A Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha recebe oradores de todo o mundo para cimeira internacional de discussão sobre destinos turísticos não massificados

Brasil, Canadá, Espanha, Inglaterra, Itália, Rússia ou Portugal são alguns dos países de origem dos oradores que responderam ao convite da associação Aldeias Históricas de Portugal e que vão marcar presença na cimeira “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”.

Nos dias 15, 16 e 17 de novembro, a histórica catedral de Idanha-a-Velha vai ser palco de uma inédita e pioneira cimeira sobre turismo: a “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”, promovida pela associação Aldeias Históricas de Portugal. Uma iniciativa que surge com o objetivo de sensibilizar para a necessidade de haver uma política comum à escala global direcionada para áreas geográficas alternativas aos destinos de massas, sugerindo-se, também, um debate em torno de uma definição consensual para o conceito para esta tipologia de destinos, avançando-se para a discussão com a proposta de “Destino Turístico Alternativo”.

A cimeira destaca-se, desde logo, pelo prestígio, mas também pela diversidade geográfica dos oradores que já confirmaram presença: Brasil, Canadá, Espanha, Inglaterra, Itália, Rússia ou Portugal são alguns dos países de origem dos nomes que vão partilhar as suas experiências e reflexões na “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”.

Peter Shackleford, assessor da UNWTO-World Tourism Organization, Tomás Azcárate, chairman do Instituto de Turismo Responsável; Lyublena Dimova, Research Project Manager da Comissão Europeia para o Turismo; Alexei Borisov, Secretário Geral da United Nations Association of Russia; Luigi Cabrini, chairman do Global Sustainable Tourism Council (GSTC) ou Leandro de Lemos, Secretário de Desenvolvimento Económico da Prefeitura Municipal de Porto Alegre são algumas das personalidades internacionais que responderam ao convite da associação Aldeias Históricas de Portugal.

De Portugal, estão confirmados nomes como os de Carlos Costa, do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo da Universidade de Aveiro; Sérgio Guerreiro, Diretor Coordenador da Direção de Gestão do Conhecimento do Turismo de Portugal; João Ricardo Moreira, Administrador da NOS; Teresa Ferreira, Diretora de Desenvolvimento e Inovação do Turismo de Portugal; e Dalila Dias, Coordenadora Executiva das Aldeias Históricas de Portugal.

Com oradores nacionais e internacionais vindos dos mais diversos organismos e entidades relacionadas com o turismo, património, sustentabilidade, desenvolvimento local, etc., esta cimeira promove o debate com alguns dos mais prestigiados e influentes agentes do mercado, num momento em que importa definir mecanismos de atuação e regulação focados na sustentabilidade, políticas de financiamento adaptadas aos territórios e seus agentes, medidas específicas de gestão orientadas para um turismo responsável e sustentável, entre outras questões identificadas pela organização do evento, que servirão de mote para os painéis da “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders”.

A escolha da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha para a realização desta cimeira demonstra o objetivo da organização de dar voz e visibilidade a áreas geográficas que têm muito para oferecer e que querem ser elementos pró-ativos no seu proceso de desenvolvimento. Idanha-a-Velha é uma das 12 Aldeias Históricas de Portugal, entidade promotora do evento. Também colaboram na organização da cimeira o Instituto de Turismo Responsável, o Turismo de Portugal e o Município de Idanha-a-Nova. Esta iniciativa conta ainda com o o apoio institucional da Secretaria de Estado de Turismo do Governo de Portugal e GSTC – Global Sustainable Tourism Council, entidade que, à escala global, reconhece e acredita os referenciais internacionais de turismo sustentável.

A cimeira “International Summit: Cultural Sustainable Destinations without Borders” é financiada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através dos programas Centro 2020 (Programa Operacional Regional do Centro), via Portugal 2020, bem como do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

Para mais informações sobre a cimeira ou para efeitos de inscrição, por favor consulte este link: https://www.responsibletourisminstitute.com/en/event/aldeias/

As Aldeias Históricas de Portugal

Perdidas entre montes e vales da verdejante paisagem do interior de Portugal, repletas de lendas e castelos, sabores e tradições, há 12 singelas aldeias onde apetece perdermo-nos, para nunca mais nos encontrarmos. Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso: as Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12, são paraísos escondidos que nos levam numa viagem ao tempo de reis e rainhas, épicas e infinitas batalhas que escreveram a História como a conhecemos hoje. Viajar até às Aldeias Históricas de Portugal é, assim, descobrir a História de um país de temerários conquistadores, através das pedras das suas calçadas e das suas frondosas muralhas e castelos, orgulhosa e imponentemente erguidos.

Para mais informações sobre a cimeira ou para efeitos de inscrição, por favor consulte este link: https://www.responsibletourisminstitute.com/en/event/aldeias/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *