O PORTUGUÊS MIGUEL FAÍSCA PROSSEGUIU, EM INGLATERRA, A APRENDIZAGEM COMO PILOTO OFICIAL DA NISSAN

– Só este fim-de-semana, aos comandos de um Nissan 370Z, Miguel Faísca participou em três corridas: duas na pista de Donington e uma em Silverstone.

– O português está cada vez mais perto de conquistar a licença para poder participar em provas e campeonatos internacionais em 2014

O programa GT Academy não é “apenas” conhecido pelo papel de descobrir novos talentos para o automobilismo, mas também pela excelência do trabalho desenvolvido ao nível da formação e, este fim-de-semana foi paradigmático disso mesmo. Em escassas 48 horas, Miguel Faísca, o vencedor europeu do GT Academy’2013, participou em três corridas, em duas pistas distintas, com condições meteorológicas diversas e em automóveis com diferentes níveis de preparação. Em duas corridas fez equipa com o vencedor russo do programa desenvolvido pela Nissan e pela PlayStation® e ainda estreou-se a competir à noite.

No fundo, Miguel Faísca acumulou experiência e quilómetros que vão ser determinantes para o programa internacional que vai desenvolver em 2014 e ainda foi “obrigado” a gerir diferentes emoções: a felicidade de ter terminado uma das corridas a um “passo” do pódio (foi 4º classificado na primeira corrida de Donington) e o ser obrigado a gerir os sentimentos relacionados com uma desistência por saída de pista (na segunda corrida de Donington) e os problemas técnicos que comprometeram um positivo resultado esta tarde, em Silverstone.

“Estou certo que, em termos de formação, os dois últimos dias foram dos mais importantes para o Miguel Faísca”, sublinha António Pereira Joaquim, Director de Comunicação da Nissan Iberia – Sucursal Portugal. “Nesta fase, a Nissan não lhe exige resultados. Só lhe pede que absorva o maior número de informação possível. Nesse sentido, as últimas 48 horas foram extraordinárias para o Miguel, já que viveu experiências e emoções completamente diferentes, que vão ser fundamentais para o futuro”.

Instado a comentar o fim-de-semana, Miguel Faísca reconhece que “foi bastante intenso, com diferentes resultados, mas onde aprendi imenso. Em Donington descobri o Nissan 370Z preparado de acordo com o regulamento técnico GT4 e adorei, pois é um verdadeiro automóvel de competição. Pela primeira vez fiz equipa com outro piloto (Stanislav Aksenov, o vencedor do GT Academy Rússia) e estreei-me em corridas nocturnas”.

Quanto ao desenrolar das corridas, o piloto nacional explica que, “durante o dia de sábado, em Donington, as condições atmosféricas estiveram sempre instáveis. Na primeira corrida conquistámos a 4ª posição e, na segunda, disputada à noite, cometi um erro a 15 minutos do fim e acabei com o Nissan preso na gravilha de uma escapatória. Uma falha de concentração que, naturalmente, me deixou bastante triste. No fundo, só reforcei a ideia que ainda tenho uma imensa aprendizagem pela frente e muito para evoluir”.

Já hoje (domingo), em Silverstone, Miguel Faísca foi vítima de problemas de travões, “que me obrigaram a visitar as boxes várias vezes e que comprometeram as hipóteses de um bom resultado. Mas o mais importante é que somei mais uma ´assinatura´ para conseguir ter a licença internacional”, sublinha o português.

No próximo fim-de-semana, Miguel Faísca desloca-se a Snetterton, para participar numa prova do Campeonato de Inverno do BRDC.

 

FIM

Deixe uma resposta