para o final do rali, no Quartel da Serra do Pilar em Vila Nova de Gaia, estão prometidas emoções tão fortes quanto as que se viviam no saudoso, mas extinto Slalom do Rally de Portugal, num palco privilegiado para pilotos e “máquinas” se expressarem sem preocupações de cronómetro e com o único intuito de darem “show”para o público.

Por tudo o que marcará a 2ª edição do RallySpirit Altronix, Pedro Ortigão, responsável da Xikane que idealizou e promove o evento, só se pode mostrar satisfeito. “Em 2016 conseguimos dar uns passos em frente relativamente à edição de 2015, que idealizamos com o claro objetivo de se tornar uma prova de referência no futuro! Começámos em 2015 com uma prova que entendemos adequada para Portugal, mas temos trabalhado muito sentido de ‘construir’ um RallySpirit 2016 ainda mais apelativo. Voltar a contar com a maioria dos pilotos que se apresentaram na primeira edição significa que eles ficaram satisfeitos, e se a isso somarmos uma lista com cerca de 100 carros de qualidade, onde se incluem muitas equipas internacionais, só nos podemos sentir orgulhosos! A presença do Miki Biasion de Lancia 037, é apenas a ‘cereja’ no topo do bolo!”

 O RallySpirit Altronix assume-se, assim, como um evento desportivo de excelência, materializando as expetativas de muitos dos aficionados do automobilismo e dos ralis, em particular, não descorando, se quer a vertente solidária, já que se associou também à “Operação Nariz Vermelho”.

 

Mais informações sobre a prova poderão ser obtidas em www.facebook.com/rallyspirit.xikane.

 

Bicampeão do Mundo de Ralis no RallySpirit Altronix 2016

Massimo Biasion alinhará no mítico Lancia Rally 037
 
Prova de excelência do automobilismo nacional, o RallySpirit Altronix contará na edição de 2016 com a presença do Bicampeão do Mundo de Ralis, Massimo Biasion. Os palcos inspiradores da Zona Ribeirinha da cidade de Vila Nova de Gaia e da pitoresca Vila do Coronado também se revelam como um importante reforço na popularidade do evento, que promete arrastar multidões.
Depois do assinalável sucesso da primeira edição, o RallySpirit está de regresso e tem, em 2016, como cabeça de cartaz o Bicampeão do Mundo de Ralis, Massimo Biasion. O italiano que, na década de 80 e 90, foi uma das personagens principais da célebre equipa “Lancia Martini” no Campeonato do Mundo de Ralis, trará ainda mais brilho ao RallySpirit Altronix 2016, que se disputará entre 18 e 19 de novembro e que foi ontem oficialmente apresentado na Casa da Presidência, junto à Câmara Municipal de Gaia.
A prova projetada pela empresa Xikane assume, cada vez mais, o popular conceito de rali “legend”, onde se reúnem carismáticos automóveis do panorama dos ralis internacionais, conduzidos por pilotos de recheado palmarés.
A edição 2016 é disso exemplo, pois um dos mais raros e emblemáticos carros da história do Campeonato do Mundo de Ralis – o Lancia Rally 037 – marcará presença para ser conduzido pelas sábias mãos do próprio “Miki” Biasion, o Campeão do Mundo de 1988 e 1989.
Segundo o piloto italiano, que foi também o único, até hoje, a vencer por três vezes consecutivas o Rally de Portugal, “regressar a Portugal, onde tenho tão boas recordações e logo para guiar um dos carros mais espectaculares que conduzi, o Lancia Rally 037, é uma enorme satisfação. Espero não defraudar os espectadores e dar um bom espectáculo aos aficionados do RallySpirit”.
Para além deste mítico carro, está também já garantida a presença de outros ícones da história dos ralis dos últimas cinco décadas, numa agradável combinação entre o passado e o presente. Modelos como os saudosos Fiat 131 Abarth, Datsun 240 Z, Renault Alpine A 110 e A310, Porsche 911 SC, Renault 5 Turbo, Ford Escort MK I, MK II e Cosworth, Lancia Delta Integrale (com dois carros ex-oficiais da equipa “Lancia Martini”) sem esquecer também a presença de um mais moderno Porsche 997 GT3, são cartões de visita suficientes para fazer vibrar os milhares de espectadores que vão assistir ao RallySpirit Altronix 2016.
A cerca de quatro meses do evento, estão já confirmadas 50 equipas, de um limite máximo de 75, onde se incluem grandes nomes do automobilismo nacional como o ex-Campeão do Mundo de Ralis de Grupo N, o português Rui Madeira (ao volante do Ford Sierra Cosworth com que foi Campeão Nacional), assim como Ricardo Teodósio e Vítor Pascoal, incluídos na categoria “Show”.
Para além de uma lista de inscritos que se antevê de luxo, o RallySpirit Altronix 2016 irá apresentar diversas novidades em termos de percurso. Desde logo, contará com uma espectacular partida e chegada na cidade de Vila Nova de Gaia, com a cerimónia de Partida Simbólica a prometer espectáculo na Zona Ribeirinha da margem Sul do Rio Douro e na curva adjacente à Ponte D. Luís I.
Aquecidos os motores, a prova ruma à Vila do Coronado, onde se iniciará competitivamente o rali, com

uma primeira passagem pelo troço de “Coronado Noturna” (5.15 km), já de faróis acesos, com a noite a dificultar o desafio aos concorrentes e a prometer espectáculo no mítico cruzamento da Camposa.

A principal ação está reservada, contudo, para o dia seguinte (sábado, 19 de novembro), onde mais sete provas especiais, sempre em piso de asfalto, esperam as equipas. Tripla passagem pela classificativa “Serra” (9.50 km) combinada com a passagem também tripla pela especial de “Coronado” (6.25 km) constituirão a decisiva prova de fogo para pilotos, co-pilotos e os seus míticos carros, antes do regresso a Vila Nova de Gaia para a disputa da “Super Especial – Vila Nova de Gaia” (1,80 km), desenhada nas imediações ao Quartel da Serra do Pilar e certamente ladeada por um motivador cordão humano.
No total, serão oito classificativas disputadas ao cronómetro, num total de 54 km, para um percurso global que não excede os 184 km. O público terá acesso privilegiado à
Zona de Assistência e Reagrupamentos no centro de S.Romão do Coronado, mas também na Av. Ramos Pinto, na Zona Ribeirinha de Vila Nova de Gaia, onde estarão expostos os carros no início e final do Rali.
Na ótica de Pedro Ortigão, responsável da Xikane, “é com grande motivação que apresentamos a 2ª edição do RallySpirit Altronix, cumprindo a promessa de crescimento em qualidade e quantidade que fizemos na primeira edição. Entendo que o trabalho e empenho em fazer mais e melhor é a melhor forma de agradecermos a todos os que têm acreditado no projeto, num evento que criámos com identidade própria, sustentado no conceito de rali “legend”, que assumimos, com orgulho, ter sido os primeiros a organizar, em Portugal”.
Para Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, “é com entusiasmo que Vila Nova de Gaia se associa ao RallySpirit 2016, que certamente trará às ruas do município muitos aficionados do desporto automóvel. Um evento em crescimento que, certamente, proporcionará imagens e momentos únicos, e que vem mais uma vez provar que é trabalhando em parceria, com outros municípios e instituições ou com entidades privadas, que mais força se dá à região e melhor se mostra as suas qualidades”.
Já para José Ferreira, Presidente da Junta de Freguesida da Vila do Coronado, “o RallySpirit Altronix 2016 é uma aposta da Junta de Freguesia do Coronado no desporto automóvel nacional, onde pretendemos dar a conhecer a nossa freguesia através de uma iniciativa que desperta paixões e atrai multidões!”.
O RallySpirit Altronix 2016 vai também associar-se à causa de solidariedade social da Operação Nariz Vermelho, sendo essa mais uma razão para voltar a deixar a sua marca.

Vila Nova de Gaia recebe RallySpirit 2016

Carros e pilotos míticos vão animar a cidade

Caves do Vinho do Porto, Mosteiro da Serra do Pilar, Cais de Gaia e… RallySpirit! A Vila Nova de Gaia não faltam,hoje, atrações turísticas, mas, em novembro, a cidade localizada na margem sul da foz do Rio Douro, contará com mais uma: o RallySpirit, prova ímpar no calendário do automobilismo nacional!

Partida, chegada e uma “Prova Espectáculo” desenhada no coração de Vila Nova de Gaia, que promete atrair milhares de espectadores. Estas são, para já, as maiores novidades da segunda edição do RallySpirit, que vai realizar-se entre os próximos dias 18 e 19 de novembro.

O evento, que se revelou um assinalável sucesso no ano de estreia (em 2015), manterá as características que o permitiram distinguir-se dos restantes ralis nacionais, reunindo alguns dos carros e pilotos mais emblemáticos da história do automobilismo das décadas de 70, 80, 90 e 00, mas também alguns ícones dos ralis atuais. No fundo, um bem-sucedido conceito dos míticos ralis “legends”europeus.

Aliás, o carácter de distinção do RallySpirit, volta a afirmar-se pela exclusividade das equipas participantes, cuja presença é apenas garantida através de convite da organização ou aprovação de candidatura.

Com um esquema competitivo que contempla também as espectaculares classificativas da Vila do Coronado, o RallySpirit tem tudo para repetir o êxito da edição de estreia,  algo facilmente percecionável pelo facto de, a cerca de cinco meses da prova, a Organização da Xikane e do Clube Automóvel de Santo Tirso, terem já confirmadas a presença de 40 equipas – algumas das quais internacionais -,

de um limite máximo de 75.

Para Pedro Ortigão, responsável da Xikane, “depois do sucesso da edição de 2015, a associação de Vila Nova de Gaia ao projecto é um mais um passo à frente na evolução

da prova, o que nos motiva bastante para fazermos mais e melhor.

Também para José Guilherme Aguiar, Vereador da Câmara

Municipal de Vila Nova de Gaia que desde logo apoiou o evento, “a associação ao RallySpirit irá constituir um êxito, quer pela quantidade e, sobretudo, qualidade, dos participantes, quer pela localização onde a prova se irá enquadrar em Vila Nova de Gaia, nas margens do Douro.

Estão reunidas, assim, todas as condições para que o RallySpirit 2016 volte a apaixonar todos os amantes do automobilismo e dos ralis, em particular.

Mais informações sobre a prova poderão ser obtidas na página oficial da prova do Facebook, em https://www.facebook.com/rallyspirit.xikane.

1º RallySpirit: Um enorme… sucesso!

Cerca de meia centena de participantes, carros emblemáticos de várias gerações, muito espetáculo na estrada e uma multidão entusiasta que nem sequer foi traída pelo São Pedro… O RallySpirit foi um enorme sucesso! Estão lançadas as bases para que esta seja a grande festa anual dos ralis e, nos próximos anos, também com pilotos referência do automobilismo mundial. Para a história da primeira edição fica, ainda, a vitória à geral do Porsche 997 GT3 de Alexandre Camacho e o triunfo do Ford Escort MK1, de Paulo Azevedo, entre os Históricos.

Em pleno século XXI, juntar na mesma prova automóveis tão díspares como um Porsche 997 GT3 e uma Renault 4L, um Mitsubishi Lancer EVO IX e um Toyota Starlet, bem como carros tão emblemáticos como os Alpine Renault, Audi Quattro, Datsun 160J, Fiat 131 Abarth, Ford Escort, Lancia Delta Integrale, Renault 5 Turbo, Subaru Impreza, entre muitos outros, diz tudo sobre o sucesso do RallySpirit. Uma aliança entre presente e passado que logo na edição de estreia deixa uma marca inolvidável no automobilismo nacional.

O dia de sexta-feira foi o prenúncio do sucesso do RallySpirit… Apesar de se tratar de uma “simples” partida simbólica, é provável que São Romão do Coronado tenha recebido a maior multidão da história da vila. Hoje (sábado), contrariando todas as previsões, a chuva não se fez sentir, pelo que o público correspondeu em elevado número, entusiasmado por contactar com os seus ídolos num ambiente de salutar descontração, mas também de ver em ação alguns dos mais extraordinários automóveis da história dos ralis.

Na estrada, Alexandre Camacho impôs a potência do sempre espetacular Porsche 997 GT3, sendo o mais rápido nas três passagens pelas duas classificativas que compuseram o RallySpirit: São Romão do Coronado e Serra. “Adorei regressar ao Continente e, quando se vence, claro que a satisfação ainda é maior. Andei rápido, mas como a confiança nas notas não era total, acima de tudo procurei dar espetáculo para o muito público.” No final, a vantagem para o 2º classificado foi de 25,1 segundos, naquele que foi um interessante e curioso duelo madeirense. Na realidade, foi Bernardo Sousa quem mais perto esteve de contrariar o domínio do campeão em título da Madeira. Aos comandos de um Mitsubishi Lancer EVO IX que descobriu apenas quando foi para a estrada, o jovem piloto levou de vencida a luta entre os Mitsubishi e, em particular, com o também regressado Pedro Leal, que foi o 3º classificado.

Já na categoria “Históricos”, foi Paulo Azevedo quem subiu ao lugar mais alto do pódio, com o piloto do Ford Escort MK1 a vencer oito das nove classificativas. “Estava parado há muto tempo, mas como praticamente corri em casa (é natural da Trofa), as coisas correram bastante bem. Também gostei muito do rali, pelo que o seu futuro está garantido.” Depois do triunfo na especial inaugural, Fiipe Barbosa foi obrigado a desistir, o que permitiu a Pedro Couceiro ascender ao 2º lugar da categoria. Imediatamente a seguir ao piloto do Opel 1904 SR terminaram Américo Antunes (Renault 5 Turbo Cevennes), Rui Ribeiro (Ford Escort MK1 1.6) e José Grosso (Ford Escort MK1).

Uma referência, ainda, para a curiosa participação do presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. Aos comandos do Ford Sierra Cosworth ex-António Coutinho e acompanhado pelo Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, Manuel Mello Breyner foi obrigado a desistir na sequência de problemas mecânicos. “O RallySpirit está de parabéns. É uma prova que ainda não existia em Portugal, mas que até pela sua filosofia, tem de continuar a fazer parte do calendário nacional”, sublinhou.

Para o mentor e promotor do RallySpirit, Pedro Ortigão, “o balanço não podia ser mais positivo. Está lançada a prova para o futuro e o objetivo é reunir ainda mais pilotos nacionais e internacionais e carros emblemáticos. Mas também não posso deixar de agradecer a todos aqueles que apoiaram esta primeira edição, desde pilotos, parceiros, patrocinadores, junta de freguesia do Coronado e Clube Automóvel de Santo Tirso”, afirmou o responsável da Xikane.

 

RallySpirit, fábrica de emoções

O RallySpirit está pronto para sair para a estrada e “fabricar” emoções junto dos amantes do automobilismo e dos ralis, em particular. Nos próximos dias 30 e 31 de outubro todos os caminhos vão dar à Vila do Coronado onde se disputará uma prova única em Portugal, capaz de reunir alguns dos carros mais emblemáticos e com melhor palmarés na história do automobilismo nacional e internacional. Abram alas, o espectáculo vai começar…

Quando pelas 22h00, do dia 30 de outubro, se iniciar a Cerimónia de Partida Simbólica do I RallySpirit, em São Romão do Coronado (Trofa), estar-se-á a escrever história no desporto automóvel português. Será a primeira vez que Portugal receberá uma prova que juntará alguns dos mais representativos carros do panorama automobilístico português e internacional, numa aliança entre passado e presente, que, por certo, deixará a sua inolvidável marca e que “fabricará” muitas emoções entre os milhares de espectadores que se espera acompanhem a prova. Até porque, nalguns casos, as viaturas serão guiadas por pilotos também eles com passado histórico revelante ou estrelas dos ralis da atualidade.

Carros de ex-equipas oficiais do Campeonato do Mundo de Ralis tão emocionais como o Lancia Delta Integrale 16v e o Toyota Celica Turbo 4 WD, juntam-se a viaturas que marcaram uma época, como o fantástico Ford Escort RS1800 da equipa Diabolique Motorsport ou, num plano moderno, o Porsche 997 GT3 do Team Vespas. O passado e o presente cruzam-se na mesma prova pelo que, no fundo, haverá, também dois ralis diferentes – RallySpirit Históricos e RallySpirit Contemporâneos – para que a verdade desportiva e competitiva nunca fique em causa.

Serão 50 os carros que marcarão presença na prova idealizada pela Xikane, com a colaboração do Clube Automóvel de Santo Tirso e da Vila do Coronado, num rali onde o processo de escolha dos participantes foi bastante seletivo, já que todos os concorrentes ou foram diretamente convidados pela organização,ou foram submetidos a um criterioso processo de candidatura e seleção.

Mas, já se sabe, por muito carismáticos que sejam, os carros nunca andam sozinhos, pelo que também será possível contar no RallySpirit com pilotos de inquestionável qualidade, a começar logo por Bernardo Sousa (Ex-Campeão Nacional de ralis e participante no Campeonato do Mundo de Ralis WRC2) que guiará um dos carros ‘0’ da prova e a terminar em Alexandre Camacho (Campeão de Ralis da Madeira),passando por Pedro Leal (um dos principais protagonistas do Campeonato Nacional de Ralis na últimas décadas), Paulo Azevedo (ex-Campeão Nacional de Ralis Clássicos), Joaquim Bernardes (atual Campeão Nacional de ralis Clássicos), Manuel Castro (atual Vice-campeão Nacional de RalisProdução) ou Jorge Ortigão (ex-Campeão Nacional de Ralis Turismo), entre outros.

Presença de maior destaque, e que serve para atestar a importância da prova, será a do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, que tomará mesmo parte na ação, como co-piloto do Presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, Manuel Mello Breyner, que, de forma esporádica, também voltará a colocar o capacete, 26 anos depois ter sido piloto oficial da Renault nos ralis.

Para Pedro Ortigão, o principal mentor do RallySpirit, “antes mesmo do rali arrancar já conseguimos a primeira vitória que foi reunir uma lista de carros de extrema qualidade, bem como envolver alguns dos grandes nomes do automobilismo nacional, num ano de arranque em que sempre assumimos que a prova teria um foco, sobretudo, nacional. De resto, a presença de uma alta patente do Governo, como o Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, e do Presidente da FPAK, Manuel Mello Breyner, acaba por dar ainda maior notoriedade e validade ao projeto do RallySpirit que tem agora todas as condições para crescer nos próximos anos e continuar a ser tão acarinhado pelo público e os amantes dos ralis como o foi desde a primeira hora”.

De recordar que o RallySpirit tem um esquema de prova extremamente compacto. Inicia-se a 30 de outubro (sexta-feira) com uma Cerimónia de Partida simbólica em S. Romão do Coronado(Trofa), onde, se situará também o Parque de Assistência do rali ou seja, o centro nevrálgico da ação e o palco privilegiado para o público apreciar as máquinas envolvidas na competição e privar com os pilotos.

Depois, no dia seguinte, o rali contará com seis provas especiais, ou seja, duas classificativas – S. Romão do Coronado (8,02 km) e Serra (6,65 km) –repetidas por três vezes, que perfazem perto de 45 km disputados ao cronónometro, a que correspondem cerca de 87,16 km de percurso total.

Estão, portanto, reunidos todos os ingredientes para uma grande prova automobilística que, certamente, permitirá a muitos aficionados viajar na “máquina do tempo” e viver emoções do passado… no presente!

Mais informações sobre a prova poderão ser obtidas em www.facebook.com/rallyspirit.xikane.

 

Mais informações:

Filipe Mesquita

filipemesquita@atelierdocaractere.pt

+ 351 91 481 36 03

 

http://www.atelierdocaractere.pt/

https://www.facebook.com/AtelierdoCaractere

http://pt.scribd.com/ATELIERdoCARACTERE