Visita de dois dias da Secretária de Estado do Turismo ao Centro de Portugal com balanço “muito positivo”

  • Comitiva liderada pela governante conheceu projetos turísticos no Entroncamento, Vila Nova da Barquinha, Torres Novas, Sardoal, Castelo Branco, Fundão, Covilhã, Belmonte, Guarda, Fornos de Algodres, Carregal do Sal e Oliveira do Hospital.

Data: 29/02/2020

A Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, efetuou uma visita oficial de dois dias a territórios do Centro de Portugal, onde conheceu de forma aprofundada alguns projetos turísticos em curso ou em estudo na região.

A visita, nos dias 27 e 28 de fevereiro, foi acompanhada por uma delegação do Turismo Centro de Portugal, incluindo o seu presidente, Pedro Machado, por autarcas e empresários e por elementos do gabinete da Secretaria de Estado e do Turismo de Portugal.

No final, a governante sublinhou aos jornalistas que o balanço da visita foi “muitíssimo positivo”. “Foram apresentados projetos muito ambiciosos, que corporizam a nossa Estratégia Turismo 2027 em vários domínios, como o turismo espiritual, o turismo cultural ou o turismo de natureza. Estou muito grata à Entidade Regional de Turismo por ter proporcionado este momento, porque só sabendo o que existe no terreno é que podemos decidir bem”, disse.

A escolha dos destinos visitados nestes dois dias foi particularmente difícil, tendo recaído em projetos e municípios de zonas mais afastadas do litoral. A Secretária de Estado mostrou vontade em regressar periodicamente à região, para conhecer iniciativas de outras geografias do Centro de Portugal.

Doze etapas em dois dias

No primeiro dia da deslocação, a comitiva começou por fazer uma visita guiada ao Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento, acompanhada pelo presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria, pelo presidente da Fundação Museu Nacional Ferroviário, Manuel Cabral, e pela diretora do Museu, Ana Fontes. A governante ficou também a conhecer o impacto que o festival “Vapor: A Steampunk Circus” tem na região.

A etapa seguinte da visita aconteceu em Vila Nova da Barquinha, tendo a governante sido recebida no salão nobre da autarquia pelo autarca Fernando Freire, que deu conta dos principais produtos turísticos do concelho. Aqui foi também apresentado o projeto Bark – Biopark Barquinha, um investimento privado que, como sublinharam os seus promotores, João Paulo Rodrigues e Pedro Costa, tem como temas centrais o turismo de natureza e a conservação de espécies animais em perigo de extinção. Este é um parque temático de 40 hectares, com animais de todo o mundo.

Depois, a comitiva deslocou-se à Quinta S. João Batista, em Riachos, Torres Novas, para conhecer o projeto de enoturismo e ecoturismo pensado para este espaço, que se apresenta como reserva da biodiversidade. No local, foi recebida pelo presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, Pedro Ferreira. A visita ao espaço e a apresentação foram conduzidas por Nuno Santos, da Enoport Wines, proprietária do espaço.

O destino seguinte foi o Sardoal, onde a secretária de Estado tomou contacto com a Casa Grande ou Casa dos Almeidas, edifício histórico situado no centro da vila e que está projetado para ser um hotel. Miguel Borges, presidente da Câmara do Sardoal, foi quem apresentou o projeto. Ainda no Sardoal, houve tempo para apreciar a Igreja Matriz.

A etapa seguinte foi Castelo Branco, nomeadamente o Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco, onde se pôde observar ao vivo o excecional trabalho das bordadeiras. José Augusto Rodrigues Alves, vice-presidente da Câmara de Castelo Branco, foi o anfitrião.

O primeiro dia terminou com um jantar no Convento do Seixo, no Fundão, uma unidade hoteleira de referência na região. Após um discurso de boas-vindas, pelo presidente da autarquia, Paulo Fernandes, assistiu-se a uma apresentação das Aldeias do Xisto, por Rui Simão, coordenador da ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto. A autarquia convidou empresários do setor do turismo para o jantar, destacando-se também a presença de António Robalo, presidente da Associação das Aldeias Históricas de Portugal (AHP).

O segundo dia da deslocação oficial começou com uma visita ao projeto New Hand Lab, na Covilhã, um laboratório criativo dedicado às artes que nasceu numa antiga fábrica de lanifícios, a antiga fábrica António Estrela. Francisco Afonso, proprietário do espaço, e José de Oliveira, vereador da Câmara Municipal da Covilhã, fizeram as honras da casa e, em conjunto com artistas residentes, com realce para o criador Miguel Gigante, mostraram o muito que se faz no laboratório criativo.

Sem perder tempo, a comitiva rumou a Belmonte, onde conheceu o Museu Judaico, repositório de uma História com muitos séculos que atesta a presença de uma importante comunidade judaica na região – presença que se mantém até aos dias de hoje. Em Belmonte decorreu igualmente uma reunião de trabalho, com o autarca Dias Rocha, em que se abordaram temas como a Rede de Judiarias. Também aqui, António Robalo, presidente da Associação das Aldeias Históricas de Portugal, igualmente presidente da Câmara do Sabugal, apresentou as iniciativas em curso para as AHP.

A manhã terminou na Guarda, onde Rita Marques ficou ao corrente de alguns projetos estruturantes a nível turístico previstos para a cidade mais alta do país, como a FIT – Feira Ibérica de Turismo, os Passadiços do Mondego, o Centro Náutico em altitude, o Centro Interpretativo da Cultura Judaica ou a candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027. A apresentação dos projetos esteve a cargo do presidente da autarquia, Carlos Monteiro, do vereador da Cultura e Turismo, Victor Amaral, e do diretor da FIT, Carlos Condesso.

À tarde, a comitiva deslocou-se a Fornos de Algodres, onde foi recebida pelo presidente da autarquia, António Fonseca. Neste município, ficou ao corrente do projeto Vale das Lobas, um aldeamento turístico que aposta na sustentabilidade e que foi apresentado pelo promotor, Tony Conway.

A Casa do Passal, em Cabanas de Viriato, concelho de Carregal do Sal, foi o destino seguinte da visita. Esta casa tem um grande significado histórico, uma vez que era aqui que vivia o cônsul Aristides de Sousa Mendes, cujo papel no salvamento de judeus na II Guerra Mundial lhe granjeou o título de “Justo entre as Nações”. Rogério Mota Abrantes, presidente da autarquia de Carregal do Sal e da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, foi o principal anfitrião.

A deslocação oficial da Secretária de Estado do Turismo teve o seu desfecho no Museu do Azeite, importante equipamento turístico na aldeia da Bobadela, concelho de Oliveira do Hospital, onde a governante foi recebida por uma delegação da autarquia, liderada por José Carlos Alexandrino, presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, e pelo vice-presidente Francisco Rolo. A visita guiada ao museu, que conta a história da produção de azeite desde a época romana até à atualidade, foi conduzida por António Dias, empresário do setor e promotor do projeto.

Sobre o Turismo Centro de Portugal:

O Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.