Os números do Festival da Comida Continente… Uma megaprodução da Expanding World!

Para o Parque da Cidade do Porto se transformar na maior festa de gastronomia da Europa só há… dez dias! Sim, leu bem. Um imenso desafio para a Expanding World, a empresa nacional que, mais uma vez, merece a confiança do Continente para produzir – integralmente! – o Festival da Comida Continente. Uma megaprodução como confirmam os números que se seguem…

A avaliar pelos números de 2017, pelo menos meio milhão de pessoas são esperadas no próximo fim-de-semana (dias 7 e 8 de julho) no “Queimódromo”. Um número que, por si só, justifica que a organização do Festival da Comida Continente seja considerada uma megaprodução no sentido estrito da expressão.

Para construir e implementar no terreno todas as infraestruturas, a Expanding World só tem dez dias. Mas apesar do tempo recorde de implantação, Ana Simão, sócia e diretora de produção da empresa, admite que “a preparação do evento já começou há seis meses, por uma equipa constituída por 23 especialistas em diferentes áreas. É que a nossa empresa tem responsabilidades não apenas no processo criativo e na execução, mas também na arquitetura, design, cenografia, engenharia, saneamento, programação, secretariado e logística.”

Envolvidas na organização do Festival da Comida Continente estão cerca de 2.000 pessoas, sendo que, 200 das quais, integram uma equipa de primeira linha da Expanding World.

O evento está implantado numa área total de 185 mil metros quadrados. Para além de um mega palco, destaque para dois pavilhões preparados para receber mais de meia centena de produtores de vinhos, queijos e enchidos, mas também workshops, showcookings, áreas de gaming e de animação infantil.

Mas uma das mais imponentes e impressionantes estruturas do Festival da Comida Continente é a mega tenda, que vai acolher seis cozinhas profissionais para outros tantos chefs. Uma estrutura ao estilo hangar, com três mil metros quadrados de área e capacidade para 2.500 lugares sentados, onde estão previstas servir cerca de 25.000 refeições – confecionadas na hora.

Para além das 20 horas de programação, estão programadas mais de duas dezenas de ativações de marca e mais de seis horas de emissões, em direto e em sinal aberto, pelo canal de televisão TVI.

Para um evento desta dimensão, também o número de efetivos de segurança impressiona: cerca de 200 oficiais, entre Polícia de Segurança Pública, Bombeiros Sapadores, Segurança Privada e Cruz Vermelha Portuguesa.

A 2ª edição do Festival da Comida Continente decorre no próximo fim-de-semana (dias 7 e 8 de julho), no Parque da Cidade do Porto. O evento que faz da comida um espetáculo, é integralmente produzido pela Expanding World e é uma referência do entretenimento familiar em Portugal! A fusão de um festival de música, com um mega festival gastronómico, onde a diversidade de oferta de experiências é única.

Recorde-se que, em 2016, com a Festa Continente organizada também no Parque da Cidade do Porto, a Expanding Group produziu o primeiro evento em Portugal que recebeu o certificado de sistema de gestão de sustentabilidade de eventos ISO 20121.

Riberalves celebra o Bacalhau no Festival da Comida Continente

  • A Riberalves estreia-se no Festival da Comida Continente, celebrando o “Fiel Amigo” enquanto elemento decisivo da cozinha portuguesa, que se impõe pelo valor gastronómico, pela versatilidade, carácter prático e, também, pela dimensão saudável.
  • Miguel Laffan, chef Estrela Michelin e embaixador da marca Riberalves, é o grande destaque no programa, com as suas propostas em torno do bacalhau.

 

Torres Vedras, 27 de Junho de 2018

 

É um dos grandes eventos gastronómicos realizados no País. Apresenta-se como uma verdadeira viagem pelos sentidos, oferecendo aos participantes uma experiência transversal que integra sabores tradicionais, cozinha internacional, novas tendências alimentares e, ainda, muita música. Mas, em 2018, acolhe igualmente um elemento decisivo da nossa gastronomia: o Bacalhau. Nos dias 07 e 08 de julho, a Riberalves estreia-se no Festival da Comida Continente, propondo a celebração do “Fiel Amigo” enquanto proteína fulcral da cozinha portuguesa, que se impõe pelo valor gastronómico, pela versatilidade, mas também pela dimensão prática e saudável.

O Festival da Comida Continente, que na edição 2017 levou meio milhão de visitantes ao Parque da Cidade do Porto, regressa agora com um programa valorizado pela presença da marca líder do sector do bacalhau. Miguel Laffan, chef Estrela Michelin e embaixador da Riberalves, será um dos destaques, apresentando novas sugestões em torno do “Fiel Amigo”, com o showcooking “Reinventar a Tradição do Bacalhau” e o workshop “Entradas Rápidas com Bacalhau”. Paralelamente, e além de um espaço de consumo permanente, com propostas também de Miguel Laffan, o bacalhau será tema numa área dedicada à alimentação saudável, destacando-se enquanto proteína de origem 100% selvagem, de elevado valor nutritivo, e sem qualquer produto químico adicionado ao processo produtivo.

“É conhecida a paixão extraordinária que os Portugueses e, particularmente o Norte do País, têm pelo bacalhau. Queremos continuar a contribuir para a reinvenção do consumo do “Fiel Amigo”, partilhando novos produtos e novas soluções gastronómicas, mas destacando, também, a sua vertente saudável, tão necessária para a alimentação de hoje em dia. Por isso, não podíamos estar fora deste grande evento gastronómico e desta oportunidade de irmos ao encontro dos consumidores, não apenas partilhando esta nossa paixão pelo bacalhau, mas reforçando também a grande parceria que temos com o Continente”, afirma Ricardo Alves, administrador da Riberalves.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 25 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 145 milhões de euros e exportações que valem 30% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

 

Novo Renault Mégane R.S.: Superlativo de emoção!

Três gerações depois, o Renault Mégane R.S. está, mais do que nunca, pronto para as… curvas! Com uma estética arrebatadora, um potente motor de 280 cavalos e o supereficiente sistema de quatro rodas direcionais 4CONTROL, a mais recente obra-prima da Renault Sport Cars volta a elevar os padrões de performance dos modelos compactos desportivos. Sente-se ao volante e perceba porquê… 

Esta primavera também promete ter alguns contornos de verão, pelo menos nas estradas de asfalto portuguesas! “Cortesia” da tão ansiada terceira geração do Renault Mégane R.S., que agora chega a Portugal por um preço a partir de 38.780€ e com argumentos mais do que suficientes para aquecer a temperatura do alcatrão, ao mesmo tempo que acelera as pulsações e descarrega adrenalina sobre quem o conduzir… perdão, pilotar!

Concebido e desenvolvido pelos técnicos da Renault Sport, o mais recente membro da família R.S. da Renault apresenta-se ao serviço com inovações tecnológicas que o elevam ao topo da categoria dos compactos desportivos do segmento C, mas com uma versatilidade dinâmica notoriamente invulgar. Com efeito, tanto pode assumir a diabólica personalidade de um desportivo de eleição, como a de um familiar!

Um desportivo puro, mas também um familiar!

Disponível em duas versões – TCe 280, com caixa manual de seis velocidades, e TCe 280 EDC, com caixa automática de dupla embraiagem de seis velocidades –, (uma terceira versão – Trophy – com motor mais potente de 300 cv chegará a Portugal no final de 2018), o novo Mégane R.S. reúne todos os argumentos para impressionar.

Dois chassis diferentes – Sport e Cup – integram o leque de opções disponíveis, tornando o modelo mais ou menos radical, consoante a utilização pretendida. No caso da versão com chassis Sport, o eficaz comportamento em estrada está, desde logo, assegurado, mas a afinação de suspensão mais suave permite-lhe oferecer maior nível de conforto no quotidiano, mantendo intactas as suas virtudes desportivas. “Vestido” com o chassis Cup, o Mégane R.S. revela um amortecimento 10% mais rígido e uma nova parametrização do diferencial autoblocante mecânico Torsen®, que melhora, ainda mais, a motricidade e faz esquecer que estamos ao volante de um tudo à frente.

250 km/h de velocidade máxima e 5,8 segundos dos 0-100 km/h

Se um comportamento dinâmico excecional é a base para um desportivo de eleição, as performances alcançadas não são menos importantes. E, neste capítulo, o Mégane R.S. também “dá cartas”, com uma velocidade máxima anunciada de 250 km/h (controlada eletronicamente) e uns escassos e expressivos 5,8 segundos no tempo para atingir a mítica marca dos 0-100 km/h e uns não menos impressionantes 25,0 segundos para cruzar a barreira dos 1000 metros, após arranque parado.

Para lidar com estes números, o mais potente Mégane R.S. de sempre oferece uma capacidade de travagem irrepreensível, tanto ao nível da potência como da resistência, apoiada num eficaz sistema com discos dianteiros de 355 mm e traseiros de 290 mm.

Estética arrebatadora

O design exterior, orientado para o desempenho dinâmico, fortalece a sensação desportiva do novo Mégane R.S..

A distância ao solo reduzida 5 mm (face ao Mégane GT), o para-choques dianteiro com grelha de entrada de ar com padrão 3D em ninho de abelha e lâmina F1, o alargamento dos guarda-lamas dianteiros e traseiros, as saídas de ar laterais que otimizam o fluxo de ar nas cavas das rodas, as novas jantes de 18 ou 19 polegadas, a que se juntam ainda o para-choques traseiro com difusor integrado, saída de escape central e um difusor traseiro, projetado para aumentar a downforce (força descendente), são elementos que demarcam uma estética agressiva e que não deixam ninguém indiferente.

O sistema de iluminação LED multirrefletores R.S. Vision (na original forma de bandeira quadriculada) reforça também os laços à competição e, aliado, a toda a estética arrebatadora do novo Mégane R.S., é “apenas” mais um pormenor de eleição. Por onde quer que passe, o novo Mégane R.S. “rouba” olhares e “colhe” sorrisos!

Habitáculo a “cheirar” a competição

Se, exteriormente, não faltam elementos evocativos ao ADN de competição que o novo Mégane R.S. não dispensa, no habitáculo, as referências à sua personalidade desportiva também são indisfarçáveis.

Bancos desportivos R.S. com apoios de cabeça integrados, estofos em tecido R.S. carbono escuro com posponto vermelho, frisos do painel de bordo e das portas R.S., pedais e apoio de pé em alumínio, soleiras das portas dianteiras Renault Sport cromadas e volante e punho de alavanca de velocidades em couro (de origem bovina) premium perfurado R.S. com tapa-airbag R.S., são apenas alguns dos muitos apontamentos que juntam qualidade à elevação estética e vincam, decididamente, o temperamento desportivo.

O ecrã TFT 7“, a cores, com display específico Renault Sport e a iluminação ambiente nos painéis das portas dianteiras e traseiras, conferem ainda mais distinção ao habitáculo.

Motor com “injeção de adrenalina” incluída!

Foi o know how dos engenheiros da Renault Sport Cars, da Renault Sport Racing e do Technocentre Renault, que permitiu desenvolver o novo moto de quatro cilindros, 1.8 litros turbo, que debita 280 cavalos (205 kW) às 6.000 rpm ou talvez fosse mais correto dizer às… 6.000 emoções por minuto!

O sistema de refrigeração e a cabeça dos cilindros foram redesenhados, com o novo Mégane R.S. a beneficiar de tratamentos de superfície provenientes da competição e dos supercarros, tais como o DLC (Diamond Like Carbon) para os pistões de válvulas e o Mirror Bore Coating para o revestimento das camisas dos cilindros. Com a distribuição feita por corrente, ao motor foi adicionada também uma dupla entrada de ar no turbocompressor (Twin Scroll), com vantagens evidentes ao nível do binário já que, comparado com a anterior geração do Mégane R.S., o propulsor ganhou 30 Nm de binário extra, mesmo tendo uma cilindrada inferior. Agora, ao nível do binário, apresenta um pico de energia de 390 Nm, disponíveis logo às 2.400 rpm, mas que se prolonga até às 4.800 rpm, valores referência na categoria.

Potência e binário, portanto, suficientes para condutor e passageiros serem brindados com uma “injeção de adrenalina” sempre que o acelerador é pisado, naquele que é apenas o primeiro passo para uma condução recheada de prazer e, para a qual muito contribui também a sonoridade ímpar extraída do sistema de escape, trabalhada ao detalhe, e que ajuda a transformar o condutor em “piloto”, face às sensações que oferece.

E se está a pensar que, pela amostra de sensações, para os consumos e as emissões de CO2 está reservado o papel de “maus da fita”, também vale a pena saber que, face ao Mégane R.S. III da anterior geração, o novo Mégane R.S. é 11% menos “guloso” na hora de abastecer e 8% menos poluente, na hora de respeitar o ambiente.

Sistema 4CONTROL: privilégio único no segmento

O sistema de quatro rodas direcionais 4CONTROL é um dos principais trunfos para que a nova geração do Mégane R.S. sobressaia na estrada, mas que já conquistou o mundo, ao ser aplicado, pela primeira vez, num automóvel desta categoria, com acentuado perfil desportivo.

De série nos chassis Sport e Cup, o sistema de quatro rodas direcionais viu a sua parametrização reformulada (face ao Mégane GT) para adaptar o desempenho às necessidades próprias de um automóvel com carácter vincadamente desportivo.

Graças ao 4CONTROL, o chassis do novo Mégane R.S. eleva a fasquia em termos de agilidade, eficiência e estabilidade, tornando-se uma referência em termos de comportamento dinâmico. Na prática, o sistema melhora a agilidade nas curvas mais fechadas e aumenta a estabilidade nas curvas rápidas.

Tornando a direção 20% mais direta, a baixa velocidade, o sistema faz com que as rodas traseiras girem no sentido inverso às rodas dianteiras, até a um máximo de 2,7 graus. Já a velocidades mais elevadas, as rodas traseiras acompanham o sentido de viragem das dianteiras, até ao limite de 1 grau. O ponto de inversão está fixado nos 60 km/h, mas, no modo “Race” há uma parametrização diferente, uma vez que o sistema só assume a inversão a partir dos 100 km/h, de modo a otimizar a estabilidade em curva.

Suspensão inovadora com quatro batentes hidráulicos de compressão

Equipado com o Trem Dianteiro de Pivot Independente (TAPI), especialmente adaptado para a geometria e rigidez da suspensão, o novo Mégane R.S. tem na suspensão uma das suas principais virtudes. E não apenas por esta original solução desenvolvida pelos técnicos da Renault Sport e já montada em anteriores gerações do modelo. É que, na sua terceira geração, o mais recente membro da família “R.S.” adota quatro amortecedores com batentes hidráulicos de compressão.

Numa solução inspirada nos ralis, esta tecnologia contribui para a melhoria do conforto na utilização quotidiana, sem deixar de oferecer máxima competência em modo desportivo. Quando se adota o estilo de condução mais dinâmico, esta solução técnica filtra as irregularidades, proporcionando um amortecimento adicional e eliminando os efeitos de ressaltos, ou seja, permitindo, que o pneu e o solo estejam em contacto o maior tempo possível.

Launch Control para fazer a “Pole-Position”, Multi-Change Down para reduzir no limite

Atestado de tecnologia, o novo Mégane R.S. oferece dois dispositivos que o tornam ainda mais rápido, eficaz e seguro na estrada ou em circuito: o Launch Control e o Multi-Change Down, estando, qualquer um deles apenas disponível na versão TCe 280 EDC, com caixa automática de dupla embraiagem.

Conhecido por proporcionar “arranques-canhão”, o Launch Control otimiza ao máximo o poder de arranque e a aceleração nos primeiros metros, através da pré-carga da embraiagem e do turbo, aprimorando a ação do sistema de antipatinagem (no modo Sport) de modo a explorar a máxima aderência, mesmo em condições de aderência delicadas. E com o pé esquerdo no travão e o pé direito no acelerador a fundo, basta soltar o pedal de travão para viver este espantoso pico de adrenalina.

Já a eficiência da tecnologia Multi-Change Down notar-se-á à saída de cada curva, quando, em antecipação, o condutor reduzir várias relações de caixa em simultâneo, com a patilha esquerda premida. O sistema só “assumirá” a relação de caixa ideal para a situação quando estiver na rotação perfeita para otimizar toda a dinâmica da situação, evitando, desse modo, o risco de sobre-regime do motor.

R.S. Monitor: telemetria em avançado estado de… emoção!

O mundo imaginário da competição encontra, no entanto, mais momentos de inspiração dentro do novo Mégane R.S.. A última versão do avançado sistema de monotorização de dados serve de derradeiro passaporte para o condutor se sentir como se estivesse em pista ou numa classificativa de rali.

Para reforçar o espírito desportivo, o R.S. Monitor foi completamente revisto, apresentando-se ainda com mais funcionalidades e uma visualização mais atrativa. Ao reunir e resumir informações monitorizadas por cerca de 40 sensores espalhados pelo automóvel, o aplicativo pode exibir uma vasta gama de configurações, em tempo real, no écrã tablet de 8.7’’ e touchscreen, R-Link 2, como aceleração, travagem, ângulo do volante, operacionalidade do sistema 4CONTROL, bem como diversas temperaturas e pressões.

Além disso, o sistema R.S. Monitor Expert, só com paralelo nos superdesportivos, permite filmar as sessões de condução e depois carregar os dados de telemetria para outro suporte informático, enriquecendo a experiência de condução. Num mundo moderno e para quem já não sabe viver sem redes sociais, a partilha dos dados do R.S. Monitor através das aplicações disponíveis para smartphones iOS e Android, garante horas de diversão na análise do desempenho ao volante, seja a discutir “aquela” travagem demasiado tardia ou “aquela” aceleração no momento certo. Com a memorização e exposição das imagens e dados, só não podemos garantir que não vá criar alguma inveja nos amigos mais próximos!

Para usar todos os dias ou participar num Track Day!

Além das características desportivas, o Mégane R.S. tem na versatilidade uma das suas maiores virtudes, o que o torna perfeitamente adequado para uma utilização diária.  As cinco portas melhoram a acessibilidade, enquanto o sistema de som BOSE específico incrementa a qualidade de vida a bordo e uma dúzia de sistemas preventivos de auxílio à condução (de que o sistema de alerta de ângulo morto ou sistema de alerta de transposição involuntária de faixa são bons exemplos) zelam constantemente pela segurança.

Mas, é a adoção do sistema MULTI-SENSE – com os seus quatro modos distintos – Comfort, Normal, Sport e Race (modo desativa o ESP), que permite que o condutor escolha, de acordo com a sua personalidade ou estado de espírito do momento, o modo de condução que melhor a si se adapta -, que torna o novo Mégane R.S. verdadeiramente polivalente. No fundo, um automóvel compacto desportivo exemplar, com um excelente compromisso entre uma pacífica e civilizada viatura do dia-a-dia, perfeito até para levar as crianças à escola, e um detonante e eficaz desportivo, capaz de impressionar num qualquer Track Day de fim-de-semana.

O melhor de dois mundos é, afinal, possível. Chama-se Renault Mégane R.S.!

O novo Renault Mégane R.S. já chegou à Rede de Concessionários, com o preço de 38.780€ na versão TCe 280 e de 40.480€ na versão TCe EDC 280, ambas com chassis Sport.

Semana do Bacalhau atrai portugueses e espanhóis ao Concelho de Idanha-a-Nova

O Bacalhau Riberalves vai estar à mesa de todos os visitantes na Semana do Bacalhau, que decorrerá entre 31 de maio e 9 de junho em Idanha-a-Nova. Quem se deslocar, por esses dias, a este concelho da Beira Baixa, terá à sua espera, nos 37 restaurantes aderentes, as mais variadas formas de preparar bacalhau, iguaria que é uma atração gastronómica singular na zona.

Pode surpreender quem não conheça a realidade da região, mas um dos motivos que levam mais gente a procurar, por exemplo, Monfortinho, é o bacalhau! Ou melhor, o “bacalao”, que é como se designa o “Fiel Amigo” por terras de Espanha. De facto, é habitual verem-se os restaurantes da localidade repletos de espanhóis, que se deslocam de propósito ao lado português da fronteira para se deliciarem com a especialidade. Na verdade, as Termas de Monfortinho são uma verdadeira Capital do Bacalhau, 365 dias por ano!

Esta tradição singular está na base da Semana do Bacalhau que, durante 10 dias, irá promover a melhor gastronomia na região. A iniciativa, conjunta, partiu da delegação de Castelo Branco da AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, da Junta de Freguesia de Monfortinho, do Grupo de Empresários, Diretores e Profissionais de Turismo de Termas de Monfortinho e Rosmaninhal, e conta com o apoio transversal dos empresários de restauração do concelho.  Desde o início que o Turismo do Centro de Portugal e a Federação Portuguesa de Turismo Rural acompanham de perto, também, esta inédita operação.

A Riberalves será o parceiro privilegiado do evento, fornecendo a matéria-prima, com a qualidade que é a matriz da empresa. Desta forma, estará a promover a gastronomia portuguesa, com o seu produto mais identificativo. A Semana do Bacalhau coincide com a abertura da época termal, pelo que a organização espera, igualmente, a presença de muitos portugueses. Para que o evento tenha a máxima visibilidade, estarão visíveis outdoors promocionais em três autoestradas portuguesas.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 25 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 145 milhões de euros e exportações que valem 30% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

 

O bacalhau estreia-se no Peixe em Lisboa  e vai ao encontro dos mais jovens e das crianças

  • O “Fiel Amigo” chega finalmente ao Peixe em Lisboa, para se desmistificar junto dos mais jovens e se valorizar enquanto proteína rica, verdadeiramente saudável, de origem 100% selvagem.
  • Chefs Joana Byscaia e Miguel Laffan serão os parceiros na apresentação de novas propostas em torno de novos produtos de Cura Tradicional Portuguesa, valorizando também o carácter prático do bacalhau.
  • Riberalves apresenta-se pela primeira vez como patrocinador oficial do Peixe em Lisboa.

 

Torres Vedras, 21 de março de 2017

 

É uma das mais saudáveis e ricas proteínas da gastronomia portuguesa. É de origem 100% selvagem e é também um dos grandes símbolos identitários da portugalidade, graças a uma presença de séculos nas mesas nacionais ou nas narrativas populares, associadas à pesca ou, até, às tradições religiosas. Mas, apesar de toda esta herança, o consumo do bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa está ainda por democratizar junto dos mais jovens, nomeadamente das crianças. E é precisamente para desmistificar o “Fiel Amigo” junto dos pequenos consumidores que a Riberalves se estreia na edição 2018 do Peixe em Lisboa, que arranca já no próximo dia 5 de abril.

O “Fiel Amigo” chega finalmente ao evento maior da gastronomia ligada ao mar e a marca portuguesa líder do sector do bacalhau avança, em parceria com os chefs Joana Byscaia e Miguel Laffan, para a apresentação de novas propostas em torno de novos produtos de Cura Tradicional Portuguesa, que se destacam não apenas pelo carácter prático, mas igualmente pela dimensão nutritiva e saudável. O exemplo mais recente são os lombos de bacalhau sem pele e sem espinhas, que a Riberalves têm vindo a desenvolver, mas também toda a gama de produtos de Bacalhau Salgado Seco – Pronto a Cozinhar que, pela qualidade e praticidade, vêm proporcionar novas possibilidades de consumo, e de interesse, nomeadamente para os mais jovens.

“O bacalhau pode e deve ser, também, um ‘Fiel Amigo’ dos mais jovens e das crianças”, afirma Bernardo Alves. “É uma proteína extremamente rica, de grande valor nutritivo, mas também verdadeiramente saudável, porque é de origem 100% selvagem. Devemos procurar desmistificar o consumo do bacalhau junto das crianças e das famílias mais jovens e o Peixe em Lisboa chega-nos como uma extraordinária oportunidade para promover esta mensagem, em torno de uma alimentação mais saudável”, conclui o administrador da Riberalves.

Joana Byscaia será presença permanente no Peixe em Lisboa e vai desenvolver, também, uma ação especial pré-evento, já no próximo dia 24, no seu espaço Petit Chef, em Oeiras. Miguel Laffan irá protagonizar um showcooking no dia 14 e, como embaixador da marca Riberalves, será ainda anfitrião de uma visita à unidade industrial da Riberalves na Moita, a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau.

Paralelamente a estas iniciativas, a Riberalves é ainda o patrocinador oficial do concurso da Melhor Patanisca de Bacalhau, que depois de uma primeira edição em 2017, se inscreve oficialmente no programa do Peixe em Lisboa.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 25 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Salgado Seco – Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 145 milhões de euros e exportações que valem 30% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

Bacalhau Riberalves conquista distinção Sabor do Ano 2018

  • “Produto provado e aprovado pelos consumidores”. Bacalhau Pronto a Cozinhar da Riberalves garante selo de qualidade da iniciativa “Sabor do Ano” pela oitava edição consecutiva.

 

Torres Vedras, 17 de Janeiro de 2018

É a oitava distinção consecutiva atribuída pela iniciativa Sabor do Ano à Riberalves.  Desde 2010, o Bacalhau Pronto a Cozinhar da Riberalves conquistou o prémio Sabor do Ano em todas as edições em que este selo de qualidade foi atribuído em Portugal. A mais recente distinção diz já respeito a 2018 e destaca-o, mais uma vez, como “produto provado e aprovado pelos consumidores”.

2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017 e, agora 2018. A distinção Sabor do Ano vem reconhecer o produto de excelência que a Riberalves desenvolveu nos últimos 15 anos. O Bacalhau Pronto a Cozinhar não só garante aos consumidores o melhor bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa, como acrescenta o carácter prático decisivo para o mercado dos dias de hoje, por estar já demolhado, pronto a cozinhar. Mais uma vez, a análise sensorial do painel de avaliação da iniciativa Sabor do Ano reconhece a qualidade do Bacalhau Pronto a Cozinhar, nas diversas categorias de aspeto, cheiro, sabor e textura.

“A qualidade é o nosso maior compromisso. Ao bacalhau da melhor origem, juntamos a melhor Cura Tradicional Portuguesa e, também, uma demolha perfeita. Assim contornamos os constrangimentos da demolha caseira, que tanto afetam os consumidores. O reconhecimento da qualidade do Bacalhau Pronto a Cozinhar, através da conquista de mais uma distinção Sabor do Ano, é para nós um orgulho. Vamos prosseguir com o nosso compromisso”, afirma Ricardo Alves, administrador da Riberalves.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 25 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 145 milhões de euros e exportações que valem 30% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

 

Bacalhau Reserva Gourmet. Riberalves junta a Flor de Sal à melhor Cura Tradicional Portuguesa

Bacalhau Reserva Gourmet. Riberalves junta a Flor de Sal à melhor Cura Tradicional Portuguesa

 

  • Riberalves continua a reinventar o “Fiel Amigo” e lança nova categoria de Bacalhau Pronto a Cozinhar. Uma referência topo de gama, com maturação de 1 ano em Sal e – inédito – também em Flor de Sal. Esta edição Especial, de apenas 20 mil embalagens, chega ao mercado em novembro.

 

Torres Vedras, 6 de novembro de 2016

É o mais importante processo a que é submetido o bacalhau e o que mais influi na sua qualidade final. Chama-se Cura Tradicional Portuguesa e caracteriza o bacalhau que os Portugueses tanto apreciam. Pratica-se desde a antiguidade, na pesca e salga nos antigos bacalhoeiros, e faz-se do simples contacto da proteína com o sal, sem qualquer outro produto adicionado. Depois é uma questão de tempo: quanto mais meses em maturação, mais qualidade.

Mas, e se fosse possível ir para além disto? E se a Cura Tradicional Portuguesa fosse levada à perfeição, pelo período de um ano e, assegurada de forma ainda mais pura, com o contributo da Flor de Sal? A Riberalves, na sequência das novas referências que tem vindo a lançar no mercado, volta a inovar e prepara-se para apresentar, neste mês de novembro, uma nova categoria de bacalhau. Uma edição especial desenvolvida para momentos também especiais: o novo Bacalhau Riberalves Reserva Gourmet, com um ano de Cura Tradicional Portuguesa e com Flor de Sal.

Testado no mercado no ano de 2016, mas na referência de Bacalhau Salgado Seco, o bacalhau Riberalves Reserva Gourmet ganha agora uma marca que não só identifica e distingue as suas características, como realça outro argumento diferenciador: o facto de estar disponível na referência Pronto a Cozinhar. Aos peixes da melhor origem e, ao melhor processo, a Riberalves adiciona também a demolha perfeita, em água a temperatura controlada e em tempo específico. Todo o processo está assegurado, desde a pesca até à cozinha. Para o consumidor, fica apenas a responsabilidade da confeção.

“O Bacalhau Reserva Gourmet é destinado aos grandes apreciadores de bacalhau, os que valorizam uma Cura Tradicional Portuguesa longa, capaz de realçar o melhor sabor e a melhor textura do bacalhau. À Cura Tradicional Portuguesa, adicionámos a Flor de Sal, para tornar a maturação ainda mais pura”, afirma Ricardo Alves, administrador da Riberalves. “Estamos a cumprir a nossa responsabilidade, não só de apresentar produtos que satisfaçam as novas tendências de consumo, mas, propondo, ao mesmo tempo, alternativas claras, na categoria e na qualidade, que no bacalhau nem sempre são percetíveis: hoje, com os produtos Riberalves, os consumidores sabem que podem optar entre um bacalhau com quatro, seis meses, ou um ano de Cura Tradicional Portuguesa”, concluiu Ricardo Alves.

O Bacalhau Riberalves Reserva Gourmet, com um 1 ano de Cura Tradicional Portuguesa, com Flor de Sal, estará disponível na referência de Lombos, em caixas de 1 Kg. Para esta edição especial, a Riberalves produziu apenas 20 mil embalagens.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 30 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 150 milhões de euros e exportações que valem 40% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

Riberalves é protagonista na novela Espelho D´Água

  • Marca líder do sector do bacalhau em Portugal integra novela da SIC, produzida pela SP. Presença traduz-se em ações de soft sponsoring e product placement, mas a Riberalves vai mais longe e assume um papel importante numa narrativa fortemente ligada às comunidades, indústria e pesca do bacalhau.

 

Torres Vedras, 24 de outubro de 2017

 

A Riberalves, marca líder do sector do bacalhau em Portugal, é protagonista na novela Espelho D’Água, uma produção da SP para a SIC.

A apresentação à Imprensa da parceria estabelecida entre a Riberalves e os produtores da novela decorreu no último sábado, dia 21 outubro, na AdegaMãe (Torres Vedras), num evento onde esteve presente a família fundadora da empresa, bem como a equipa de produção e de atores, como Mariana Pacheco, Amélia Videira, Carla Chambel, Rui Brás, José Condessa e Pedro Lacerda. O evento teve uma forte vocação gastronómica e foi encerrado com um almoço de assinatura de Miguel Laffan, chef Estrela Michelin e embaixador da marca Riberalves.

Com uma temática ligada às comunidades da indústria e pesca do bacalhau, a novela Espelho D’Água conta com o apoio da empresa nacional líder do sector, desenvolvendo uma presença que se traduz não apenas em ações de soft sponsoring e product placement, mas igualmente com a Riberalves a assumir um papel de protagonismo na narrativa, que começará a ser revelado nas próximas semanas.

“A novela Espelho D’Água é uma produção portuguesa que valoriza a temática associada ao bacalhau, pelo que, enquanto empresa líder do sector, temos todo o gosto e entusiasmo em assumir esta parceria. Através desta presença vamos comunicar a nossa marca, mas, também, os valores que nos definem, assumindo inclusivamente uma participação importante na evolução da narrativa. No fundo estamos a estreitar a nossa relação com os Portugueses, dando a conhecer um pouco mais aquilo que é a Riberalves, uma empresa 100% portuguesa, de origem familiar, que se diferencia pela qualidade e inovação”, afirma Ricardo Alves, administrador da Riberalves.

Hoje em dia não produzimos novelas apenas para os nossos espetadores, pensamos as histórias, escolhemos os locais e selecionamos os nossos enredos a pensar também nas marcas. Marcas que acreditam no poder da ficção da SIC para passar as suas mensagens de comunicação. A presença da Riberalves em Espelho d´Água surge assim de forma muito evidente. Quando nos propusemos a tratar a indústria do bacalhau, e toda a sua envolvência, procuramos uma marca cujos valores acrescentassem credibilidade e realismo à nossa história. Em breve os espetadores da SIC vão conhecer mais um protagonista desta emocionante novela”, afirma Sofia Moura, Diretora de Brand Entertainment da SIC.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 30 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a sua atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto de Cura Tradicional Portuguesa, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 150 milhões de euros e exportações que valem 40% das vendas, a Riberalves é referência no sector, num grupo que integra, ainda, as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

 

 

Miguel Laffan é o novo chef Embaixador da Riberalves

  • Estrela Michelin, com o restaurante L’AND Vineyards, em Montemor-o-Novo, Miguel Laffan é o novo chef Embaixador da marca Riberalves e aceitou o desafio de desenvolver criativamente pratos em torno do melhor Bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa.

 

Torres Vedras, 31 de agosto de 2017

 

Em 2016, na ementa do reconhecido L’AND Vineyards, o chef Miguel Laffan apresentava uma reinterpretação da receita de “Bacalhau à Gomes Sá”. O trabalho desenvolvido em torno deste clássico da cozinha portuguesa contribuiu, também, para a obtenção da recente Estrela Michelin atribuída ao restaurante de Montemor-o-Novo. Para Miguel Laffan, a cozinha é essencialmente identidade, razão pela qual esta matéria-prima tem sido presença constante nas suas cartas. Assim, não é por acaso que Miguel Laffan acaba de aceitar o convite da Riberalves para se tornar o chef embaixador da marca referência de bacalhau em Portugal, aceitando um desafio: contribuir para o desenvolvimento de novas propostas para utilizar o melhor bacalhau de cura tradicional portuguesa na cozinha.

Sou um apaixonado pelo ‘fiel amigo’ e é por isso que aceitei com grande entusiasmo o desafio da Riberalves”, sublinha o novo chef embaixador do Bacalhau Riberalves. “Os portugueses são o povo que melhor sabe cozinhar bacalhau, pelo que nem faz sentido desenvolver uma carta para o restaurante que não tenha uma referência de bacalhau. Mas mais do que tradição, o bacalhau é igualmente futuro, pela versatilidade gastronómica e até pela qualidade, ao ser uma proteína extremamente saudável e um dos peixes verdadeiramente selvagens, de origem sustentável, dos mais saborosos que podemos ter no prato. O Bacalhau de Cura Tradicional, como só os portugueses sabem produzir graças à sua experiência de séculos, é algo que vai continuar a marcar a nossa gastronomia. A Riberalves tem desenvolvido um notável trabalho na preservação dessa história e sinto-me honrado pela ligação que inicio agora com esta marca”, conclui Miguel Laffan.

A parceria entre a Riberalves e o chef Miguel Laffan vai traduzir-se numa série de iniciativas gastronómicas, de âmbito nacional e internacional, não apenas de promoção da marca, mas igualmente do produto. “A Riberalves é uma empresa de origem familiar, que tem a sua força sustentada em pessoas que diariamente colocam grande paixão e entusiasmo num só objetivo: levar o melhor Bacalhau de Cura Tradicional aos lares e comunidades de portugueses. Procuramos inovar, apresentar novas propostas de consumo dentro deste produto único, e encontrámos no chef Miguel Laffan o mesmo entusiasmo e paixão pelo ´fiel amigo´. Estamos muito empolgados com o facto de o chef Miguel Laffan se juntar agora à família Riberalves, bem como com as iniciativas que se seguem”, afirma Bernardo Alves, administrador da Riberalves.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 30 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a sua atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração de uma primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial, na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto de Cura Tradicional Portuguesa, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 150 milhões de euros e exportações que valem 40% das vendas, a Riberalves é referência no sector, num grupo que integra, ainda, as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.

 

Sobre Miguel Laffan

Uma História de viagens pelos mares, de Descobrimentos e de encontros de culturas. Para Miguel Laffan é aí que reside a génese da identidade tão caraterística e valiosa da gastronomia portuguesa. Na sua missão enquanto Chef, Miguel Laffan procura, portanto, uma reinterpretação contemporânea das raízes gastronómicas nacionais, valorizando o equilíbrio de sabores, as influências de outras paragens, os ingredientes secretos e até exóticos. Natural de Cascais, Miguel Laffan, de 38 anos, encontrou, em 2011, no restaurante L’AND Vineyards, em Montemor-o-Novo, o projeto perfeito para desenvolver a sua arte. Com uma linguagem gastronómica única, conquistou a primeira Estrela Michelin em 2015, repetida agora em 2017 – distinções únicas no Alentejo! Com passagem pelas mais prestigiadas escolas da especialidade, que também formaram alguns dos mais reputados Chefs internacionais, Miguel Laffan chefiou equipas em hotéis de referência, deixando a sua marca em casas como o Hotel Casa Velha do Palheiro, o Hotel Quinta da Casa Branca, ou, já em consultoria e com a assinatura L’And, em 2015, o projeto do Design Center Nini Andrade Silva.

 

Escolha do Pescador. Riberalves lança nova referência de Bacalhau Pronto a Cozinhar

  • Ao bacalhau da melhor origem juntam-se 4 meses de Cura Tradicional Portuguesa, para garantir o sabor e a viagra en suisse textura tão apreciados pelos portugueses. O Bacalhau Riberalves Escolha do Pescador já está no mercado e destaca-se pela qualidade e carácter prático: é um “fiel amigo” Pronto a Cozinhar!

 

Torres Vedras, 5 de Abril de 2017

 

Nova embalagem, novas gramagens, nova designação, e a mesma exigência e qualidade de sempre. A Riberalves, líder nacional no sector do bacalhau, Marca de Confiança e Sabor do Ano 2017, acaba de lançar no mercado a sua mais recente referência de Bacalhau Pronto a Cozinhar: o Bacalhau Riberalves Escolha do Pescador. Um novo produto que, pela seleção, qualidade e carácter prático, se propõe como um verdadeiro “fiel amigo” dos Portugueses.

O Bacalhau Riberalves Escolha do Pescador surge como uma referência distinta dentro da gama de Bacalhau Demolhado Ultracongelado – Pronto a Cozinhar. Uma referência proveniente das melhores origens e submetido a uma Cura Tradicional Portuguesa de pelo menos 4 meses, condição essencial para que o bacalhau possa adquirir o sabor e a textura tão apreciados pelos consumidores portugueses. Ao mesmo tempo, o carácter prático deste produto (já demolhado em água a temperatura controlada e em tempo específico) surge reforçado pelas novas gramagens disponíveis (lombos 550G e posta tradicional 750G).

“Lançámos o Escolha do Pescador procurando ir ao encontro das necessidades dos portugueses. Este é um bacalhau indicado para estar sempre disponível nos nossos frigoríficos, pronto para garantir uma refeição de excelência, mesmo naqueles dias em que a falta de tempo não ajuda”, explica Ricardo Alves, administrador da Riberalves. “Existem duas condições principais que asseguram o bacalhau da melhor qualidade: a excelência da matéria-prima e o tempo de cura no sal. Com este produto apresentamos um bacalhau selecionado junto dos nossos melhores parceiros e asseguramos pelo menos quatro meses de maturação no sal”, destaca Ricardo Alves.

 

Sobre a Riberalves

A Riberalves é uma empresa 100% nacional, referência Mundial na transformação de bacalhau, produzindo 30 mil toneladas/ano. Fundada em 1985, a Riberalves focou a atividade exclusivamente no sector do bacalhau a partir de 1990, com a inauguração da primeira fábrica, em Torres Vedras. A partir de 2003, graças ao investimento numa nova unidade industrial na Moita, hoje a maior fábrica mundial de transformação de bacalhau, a Riberalves estendeu a capacidade produtiva em 60% e tornou-se referência no desenvolvimento de um novo produto, capaz de responder às novas tendências de consumo: o Bacalhau Pronto a Cozinhar. Com uma faturação a rondar os 150 milhões de euros e exportações que valem 40% das vendas, a Riberalves é referência num grupo que integra ainda as empresas AdegaMãe e Riberalves Imobiliária.