Kiko Maria cruza a bandeira de xadrez 546 dias depois. “É uma sensação única. Sinto que estou de volta!”

Piloto português da Leopard GALP Junior Team supera-se para terminar (em nono lugar) a etapa de Valência do Campeonato da Europa de Velocidade (FIM CEV Moto 2 – Classe STK600). Está cumprido mais um passo no regresso após lesão.

Um ano e seis meses depois – mais precisamente 546 dias após ter visto, a 10 de Novembro de 2019, também em Valência, aquela que tinha sido a derradeira bandeira de xadrez da sua promissora carreira – Kiko Maria voltou este domingo a terminar uma corrida! E fê-lo com uma nova prova de superação: o piloto português da Leopard GALP Junior Team conciliou o objetivo de treino e de recuperação em pista com um meritório nono lugar, na etapa de Valência do Campeonato da Europa de Velocidade (FIM CEV Moto 2 – Classe STK600), prova antecâmara do Mundial MotoGP.

Após o desempenho mostrado há duas semanas, no Autódromo do Estoril, Kiko Maria confirmou, assim, mais um passo significativo no seu regresso ao ativo, após a ausência forçada por lesão, somando voltas e um ritmo competitivo crescente, sem colocar em causa a estratégia de risco mínimo que tem vindo a adotar com a equipa Leopard GALP Junior Team.

“Esta é uma sensação única! Voltar a cruzar a linha de meta é uma sensação inesquecível. Sinto que estou de volta! Todo o trabalho feito ao longo desta longa ausência, por muito difícil que possa ter sido, está a dar resultados. Vamos continuar a dar passos seguros, para cumprir o objetivo maior. Obrigado a todos, em particular aos médicos que me têm acompanhado e aos fisioterapeitas da Fisiogaspar, que tanto têm trabalhado comigo”, começou por dizer Kiko Maria, logo após a corrida de Valência.

Num fim-de-semana especialmente duro, face ao calor e humidade que se fez sentir no circuito Ricardo Tormo, Kiko Maria procurou gerir o esforço físico da melhor forma, salvaguardando ao máximo a participação na corrida, na qual chegou a rodar no oitavo lugar da sua categoria. “Olho para trás e percebo como foi importante correr no Estoril, há duas semanas! Não existe nada como estar em pista e hoje senti-me ainda melhor. Os tempos baixam, as sensações melhoram, mas é preciso ter consciência que ainda temos muito trabalho pela frente. O nono lugar hoje conquistado é apenas mais um tónico para continuar em frente, com o mesmo foco”, prosseguiu Kiko Maria, visivelmente feliz.