PINTA NEGRA 2011 RECEBE MEDALHA DE OURO NO CONCURSO INTERNACIONAL DE VIENA

O ano de 2013 marca a consolidação dos vinhos AdegaMãe, na qualidade, na diversificação da gama, mas também através das distinções conquistadas em prestigiados concursos internacionais. A medalha de ouro atribuída ao Pinta Negra Tinto 2001, o vinho entrada de gama da AdegaMãe, comercializado por cerca de 2,5€, prova que é possível consumir vinhos de qualidade reconhecida a preços acessíveis.

 

Torres Vedras, 23 de Outubro de 2013

 

O Pinta Negra Tinto 2011, vinho de entrada de gama da AdegaMãe, foi distinguido com a medalha de ouro no International Wine Challenge – AWC Vienna 2013. Nascido num ano marcado por excelentes condições climatéricas, este colheita 2011 é produzido com as  castas Castelão, Aragonez e Syrah, resultando num vinho “simples e descomplicado”, mas que acompanha a qualidade da restante gama.

“Para além de ser uma das referências do segmento, devido à boa relação qualidade-preço, o Pinta Negra  confirma que os vinhos da Região de Lisboa já não são  vinhos ´difíceis de beber`. Pelo contrário, o Pinta Negra é um vinho simples, fácil, descomplicado, uma excelente opção para consumir numa base diária”, explica o enólogo da AdegaMãe, Diogo Lopes.

A região de Lisboa está conotada com a produção de vinhos brancos de elevada qualidade e características muito próprias, mas a verdade é que também ao nível dos vinhos tintos o trabalho desenvolvido pelo  produtor de Torres Vedras está a produzir  resultados. Num momento em que a actualização da sua marca estandarte – o Dory 2011 –  acaba de chegar ao mercado, e depois de todas as distinções somadas pelo Reserva Tinto 2010 lançado em Março, o Pinta Negra reforça uma ideia de qualidade  e originalidade que é transversal a toda as referências da AdegaMãe. As condições especiais da Região Oeste, nomeadamente a influência do clima atlântico, emprestam condições únicas para a produção de vinhos brancos, mas também se reflectem em excelentes vinhos tintos.

“Neste Pinta Negra notamos uma carga aromática intensa. A fruta silvestre e madura está bem vincada e destaca-se, ainda, um ligeiro floral. Por fim, é um vinho com um final de boca muito guloso, muito apetecível”, conclui o enólogo Diogo Lopes.

 O Pinta Negra 2011 é produzido em solos argilo-calcários com as castas Castelão, Aragonez e Syrah e tem um preço referência recomendado de 2,42 euros.

Pinta Negra Tinto 2011 // Notas de prova

Cor ruby brilhante. Boa presença aromática, com notas de cassis e bagas silvestres. Na boca é redondo e macio.

 

Deixe uma resposta