Turismo Centro de Portugal finalista em prémios internacionais de marketing turístico

• Prémios “UK Marketing Travel Awards” vão ser atribuídos em Londres, a 9 de março.
• Entidade regional integra lista restrita na categoria “Marca Destino da Década”.

Data: 17/01/2020

O Turismo Centro de Portugal (TCP) é um dos finalistas dos “The Travel Marketing Awards”, prémios atribuídos em Inglaterra às marcas e organizações ligadas ao turismo que mais se destacam em várias categorias. O TCP integra a lista final na categoria “Destination Brand of the Decade” (“Marca Destino da Década”).

Os “The Travel Marketing Awards” definem o padrão de excelência para o marketing no setor do turismo. Instituídos em 2009, são reconhecidos como os galardões de marketing mais desejados em viagens e turismo. A cerimónia de entrega dos prémios 2020, em que serão anunciados os vencedores, acontecerá no hotel London Hilton em Park Lane, no dia 9 de março.

Cada candidatura foi avaliada por um painel de especialistas, que escolheu a lista restrita de finalistas. A categoria “Destination Brand of the Decade”, na qual o Turismo Centro de Portugal é finalista, é uma categoria especial, que acontece apenas este ano e que, segundo a organização, distingue um destino que tenha deixado uma marca indelével entre 2010 e 2019. Foram considerados destinos que tenham assistido a um crescimento notório na sua reputação, desenvolvido novos mercados, lidado com novos desafios turísticos ou aumentado significativamente o número de visitantes – fatores em que o Turismo Centro de Portugal se afirmou nos últimos dez anos.

Na sua candidatura, o TCP realçou o notável crescimento registado entre 2010 e 2019, tanto a nível das dormidas e número de visitantes, como das receitas da atividade turística – um crescimento que aconteceu a um ritmo superior à média nacional. Destacou também o grande aumento na capacidade hoteleira da região. Por outro lado, a candidatura refletiu igualmente a estratégia de marketing delineada pela Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, nomeadamente o rebranding da região turística. Estratégia essa que resultou na conquista de muitos e importantes prémios, nacionais e internacionais.

O Turismo Centro de Portugal está nomeado ao lado de marcas e organizações tão relevantes como British Airways, Catalan Tourist Board, Easyjet, Hampton by Hilton, Hotels.com, Visit Oslo, Japan National Tourism Organization, Lastminute.com, Princess Cruises ou Tourism New Zealand, entre outras.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, evidencia a importância dos “The Travel Marketing Awards”: “Estes prémios são dos mais importantes que existem a nível do marketing turístico. É uma honra e um privilégio para o Turismo Centro de Portugal integrar a lista restrita dos finalistas. É um sinal claro de que a estratégia desenvolvida na última década, com os resultados que todos conhecemos, é reconhecida também a nível internacional”.

Keith Cartwright, presidente do CIM Travel Group, entidade organizadora dos prémios, elogia o elevado número de participações que a competição recebeu este ano: “Houve um número tão grande de inscrições, e com uma qualidade tão alta, que os juízes tiveram um trabalho reforçado para escolher a lista de finalistas. Estamos muito orgulhosos do valor que o setor reconhece aos The Travel Marketing Awards. Parabéns a todos os finalistas”.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Turismo no Centro de Portugal cresceu 12,4% em novembro

• Portugueses estão rendidos ao Centro de Portugal: visitantes nacionais aumentaram 16 por cento.
• Atividade turística na região subiu quase o dobro da média nacional.

Data: 15-01-20

A atividade turística no Centro de Portugal registou um crescimento muito acima da média nacional em novembro de 2019. Segundo os resultados preliminares da atividade turística nesse mês, publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o aumento da procura pela região não dá sinais de abrandar. Pelo contrário, o Centro de Portugal é um destino cada vez mais preferencial para os turistas.

O INE revela que, em novembro de 2019, o total de dormidas na região cresceu 12,4%, em comparação com novembro de 2018. Uma subida notável, tendo em conta que, no mesmo período, as dormidas no país aumentaram em média 7,2%. Ou seja, a procura do Centro de Portugal subiu quase o dobro da média nacional. Além do Centro de Portugal, o aumento de dormidas em novembro foi também expressivo no Alentejo (14,1%) e inferior nas restantes regiões: Porto e Norte (11,2%), Açores (9,3%), Lisboa (7,9%), Algarve (7,8%) e, em particular, a Madeira, onde a procura diminuiu -6,3%.

No total, contabilizaram-se 455.534 dormidas em novembro no Centro de Portugal, mais 50,4 mil do que no mesmo mês do ano anterior, que tinha registado 405.111 dormidas. Em novembro de 2017, tinham-se verificado 368.111 dormidas e no mesmo mês de 2016 foram 294.148. A espiral de crescimento é evidente.

Esta subida foi motivada, em grande parte, pelos visitantes internos, oriundos de outras regiões do país. De facto, entre novembro de 2018 e novembro de 2019, as dormidas de visitantes nacionais aumentaram 16%, para 287.538 (tinham sido 247.880 em novembro de 2018). Comparativamente, a média nacional de crescimento de dormidas de visitantes internos foi de 4,2%.

A procura do Centro de Portugal por parte de cidadãos estrangeiros também continua a crescer de forma sustentada, embora a um ritmo inferior. Em novembro de 2019, registaram-se na região 167.996 dormidas de visitantes internacionais, mais 6,8% que em novembro de 2018.

Considerando os dados acumulados do ano, no período janeiro-novembro de 2019, o Centro de Portugal apresenta uma subida de 4,7% nas dormidas, em comparação com o mesmo período de 2018.

“Os números hoje conhecidos comprovam que os portugueses estão rendidos aos encantos do Centro de Portugal. O crescimento da procura da região por parte de visitantes internos é uma realidade cada vez mais visível e importante, o que mostra que a estratégia de promoção que tem sido implementada é a mais correta”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal. “Os dados de novembro acentuam a convicção de que 2019 foi um ano particularmente positivo para a atividade turística na região e deixam antever que o ciclo de crescimento não dá sinais de abrandamento”, acrescenta.

Os restantes indicadores registados pelo INE são também muito positivos para o Centro de Portugal. É o caso do total de hóspedes, que entre os dois meses de novembro subiu de forma impressionante: 15,1%, para 277.666.

O notável crescimento nas dormidas e nos hóspedes reflete-se, naturalmente, de forma muito positiva nas receitas. Em novembro de 2019, registou-se um crescimento nos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, em comparação com novembro de 2018: os proveitos subiram 13,6% e ultrapassaram os 21,7 milhões de euros. Se analisarmos os meses de janeiro a novembro, há um crescimento de 6,5% nos proveitos totais. Dados muito satisfatórios para os empresários que investem no turismo da região.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

“Imagina um Tesouro”: livro que mostra aos mais novos o Património Mundial no Centro de Portugal foi apresentado no Mosteiro de Alcobaça

“Imagina um Tesouro”: livro que mostra aos mais novos o Património Mundial no Centro de Portugal foi apresentado no Mosteiro de Alcobaça

• Livro vai ser distribuído no contexto de visitas escolares aos monumentos.

Data: 14/01/2020

O Dormitório do Mosteiro de Alcobaça foi hoje um palco privilegiado para a apresentação do livro “Imagina um Tesouro – quatro lugares que vais guardar como um tesouro”. Este projeto editorial surge no âmbito da operação Lugares Património Mundial do Centro de Portugal e propõe uma viagem de descoberta pelos quatro lugares classificados pela UNESCO como Património da Humanidade no Centro de Portugal: Mosteiro de Alcobaça, Mosteiro da Batalha, Convento de Cristo e Universidade de Coimbra, Alta e Sofia.

A obra foi desenvolvida pela editora Planeta Tangerina e contou com a colaboração dos serviços educativos dos quatro lugares Património da Humanidade. O objetivo principal é auxiliar a experiência turística dos públicos escolares e famílias na visitação aos quatro espaços, de uma forma divertida e cheia de curiosidades. O livro vai ser distribuído no contexto de visitas escolares aos monumentos.

A apresentação contou com a presença de Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal, Paulo Inácio, Presidente da Câmara de Alcobaça, Bernardo Campos, representante da CCDRC, e as coordenadoras do projeto editorial educativo ‘’Imagina um tesouro – Quatro Lugares que vais guardar como um tesouro’’, Isabel Minhós e Maria Manuel Pedrosa.

Na ocasião, Paulo Inácio elogiou os méritos da operação Lugares Património Mundial do Centro, promovida pelo Turismo Centro de Portugal, pelos municípios de Alcobaça, Batalha, Coimbra e Tomar e pela Universidade de Coimbra. “É um projeto que tem dado frutos e que devemos continuar a apoiar e acarinhar”, sublinhou o autarca.

No mesmo sentido, Bernardo Campos frisou uma mudança de paradigma na forma como Portugal trata os seus monumentos. “Nem sempre tratámos bem os muitos espaços notáveis que os nossos antepassados nos deixaram. Felizmente, agora estamos a fazer ao contrário: estamos a tratar bem não só daquilo que é nosso mas que é de todos. É essa a nossa responsabilidade”, declarou.

Pedro Machado destacou o facto de o património ser “um dos produtos turísticos que mais tem contribuído para aumentar a atratividade da região Centro de Portugal”, com reflexos no aumento de visitantes que se verifica ano após ano. “E já que somos capazes de captar tantos turistas, podemos também captar novos públicos. Este livro segue esse caminho, ao induzir as visitas à região, com uma nova abordagem ao património. É sempre possível continuar a surpreender no património”, disse. “Todos temos a obrigação de deixar o património melhor do que encontrámos”, acrescentou.

Por parte das autoras do livro, que apresentaram a obra, Isabel Minhós realçou que “este livro pode ser uma boa porta de entrada para os mais novos conhecerem a História de Portugal”. E fá-lo de forma criativa: a estrutura do livro inclui vários blocos que estimulam a imaginação, casos de “Tudo começou assim”, “Um Tesouro chega até nos”, “Consegues imaginar?”, “Observa” ou “Curiosidades”.

Turismo Centro de Portugal faz balanço muito positivo do ano de 2019

• Entidade regional de turismo destaca subida do número de visitantes e prémios conquistados pela região durante o ano.

Data: 03/01/2020

O ano de 2019 foi extremamente positivo para a atividade turística no Centro de Portugal e para a promoção da região enquanto destino. Os indicadores favoráveis são patentes tanto a nível dos resultados estatísticos da procura turística como nos prémios e distinções conquistados pela região ao longo do ano.

Relativamente à procura turística, e embora os números finais do ano ainda não sejam conhecidos, os dados já existentes demonstram que 2019 terá sido o melhor ano de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal. De acordo com o INE – Instituto Nacional de Estatística, entre janeiro e outubro foram contabilizados 3,58 milhões de hóspedes na região, mais 5,17% do que no mesmo período de 2018, altura em que se registaram 3,41 milhões. De notar que em 2017, ano da visita do Papa Francisco a Fátima, nos mesmos 10 primeiros meses houve 3,36 milhões de hóspedes. Recuando no tempo, verifica-se, a título de exemplo, que entre janeiro e outubro de 2013 os hóspedes no Centro de Portugal não chegaram aos 2 milhões (1,96 milhões) – um crescimento de 82,46% em seis anos.

O mesmo nível de crescimento é visível no número de dormidas (uma subida de 4,15% entre 2018 e 2019, e de 74,36% em relação a 2013) e nas receitas: entre janeiro-outubro de 2018 e janeiro-outubro de 2019, há a registar um crescimento de 6,17% nos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, que ultrapassaram os 310 milhões de euros. Em 2013, note-se, os proveitos cifravam-se nos 150 milhões de euros – em seis anos são mais do dobro.

“O crescimento registado pela procura do Centro de Portugal enquanto destino é verdadeiramente notável. Ano após ano, temos assistido a uma taxa de crescimento superior à média nacional e os dados de que já dispomos apontam para a certeza de que 2019 será mais um ano de recordes. Felicito os empresários da região e as entidades públicas e privadas do setor do turismo, que têm conseguido elevar o Centro de Portugal a uma posição que poucos julgariam possível há poucos anos”, destaca Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

Prémios prestigiam região

Mas não apenas os indicadores estatísticos a dar conta da crescente notoriedade do Centro de Portugal. Os prémios alcançados pela região a nível do turismo são igualmente sintomáticos de uma visibilidade cada vez maior.

O filme promocional apresentado em março de 2019 pelo Turismo Centro de Portugal, no qual o espetador assume o papel de uma personagem de um vídeo-jogo passado na região, conquistou audiências e prémios nos festivais internacionais onde foi exibido, além de ser um êxito de visualizações online (422 mil ao dia de hoje). O filme, intitulado “Turismo Centro de Portugal: Are You Ready?” e produzido pela Slideshow, venceu nove prémios e distinções em oito festivais mundiais, tendo sido o oitavo filme mais premiado em festivais internacionais de cinema de turismo durante o ano de 2019, entre os mais de 3000 filmes de turismo produzidos. A saber, conquistou os seguintes prémios: 3.º lugar na categoria “Destinos Turísticos – Região”, no Festival de Cinema de Turismo de Amorgos, Grécia (novembro); Vencedor dos “People’s Choice Awards” e Melhor Filme na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, no ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, Torres Vedras (outubro); Prémio Especial do Presidente do Júri, no FilmAT Festival, Polónia (outubro); finalista na categoria “Filmes de Turismo”, no Cannes Corporate Media & TV Awards, França (setembro); “Silver Wave”, referente ao 2.º lugar, na categoria “Melhor Filme de Turismo”, no Festival Internacional de Filmes de Turismo e Ecologia, Sérvia (setembro); 3.º classificado na categoria “Filmes de Turismo”, no Festival Internacional de Filme e Vídeo dos Estados Unidos, Los Angeles (junho); Melhor Filme na categoria “Destinos Turísticos – Região”, TourFilm Riga, Letónia (maio); e “Best Production Design” no Terres Festival, Espanha (maio).

O Turismo Centro de Portugal conquistou ainda o galardão de “Melhor Região de Turismo Nacional”, atribuído nos Prémios Publituris Portugal Travel Awards, que distinguem o melhor que se faz no turismo durante o ano, e o galardão “Turismo”, nos Litoral Awards, um evento que premeia o mérito e a excelência de marcas e personalidades da região litoral do Baixo-Vouga. O seu presidente, Pedro Machado, foi ainda honrado com o prémio Excelência – Personalidade do Ano 2018, na gala dos Prémios AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.

Iniciativas projetam Centro de Portugal

Ao longo de 2019, foram várias as iniciativas da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal – ou apoiadas por esta – que levaram mais longe o nome e a marca Centro de Portugal.

Exemplos paradigmáticos foram o regresso do Rali de Portugal às estradas da região, o lançamento dos roteiros “Road Trips Centro de Portugal”, a 12.ª edição do festival de cinema de turismo ART&TUR, em Torres Vedras, o 6.º Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal”, em Castelo Branco, ou a exposição itinerante “Turismo Centro de Portugal – Um Roteiro pelo Crescimento e Consolidação de uma Marca”, que percorreu o país.

As obras de requalificação dos Welcome Centers de Leiria e Aveiro, ambas executadas em 2019, constituíram um sinal muito claro de que o conforto dos visitantes esteve na primeira linha das preocupações do Turismo Centro de Portugal.

Finalmente, a apresentação do Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030 e do novo Plano de Marketing da entidade regional de turismo marcou o final do ano, ao apontar as principais linhas orientadoras para os próximos dez anos.

“Fechámos o ano de 2019 com o sentimento de dever cumprido. Ao longo dos 12 meses, testemunhámos uma evolução clara da região, quer ao nível dos resultados quer dos eventos e iniciativas e até das expetativas em relação ao futuro. Estamos certos de que, com o Plano Regional de Desenvolvimento Turístico e o novo Plano de Marketing, a região construiu os alicerces sobre os quais se vai sustentar o seu crescimento futuro”, sublinha Pedro Machado.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Secretária de Estado do Turismo inaugurou novo Welcome Center de Aveiro

• Espaço único no país junta posto de atendimento aos turistas com Museu Municipal de Aveiro.

Data: 19/12/2019

A sede do Turismo Centro de Portugal, em Aveiro, acolhe a partir de hoje um moderno posto de atendimento aos turistas, um Welcome Center completamente remodelado em que os visitantes são recebidos com todo o conforto. A cerimónia de reabertura do espaço foi presidida por Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, e contou com intervenções de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, e José Ribau Esteves, presidente da Câmara Municipal de Aveiro. Estiveram presentes outros dirigentes do Turismo Centro de Portugal, além de empresários e autarcas da região.

O Welcome Center de Aveiro, localizado na Rua João Mendonça, zona nobre da cidade, foi alvo de uma intervenção profunda, de que resultou um posto de informação turística acolhedor e com uma particularidade única no país: uma ligação interior ao Museu Municipal de Aveiro. Uma parte do espaço incorpora também uma delegação da AHRESP

“Este investimento na requalificação de um espaço que é a sede do Turismo Centro de Portugal torna possível uma melhoria das condições de atendimento aos nossos turistas e oferece uma valência nunca antes testada no panorama nacional: a abertura ao espaço contiguo do museu do município, o que permite a capacidade de gerar a primeira experiencia turística logo no momento em que as pessoas recebem informação do que podem visitar”, sublinhou Pedro Machado, na cerimónia.

“Esta obra é um investimento de 81.537 euros, que resulta do Programa Valorizar e que demonstra o esforço gradual que temos feito, e que é preciso continuar a fazer, para receber melhor as pessoas que nos visitam. Queremos reforçar esta componente da melhoria permanente do atendimento”, acrescentou o presidente do Turismo Centro de Portugal.

Por seu lado, a Secretária de Estado Rita Marques destacou o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Turismo Centro de Portugal. “São momentos como estes que devemos celebrar. O sucesso do turismo deve-se ao trabalho e o contributo da Região Centro até ao momento, no que toca a esse sucesso, é extraordinário. Tenho de vos felicitar e dar ensejo para que continuem assim no futuro. Há aqui uma visão e os desafios estão identificados, de forma a garantir que no futuro chegaremos às métricas que queremos na região. Agradeço esse espírito de missão e essa visão. A Região Centro é para nós um motor importantíssimo, até porque o turismo não pode ser só Lisboa e Porto. Portugal é uma grande montra, com muitos conteúdos e o Centro de Portugal tem tido um papel preponderante da dinamização do setor do turismo”, frisou a governante.

“É com satisfação que vejo que temos uma linha de financiamento, o programa Valorizar, que está a servir o propósito de dinamizar as infraestruturas regionais e locais. Podermos apresentar aos turistas um Welcome Center com esta qualidade é de louvar”, disse ainda Rita Marques.

José Ribau Esteves enfatizou “a importância de somar”. “Temos aqui uma operação que soma as competências que estão ao dispor ao nível nacional, no caso o programa Valorizar do Turismo de Portugal, as competências regionais, representadas pelo Turismo Centro de Portugal, e as competências municipais. Abrimos hoje um espaço único no país, que liga dois edifícios autónomos, mas que têm uma função idêntica. Esta soma resultou num espaço acolhedor e transformou uma oportunidade de circulação numa oportunidade de receber melhor aqueles que nos visitam”, elogiou.

A requalificação do Welcome Center de Aveiro decorreu no âmbito da Linha de Apoio ao Turismo Acessível – Postos de Turismo Acessíveis, criada pelo programa Valorizar. Esta linha de apoio tem como objetivo o apoio a projetos relacionados com a adaptação física de espaços públicos, de recursos e de serviços de interesse turístico a pessoas com necessidades específicas, temporárias ou permanentes, de modo a garantir um acolhimento inclusivo a todos os turistas. Pretendeu-se, assim, desenvolver condições de acessibilidade física e comunicacional para todos os turistas.

Após a reinauguração do espaço, teve lugar uma reunião de trabalho entre a Secretária de Estado do Turismo e as chefias do Turismo Centro de Portugal, em que se traçaram linhas para o futuro do turismo na região.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Fim de ano vai ser muito positivo para a atividade turística no Centro de Portugal

• Taxas de ocupação dos alojamentos registam forte subida nos últimos dias de 2019.

Data: 18/12/2019

O fim de ano vai ser muito positivo para a atividade turística no Centro de Portugal. As taxas de ocupação médias previstas pelos empreendimentos da região evidenciam um crescimento muito elevado em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com um levantamento efetuado pela Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal (TCP).

Para a noite de fim de ano, metade dos empreendimentos consultados está já lotado ou em vias de ficar lotado. Os principais destaques vão para a sub-região de Castelo Branco, com uma taxa de ocupação em hotelaria, na noite de 31 de dezembro, na ordem dos 91,8%. Igualmente significativas são as taxas de ocupação, para a mesma noite, nas sub-regiões Oeste (86,6%), Viseu Dão Lafões (86,3%), Serra da Estrela (83,4%), Coimbra (82,8%) e Aveiro (77,8%).

Se forem incluídos os alojamentos em espaço rural (TER), a taxa global de ocupação para a noite de fim-de-ano é de 72%. Este número reflete as camas já efetivamente vendidas, pelo que, a 13 dias do último dia do ano, as expectativas são de que até lá se verifique ainda uma subida considerável.

Em comparação com 2018, a noite de 31, só em hotelaria, regista um forte crescimento, com realce para as sub-regiões Oeste (mais 16%), Aveiro (mais 12%) e Leiria (mais 12%).

Para um período mais alargado de análise, destacam-se igualmente as elevadas taxas de ocupação médias esperadas nos empreendimentos do Centro de Portugal para o fim-de-semana de 27 e 28 de dezembro, com o aumento a ser muito visível na Serra da Estrela, com taxas muito relevantes ao longo de todo este período de festas, assim como nas sub-regiões de Coimbra e do Oeste.

Para este levantamento, foram consultados todos os empreendimentos turísticos da região Centro de Portugal, num universo de 1024 empreendimentos turísticos com capacidade para 47.799 camas. A amostra que corresponde às respostas é de 14% do número de empreendimentos e 22% do total das camas disponíveis.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Coimbra celebra, durante o ano de 2020, o Jubileu dos 800 anos dos Mártires de Marrocos e de Santo António

• Os 800 anos do martírio dos primeiros frades franciscanos e a sua importância na vocação de Santo António são o mote para um vibrante programa pastoral, científico e cultural.

Data: 14 de outubro de 2019

O ano de 2020 vai constituir um marco histórico em Coimbra. Por solicitação do Bispo desta cidade, o Papa Francisco convocou um Jubileu – ou Ano Santo – para a Diocese de Coimbra, que será celebrado de 12 de janeiro de 2020 a 17 de janeiro de 2021.

Na base desta importante distinção está o facto de, a 16 de janeiro de 2020, se comemorarem os 800 anos do martírio dos primeiros frades franciscanos, em Marrocos – e a sua ligação a Coimbra e a Santo António.

Em 1219, São Francisco de Assis enviou em missão para Marrocos cinco frades, de nome Berardo, Otão, Pedro, Acúrsio e Adjuto. Em terras de África dedicaram-se à pregação, tendo sido perseguidos e martirizados. As Relíquias dos Mártires chegaram, nesse ano de 2020, ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, onde Fernando de Bulhões, jovem sacerdote, se dedicava arduamente aos estudos, tornando-se um dos homens mais cultos do seu tempo, pelo que viria mais tarde a ser consagrado como um dos poucos Doutores da Igreja.

Tão impressionado ficou Fernando com o martírio dos frades que decidiu fazer-se Frade Menor, seguindo o seu exemplo missionário. Assumindo o nome de António, foi recebido no convento de Santo António Abade dos Olivais, em Coimbra. E foi como franciscano que partiu de Coimbra para o Mundo, numa missão que o tornará num dos Santos mais notáveis da cristandade.

Os pormenores do Ano Jubilar dos Mártires de Marrocos e de Santo António foram revelados hoje, numa conferência de imprensa que decorreu na Sala do Capítulo do Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra, e que contou com a participação de D. Virgílio do Nascimento Antunes, Bispo de Coimbra, Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Frei Severino Centomo, Guardião do Convento Franciscano de Santo António dos Olivais de Coimbra e Padre Francisco Claro, Vigário Paroquial de Santa Cruz de Coimbra.

D. Virgílio do Nascimento Antunes manifestou a esperança, durante a apresentação, de que a celebração deste Jubileu “possa, além dos seus objetivos específicos, proporcionar também a possibilidade de um conhecimento mais adequado e profundo do significado do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra e, portanto, de uma parte significativa da História da cidade e do país”. E, a propósito do significado do martírio em Marrocos, sublinhou que “a partir de São Francisco de Assis iniciou-se uma das páginas mais belas de toda a História do cristianismo, em que encontramos o regresso àquilo que de mais profundo, de mais autêntico e de mais original existe no Evangelho. Que esta seja uma ocasião para nos fortalecermos a partir dos testemunhos de homens e mulheres ilustres do passado e que possa dar origem a projetarmos um futuro muito mais risonho e promissor para todos”.

Pedro Machado, por seu lado, evidenciou a importância do Ano Jubilar para o turismo religioso, um segmento turístico “muito importante na estratégia do Centro de Portugal, não apenas o turismo religioso mariano ou aquele associado ao Caminho Português de Santiago, mas na sua dimensão mais global”. “O turismo religioso no Centro de Portugal é hoje responsável pela emissão de turistas de mercados pouco habituais. A América do Sul e a Ásia são a origem da maioria dos grupos organizados que vêm à procura do turismo religioso. É um mundo que se abre”, realçou.

“Perder a memória é perder o futuro. Ao estarmos aqui para celebrar o Jubileu, estamos a ganhar uma aposta no futuro, respeitando o que foi feito no passado”, começou por dizer Manuel Machado. “A Câmara Municipal de Coimbra associa-se à celebração do Jubileu porque é um acontecimento importante para a memória coletiva da cidade, em termos de História e do passado, mas também para a memória futura da cidade que estamos a construir”, acrescentou, recordando “os valores perenes e civilizacionais de Santo António, de partilha com os outros e de solidariedade”.

Intenso programa durante um ano
O Jubileu terá início a 12 de janeiro de 2020, com a celebração de abertura da Porta Santa na Igreja de Santa Cruz, pelas 16h, e termina no dia 17 de janeiro de 2021, com o encerramento do Ano Santo. Este arco temporal inscreve-se entre a celebração litúrgica dos Mártires de Marrocos, que tem lugar cada ano a 16 de janeiro.

A nível pastoral é proposta a peregrinação jubilar constituída por um “Itinerário do Peregrino”, que ajudará as paróquias, grupos e peregrinos individuais a visitar os lugares jubilares, partindo da Igreja de Santa Cruz até à Igreja de Santo António dos Olivais. Pelo interior do Mosteiro de Santa Cruz é oferecida a cada participante a possibilidade de visitar a “Exposição Jubilar”, bem como assistir a um documentário sobre a vida de Santo António. Nos primeiros domingos de cada mês, as tardes dos chamados “Domingos Jubilares” serão enriquecidas com um vasto programa que culmina com a celebração eucarística. A fim de ajudar as comunidades e grupos eclesiais a preparar e viver este Ano Santo será publicado em breve o “Guião Pastoral Jubilar”.

A nível cultural, um dos destaques do programa será a estreia mundial da “Missa de São Francisco” e “Missa de Santo António”, da autoria do Maestro António Vitorino de Almeida. Esta estreia, com coros e orquestra de Coimbra, acontecerá no Convento São Francisco. No mesmo espaço, haverá também um concerto de encerramento do Jubileu, com a Oratória “De Fernão se fez António”. A encomenda de uma tela, “Paixão dos Mártires de Marrocos, Paixão de António”, integra igualmente a programação cultural.

As tradicionais iniciativas promovidas pela Câmara Municipal de Coimbra, “Festa da Flor e da Planta”, bem como a “XII Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra”, a realizar em 2020, terão como inspiração a figura de Santo António e dos Mártires de Marrocos.

A criação de um roteiro turístico antoniano será outra das iniciativas a realizar, em colaboração com o Turismo Centro de Portugal, bem como a “Corrida de Santo António” de Santa Cruz a Santo António dos Olivais, organizada pela Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais, pela União de Freguesias de Coimbra e União das Freguesias de Santa Clara, Assafarge e Castelo de Viegas.

Duas peregrinações possibilitarão o contacto in loco com os lugares associados aos Mártires de Marrocos e Santo António: em Abril de 2020, em Itália, pelo local do nascimento dos Mártires e pelos caminhos antonianos; e em Setembro de 2020, por Marrocos, visitando o local do martírio dos primeiros frades franciscanos.

Estão a fazer-se esforços, com o apoio da Câmara Municipal de Coimbra, a fim de convidar os diversos agentes culturais da cidade a inserirem nos seus programas iniciativas que valorizem esta celebração.

A nível científico há a realçar a realização de um congresso, em colaboração com investigadores da Universidade de Coimbra, que abordará a História e Culto dos Mártires de Marrocos e de Santo António em Coimbra, o carisma e herança Antoniana e o diálogo intercultural, inculturação e Missão. Além deste, haverá as Jornadas Pastorais Diocesanas, um ciclo de conferências e testemunhos sobre a perseguição aos cristãos nos nossos dias e um Ciclo de “Diálogos com António”, organizados pela revista “Mensageiro de Santo António”, com a participação de especialistas em temáticas tão diversas como a Bíblia, a Europa, a Economia, a Família ou a Vida.

Uma iniciativa partilhada

São várias as instituições que deram as mãos para a realização e promoção do programa jubilar. Entre elas, a Câmara Municipal de Coimbra, o Turismo Centro de Portugal, bem como a Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais, a União de Freguesias de Coimbra e a União das freguesias de Santa Clara, Assafarge e Castelo de Viegas. Todos os agentes culturais e forças vivas da cidade de Coimbra são ainda convidadas a associar-se a este inédito Ano Santo.

Materiais sobre o Jubileu para download em: santoantonio.live/jubileu2020

Turistas no Centro de Portugal aumentaram 5% até outubro

• Dormidas registam crescimento superior à média nacional nos primeiros dez meses do ano.

Data: 13/12/2019

O número de turistas na região Centro de Portugal aumentou mais de 5% no período de janeiro a outubro de 2019, em comparação com igual período do ano passado. Os resultados publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) deixam antever que este vai ser o melhor ano de sempre para a atividade turística na região, tanto a nível de hóspedes como de dormidas e de receitas.

O INE mostra que, entre janeiro e outubro, foram contabilizados 3,58 milhões de hóspedes na região, mais 5,17% do que no mesmo período de 2018. No indicador das dormidas, o Centro de Portugal cresceu 4,15% nos primeiros dez meses do ano – acima dos 3,74% de subida da média nacional. Os números são positivos tanto nas dormidas de visitantes nacionais como internacionais: respetivamente, mais 5,23% e mais 2,88%.
Em valores absolutos, contabilizaram-se 6,23 milhões de dormidas entre janeiro e outubro, mais 250 mil do que nos mesmos meses do ano anterior. Uma diferença significativa e que ilustra a contínua progressão da região a nível da procura. De facto, se olharmos ainda mais para trás, verificamos que entre janeiro e outubro de 2014, por exemplo, as dormidas não chegavam aos 4 milhões.

A evolução nas dormidas e nos hóspedes tem reflexos muito animadores nas receitas. Entre janeiro-outubro de 2018 e janeiro-outubro de 2019, há a registar um crescimento de 6,17% nos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, que ultrapassaram os 310 milhões de euros. Dados claramente encorajadores para os empresários que investem no turismo da região.

Considerando apenas os dados de outubro, o Centro de Portugal apresenta um acréscimo de 2,3% nas dormidas, de 5% nos hóspedes e de 3,7% nos proveitos, em comparação com o mesmo mês de 2018.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Turismo Centro de Portugal apresentou documentos orientadores para o turismo da região na próxima década

• Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030, elaborado pela consultura Deloitte para o Turismo Centro de Portugal, aponta caminhos para o futuro da atividade turística.

Data: 03/12/2019

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal (TCP) apresentou hoje publicamente dois documentos estruturantes, que traçam o caminho a ser seguido na próxima década de atividade turística no Centro de Portugal: o Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030 e o seu Plano de Marketing. Os documentos foram apresentados numa sessão pública que decorreu na sede da Deloitte, em Lisboa.

A apresentação foi presidida por Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, e contou com uma introdução por parte de Pedro Machado, presidente da TCP.

O Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030 e o Plano de Marketing da TCP resultam de uma colaboração com a Deloitte, a qual incluiu uma auscultação exaustiva de vários protagonistas, não apenas na área do turismo, realizada pela consultora.

Pedro Machado referiu, no início da sessão, que “foram muitos os motivos que levaram o Turismo Centro de Portugal a desenvolver estes documentos”. “A indústria do turismo está a atravessar um conjunto de mutações, o que nos motivou a percorrer este caminho, de forma a ajustar os destinos e regiões à atividade turística. A região Centro de Portugal cresceu nos últimos anos acima da média nacional, mas poderá não ser sempre assim”, sublinhou. “É importante que os players do setor tenham um documento orientador. Estes documentos, projetados a 10 anos, são uma referência estratégica que influencia a ação dos empresários”, acrescentou.

Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, encerrou a sessão com elogios ao trabalho feito. “A região Centro de Portugal tem contribuído de forma muito sólida para o crescimento do turismo no país. O país não é só Lisboa. Olhando para estes documentos, que apontam para o futuro, ficamos seguros de que temos as pessoas certas para o Centro de Portugal continuar a crescer e ser uma região de exceção”, frisou a governante. “Vamos entrar numa nova era do turismo. Este plano permite-nos parar e pensar sobre o futuro, com uma visão refrescada”, disse ainda.

Um plano pensado a dez anos

Coube a Pedro Santos Rosa, Senior Manager da Deloitte, explicar os pontos fundamentais dos dois documentos.

O Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030 projeta as principais linhas-mestras da Turismo Centro de Portugal para a próxima década. Em concreto, sintetiza as metas turísticas concretas a atingir e os objetivos estratégicos gerais para a Região, ao mesmo tempo que avança com linhas estratégicas de ação para atingir os objetivos propostos.

Assim, foram definidas quatro metas turísticas a alcançar: aumentar o número de dormidas na Região Centro de Portugal; aumentar a estada média no território; aumentar a taxa líquida de ocupação-cama; e aumentar o rendimento por quarto disponível nas unidades da Região.

Para alcançar essas metas, o Plano tem na sua génese cinco drivers orientadores. Estes passam por “qualificar e valorizar todos os intervenientes na cadeia de valor do setor do Turismo”, “promover o desenvolvimento integrado, sustentado e coeso do território”, “estruturar, qualificar, consolidar e diversificar transversalmente a qualidade da oferta”, “contribuir para o desenvolvimento da notoriedade da Região Centro e solidificação da marca Centro no mercado” e “potenciar o investimento turístico na Região Centro e incentivar a inovação e empreendedorismo”.

À luz do novo panorama turístico da Região Centro de Portugal, também os seus pilares estratégicos foram adaptados, passando a totalizar cinco pilares que sumarizam a oferta turística da região: Cultura, História, Património e Gastronomia e Vinhos; Natureza, Wellness, Turismo Ativo e Desportivo e Mar; Lifestyle, Inspirational e novas tendências; Turismo Espiritual e Religioso; e Turismo Corporate e Empresarial.

O Plano Regional sublinha que, tomando partido da sua diversidade, a Região Centro de Portugal deverá alavancar a sua oferta turística, posicionando-se como um destino coeso, caracterizado pela oferta de experiências turísticas integradas transversais e pela continuidade ao longo do território. A promoção do território deve evidenciar as características únicas e diferenciadoras da Região.

O Plano de Marketing do TCP, igualmente apresentado por Pedro Santos Rosa, é um documento que sintetiza a estratégia da Região, orientada para o produto, mercados, segmentos e marca, partindo das linhas estratégicas de ação e dos pilares estratégicos definidos pelo Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030.

“A elaboração do Plano Regional de Desenvolvimento Turístico 2020-2030 constituiu um enorme desafio, na medida em que é bastante ambicioso em termos de horizonte temporal, a 10 anos, até 2030, principalmente se tivermos em consideração a volatilidade da indústria do turismo”, considerou Pedro Santos Rosa.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

Centro de Portugal participa na maior feira de artesanato do Mundo

Data: 29/11/2019

O Turismo Centro de Portugal vai estar presente a partir de amanhã na 24.ª edição da L´Artigiano in Fiera, a maior feira de artesanato do mundo, que todos os anos se realiza na cidade italiana de Milão.

A presença do Turismo Centro de Portugal, que acontece numa parceria com a Associação de Artesãos da Serra da Estrela, consiste num stand de 24m2, que dispõe de áreas reservadas à gastronomia regional e à animação musical. Estarão, ainda, representados 20 expositores das mais diferentes atividades artesanais.

Estima-se que entre 30 de novembro e 8 de dezembro, período de duração da feira, a L´Artigiano in Fiera supere os 1,2 milhões de visitantes da edição de 2018. Durante os nove dias do evento, cerca de 3.000 artesãos de cerca de 100 países mostram produtos típicos ao lado de criações originais, estando unidos pela excelência na fabricação.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.