Renault Mégane TCe: A tecnologia ao serviço dos motores a gasolina

Indústria Automóvel Comments (0)

O exterior é apaixonante. No habitáculo respira-se qualidade, conforto e tecnologia. Ao volante é difícil conter um sorriso pelo prazer de condução que proporciona, inclusivamente quando equipado com o novíssimo motor 1.3 TCe. Um bloco a gasolina, desenvolvido em parceria com a Daimler, que agora chega ao Renault Mégane, nas versões de 115, 140 e 160 cavalos. Um novo argumento para uma das mais atraentes e completas gamas do mercado – três propostas de carroçarias (Berlina, Grand Coupé e Sport Tourer) e motores a gasolina e a diesel com potências entre os 115 e os 300 cavalos. Com o motor 1.3 TCe, o Renault Mégane está disponível, na Rede de Concessionários, a partir de 24.255€.

Quatro gerações depois, o Renault Mégane permanece como uma das incontornáveis referências do competitivo segmento C. Uma história de sucesso com quase um quarto de século (o modelo foi apresentado em meados de 1995), nomeadamente em Portugal. Afinal, foi seis vezes o automóvel mais vendido no país e, nos últimos 16 anos, só uma única vez é que não esteve no Top5 das vendas. Ou seja, o automóvel de eleição de milhares de famílias, mas não só… Exemplo disso, a grande minoria que tem o privilégio de viver as emoções do Mégane R.S.. Para além das caraterísticas intrínsecas das diferentes versões – design, qualidade, habitabilidade, conforto, tecnologia, economia, dinâmica – também a versatilidade da gama justifica a enorme popularidade do Mégane.

Motor desenvolvido em parceria com a Daimler
Mas também para o Mégane o ano de 2019 é marcado pelo lançamento de uma nova geração de motores. Por agora, o destaque é para o novíssimo bloco 1.3 TCe, desenvolvido em parceria com a Daimler. Um motor a gasolina recheado de tecnologia, já testado sob as diretrizes do protocolo WLTP e compatível com a norma ambiental EURO 6D-TEMP, que entrará em vigor apenas em setembro deste ano.

Três inéditas propostas a gasolina de injeção direta – TCe 115 FAP, TCe 140 FAP e TCe 160 FAP – que têm em comum as tecnologias. O “Bore Spray Coating” é um dos exemplos, uma tecnologia de revestimento dos cilindros usada no motor do Nissan GT-R, que melhora a eficiência, através da redução do atrito e otimização da transferência de calor.

Igualmente importante para a melhoria das prestações, aumento do prazer de condução, bem como redução do consumo de combustível e de emissões de CO2, revela-se o aumento da pressão de injeção direta de combustível, em 250 bar, tal como o desenho específico da câmara de combustão, que otimiza a mistura de combustível/ar.

Além disso, a tecnologia “Dual Variable Timing Camshaft” controla as válvulas de admissão e de escape de acordo com a carga do motor. O resultado expressa-se num maior binário a baixas rotações e num binário mais linear em rotações mais elevadas, com vantagens significativas em termos de conforto de condução, dada a otimização da resposta nos regimes de rotação intermédios.

Destaque, ainda, para o facto de todas as variantes do motor integrarem um filtro de partículas (FAP), com o objetivo de reduzir as emissões.

Motor TCe 115 FAP
O TCe 115 FAP é a versão de entrada de gama. Com 115 cavalos de potência, às 4.500 rpm, e um binário de 220 Nm às 1.500 rpm, é uma proposta com uma excelente relação prestações/consumos/preço. Associado a uma caixa manual de seis velocidades está disponível associado ao nível de equipamento Limited e permite atingir os 192 km/h de velocidade máxima (modelo Sport Tourer).

Motor TCe 140 FAP e TCe 140 FAP EDC7
Com uma potência de 140 CV, às 5.000 rpm, e um binário de 240 Nm às 1600 rpm, o motor a gasolina TCe 140 FAP surpreende pelo conforto e prazer de condução. A sua reatividade rivaliza com os melhores diesel, evidenciando a excelência do chassis do Renault Mégane. Um motor que pode ser associado uma caixa manual de seis velocidade ou à suave e rápida caixa automática de dupla embraiagem EDC de sete velocidades e que permite atingir os 205 km/h de velocidade máxima. Em função dos níveis de equipamento, da carroçaria (Berlina, Sport Tourer ou Grand Coupé) e da caixa de velocidades (manual ou EDC), os consumos oscilam entre os 6,1 e os 6,6 litros em ciclo completo WLTP.

Motor TCe 160 FAP e TCe 160 FAP EDC7
Também a versão mais potente do novo propulsor T(urbo) C(ontrol) E(fficiency) de 1.3 litros está disponível com duas versões: TCe 160 FAP associado a uma caixa de velocidades manual e TCe 160 FAP EDC7 acoplado à suave e rápida caixa automática de dupla embraiagem EDC de sete velocidades. A potência de 160 CV, às 5.500 rpm, e o binário de 260 Nm às 1.750 rpm, são entregues de forma suave e sem vibrações, permitindo usufruir de uma condução despreocupada, mas igualmente desportiva se for essa a necessidade ou o estado de espírito. Um motor que alia elevado desempenho e prazer de condução e que é capaz de levar o Mégane a atingir os 205 km/h de velocidade máxima. Em ciclo completo WLTP, e dependendo da versão, carroçaria e tipo de caixa de velocidade os consumos anunciados variam entre os 6,3 e os 6,6 l/100 km.

Motores que confirmam a excelência do chassis
Três segmentos de potência com base no mesmo bloco, mas que, independentemente da versão, têm em comum os consumos reduzidos, mas também o conforto e o prazer de condução, por força de um chassis irrepreensível, desenvolvido para oferecer um extraordinário comportamento em estrada. Para além da excelente insonorização, referência, ainda, para a precisão e reatividade da direção, bem como para os eficazes travões.

Design sedutor
Independentemente da carroçaria (berlina, Grand Coupé ou Sport Tourer), o Renault Mégane sobressai pelas linhas modernas, robustas e, ao mesmo tempo, distintas. Um automóvel que não deixa ninguém indiferente e que seduz ao primeiro olhar. Uma imagem igualmente distinta e diferenciadora, fruto de diversos pormenores, como a já famosa assinatura luminosa LED da dianteira e da traseira.

Habitáculo impressiona pela qualidade e lista de equipamentos
Uma vez no habitáculo do Renault Mégane, a qualidade dos materiais dos acabamentos é imediatamente percecionada. A habitabilidade é referência no segmento, os espaços para arrumação abundam e o conforto está presente em diversos pormenores. Aliás, há versões que até disponibilizam bancos com função de massagem. Mas se o espírito for mais desportivo, o nível de equipamento GT Line (disponível nas carroçarias Berlina e Sport Tourer) é a opção natural, onde não faltam, de série, uns bancos tipo “bacqet” com apoios de cabeça integrados, que ajudam a desafiar as leis da física. Uma versão com assinatura Renault Sport, com volante desportivo, detalhes cromados, pedais em alumínio e um moderno painel de instrumentos personalizável, que também equipa as restantes versões.
Igualmente disponível na lista de equipamentos está o ecrã retrátil, a cores. Posicionado em cima do tablier, não obriga o condutor a tirar os olhos da estrada para ver as informações relacionadas com a navegação, velocidade, sinalização e avisos para cumprir distâncias de segurança. Também destaque para o sistema de som BOSE®, que proporciona, até ao mais exigente audiófilo, uma marcante experiência de som a bordo do Renault Megane.

Equipamentos tecnológicos exclusivos
Mas falar do Renault Mégane é também falar de tecnologia… Na consola central pode receber um ecrã vertical de 8,7 polegadas. Com comando táctil ou por voz, permite o acesso ao R-LINK 2. Um equipamento referência no segmento, que concentra as funcionalidades de navegação, telefone, aplicações, rádio, mas também a inovadora tecnologia MULTI-SENSE.
Ou seja, a capacidade de personalizar o Renault Mégane em função do estado de espírito do condutor ou das necessidades do momento. Através do R-LINK 2 ou de um botão específico posicionado na consola central, é possível selecionar diferentes modos de condução: Sport, Neutral, Confort, Eco e Perso. No fundo, a parametrização do automóvel ao nível da suspensão, direção, velocidade de resposta do acelerador e do motor, mas igualmente o ambiente do habitáculo, com cinco cores: vermelho, castanho, azul, violeta e verde. E no caso das versões equipadas com a caixa de velocidades automática de dupla embraiagem – EDC – também a rapidez das passagens de caixa.

Em relação a conectividade, para além da ligação Bluetooth® para telefone e streaming audio, é possível contar com duas portas USB, duas tomadas de 12V, uma tomada auxiliar jack 3,5 mm e um leitor de cartões SD.

Equipamentos de segurança únicos no segmento
Também no capítulo da segurança, o Renault Mégane é uma referência e não apenas por ter conquistado as 5 estrelas nos testes da Euro NCAP. Com efeito, o modelo está disponível com tecnologias de ajuda à condução mais comuns em segmentos superiores. Uma longa lista, que inclui o Regulador de velocidade adaptativo (ACC), o Sistema de Travagem ativo de emergência (AEBS), o Alerta de transposição involuntária de faixa (LDW), o Alerta de distância de segurança (DW), o Alerta de excesso de velocidade com reconhecimento dos sinais de trânsito (OSP com TSR), o Alerta de ângulo morto (BSW), a Câmara de marcha-atrás, a Comutação automática dos máximos/médios (AHL), o Sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro, traseiro e lateral, bem como o Estacionamento em mãos-livres (Easy Park Assist) que, para além de ajudar a identificar um lugar de estacionamento livre, medindo o espaço disponível com o auxílio de sensores, também assume o controlo da direção para realizar a manobra de estacionamento.

Preços a partir dos 24.255€
O Renault Mégane equipado com o novo motor 1.3 TCe já está disponível na rede de concessionários a partir de 24.255€ (versão berlina), 24.275 (Grand Coupé) e 25.170€ (Sport Tourer).

Pin It

» Indústria Automóvel » Renault Mégane TCe: A tecnologia...
On 1 Fevereiro, 2019
By

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

« »